sábado, 14 de julho de 2018

Preciosidade


É a primeira vez que a final de Copa do Mundo vai contar com o confronto entre França e Croácia. De um lado, a campeã mundial de 1998, que montou um elenco forte e projeta vencer uma competição há pelo menos quatro anos. Do outro, uma seleção jovem, que disputa apenas o seu sexto Mundial e que está na crista da onda para escrever de vez o nome na história. Um fato raro na decisão do torneio da Rússia.

Em sua terceira final, a França é muito favorita para cima de uma Croácia histórica (Tribuna do Cisco)

Chegando a Copa do Mundo repleto de desconfiança por ter optado por deixar jogadores renomados de fora, o técnico Didier Deschamps provou ao longo da competição que o seu time é mesmo copeiro. Afinal, no Mundial do Brasil, o elenco foi bem e só parou nas quartas de final. Dois anos depois, na Euro sediada pelos próprios franceses, a equipe ficou com o vice-campeonato. E é justamente buscando corrigir a imagem da derrota para Portugal em Paris que a Marselhesa quer, enfim, voltar a levantar uma taça.

Apesar do bom elenco e da invencibilidade na Copa, a França ainda não teve uma atuação legítima, algo próximo do limite. A prova disso foi o empate em 0 a 0 com a Dinamarca, o único sem gols de toda a competição.

Vinte anos depois, a França volta a acreditar. É possível e provável! (Fifa.com)
A maioria dos seus jogadores podem apresentar muito mais do que mostraram até as semifinais. Em contrapartida, o setor defensivo, de Lloris, passando pelos laterais Pavard e Lucas Hernandez, pelos zagueiros Varane e Umtiti, até o volante Kanté estão jogando num altíssimo nível. Inclusive, o jogador do Chelsea é, provavelmente, o melhor atleta francês deste Mundial.

Contudo, o ataque está devendo demais. Antoine Griezmann não é de longe aquele que se destacou na Euro e foi artilheiro. O camisa 7 só marcou três vezes na Copa e o seu brilho tem sido pontual. O mesmo não se pode dizer de Olivier Giroud. O atacante do Chelsea faz uma campanha bizarra e não balançou as redes uma vez sequer. Apesar disso, virou titular durante o torneio.

Por fim, é preciso destacar Mbappé. O menino prodígio faz uma Copa muito boa. Aos 19 anos, tem causado o mesmo impacto da temporada passada, quando levou o Monaco ao título francês e as semifinais da Liga dos Campeões. Agora, o craque do PSG pode se tonar campeão do mundo em seu segundo ano de carreira como profissional.

A campanha da França na Copa:
2 x 1 Austrália
1 x 0 Peru
0 x 0 Dinamarca
4 x 3 Argentina
2 x 0 Uruguai
1 x 0 Bélgica


Escrevendo a história mais bonita do país, a Croácia quer coroar a geração dourada com o primeiro título mundial. O time de Modric e companhia faz a competição perfeita, chegando a ultrapassar o seu limite e superar três prorrogações consecutivas. Com tudo isso no currículo em pouco menos de um mês, os croatas está sim credenciados a buscarem a conquista.

Vivendo um sonho, a Croácia busca um feito inédito (Fifa.com)
Comandado pelo seu meio de campo estrelado, a Croácia foi muito mais do que isso no decorrer da Copa do Mundo. É preciso enaltecer a boa campanha do goleiro Subasic, do zagueiro Vida, dos laterais Vrsaljko e Strinic, e do atacante Mandzukic. Diferentemente de Olivier Giroud, o centroavante croata é dono de gols importantes, inclusive o que colocou o seu país na decisão pela primeira vez.

O ponto negativo para os croatas, além da falta de experiência em final de Copa do Mundo, é o cansaço. Três prorrogações consecutivas equivalem a mais uma partida jogada na competição. Outro fator é a falta de um meio de campo com jogador de maior combatividade. Com muita qualidade, falta um homem como Kanté na volância da equipe europeia.

Campanha da Croácia na Copa:
2 x 0 Nigéria
3 x 0 Argentina
2 x 1 Islândia
1(3) x 1(2) Dinamarca
2(4) x 2(3) Rússia
2 x 1 Inglaterra


Palpite: França


Na disputa pelo terceiro lugar, Bélgica e Inglaterra voltam a se enfrentar nesta Copa do Mundo. Obviamente, é um confronto de ressaca, na qual as duas equipes podem rodar mais o elenco. Nome por nome, os belgas levam vantagem e fizeram um Mundial superior ao dos ingleses. Porém, a motivação do English Team é enorme e é possível vingar a derrota na primeira fase.


Palpite: Bélgica

Leia mais sobre a Copa do Mundo de 2018:

+ Dia 4: em mar de Mundial, atual campeão normalmente se afoga
+ Dia 5: uma tarde de Premier League
+ Dia 6: organização faz a diferença
+ Curiosidades da 1ª rodada
+ Dia 7: nivelado por baixo
+ Dia 8: uma noite para Šuker aplaudir de pé 
+ Dia 9: futebol é mais política que pão e circo
+ Dia 10: um dia de brasileiro
+ Dia 11: Kane e mais 10 na seleção da Copa
+ Curiosidades da 2ª rodada
+ Dia 12: um papelão no Grupo B 
+ Dia 13: a paixão que supera a bagunça
+ Dia 14: faltou o calor brasileiro para a frieza alemã na Rússia
+ Dia 15: foi apenas um susto
+ Curiosidades da 3ª rodada
+ Copa do Mundo chega ao mata-mata procurando um futebol de alto nível