domingo, 1 de julho de 2018

Tribuna de Copa #dia18: ode ao goleiro


O décimo oitavo dia de Copa do Mundo seguiu como o anterior, eliminando grandes estrelas do futebol mundial. Tudo bem que a desclassificação espanhola não foi uma novidade. O time que tem histórico de ser eliminado pelo anfitrião foi, desta vez, o alvo russo. Porém, mais do que a surpresa da Rússia, o dia de Copa homenageou os donos da meta. É que tanto Akinfeev quanto Schmeichel foram os destaques da rodada, com méritos de sobra.

 Kasper Schmeichel honrou o nome do pai e se colocou na história das Copas (FIFA.com)



A vitória da Rússia foi sofrida e surpreendente. Quem poderia imaginar que a Espanha poderia ser eliminada pelos russos? Eles mesmos! O futebol espanhol jamais derrotou um anfitrião em Copa do Mundo. E o jogo de hoje foi simbólico. Pois mesmo com o placar favorável, a Roja foi sucumbindo até desfalecer na relva sagrada. Uma pena para Iniesta, foi o seu último jogo em Mundiais.

Por outro lado, o triunfo russo nas penalidades premiou um goleiro que possui uma indiscutível qualidade. Porém, que jamais havia se destacado em competições oficiais por sua seleção. Akinfeev possui um histórico de sofrer muitos gols pela Rússia. Na tarde deste domingo, o camisa 1 e capitão dos donos da casa pegou dois pênaltis e foi o herói da inédita classificação para as quartas de final. Um triunfo daqueles que eleva o patamar de um grupo.

Mais soberano que a atuação de Akinfeev foi mesmo a de Kasper Schmeichel. O goleiro dinamarquês, sob os olhos do seu pai, o lendário Peter Schmeichel, o arqueiro defendeu três penalidades, uma na prorrogação e duas nas cobranças. A primeira defesa adiou a eliminação, que viria de forma doída. 

Akinfeev foi o nome da Rússia na classificação contra a Espanha (FIFA.com)

Apesar do equilíbrio nos 90 minutos, a classificação croata é justa. O time faz uma campanha mais consistente que a Dinamarca e segue na Copa do Mundo com o desejo de superar a campanha de 1998, quando terminou na terceira colocação. E no dia em que Akinfeev e Schmeichel foram os protagonistas, também é necessário aplaudir Subasic. O goleiro do Mônaco defendeu três cobranças e manteve vivo o sonho croata.

O Mundial da Rússia num dia de ode aos goleiros.


Leia mais sobre a Copa do Mundo de 2018:

+ Dia 3: sonolento como os favoritos franceses