quinta-feira, 14 de junho de 2018

Tribuna de Copa #dia1: um dia que valeu o mundo para um anfitrião


Foi na Copa de 2006 que o anfitrião voltou a abrir uma Copa do Mundo. Antes, o atual campeão era quem fazia o jogo de abertura. De lá para cá, os alemães venceram a Costa Rica e o Brasil derrotou os croatas. No Mundial da África do Sul, em 2010, os donos da casa empataram com o México. Nesta quinta-feira, porém, os russos não só protagonizaram uma festa bacana, como conquistaram um resultado que já valeu o torneio. Com um time bastante limitado, os euro-asiáticos arrasaram a Arábia Saudita.
Cheryshev teve um dia de estrela em Moscou, do jeito que o Real Madrid um dia esperou (Fifa.com)
O triunfo sobre os sauditas foi tranquilo. Do início ao fim, os comandados de Stanislav Cherchesov não encontraram nenhum problema. E sem tanto esforço, um placar de 5 a 0 chegou a ficar barato. Os gols marcados Gazinskiy, Golovin, Dzyuba e Cheryshev (duas vezes) consumaram o resultado.

Uma goleada para a história: a Rússia atropelou
os sauditas para mundo ver (Fifa.com)
O meia do Villarreal, inclusive, foi o grande vitorioso na tarde em Moscou. O jogador, revelado pelo Real Madrid, não conseguiu se firmar no clube espanhol e errou na equipe em que falhas não são permitidas. Anos depois, Cheryshev lavou a alma e teve pelo menos um dia de glória para o mundo ver.

O ponto negativo ficou por conta de Dzagoev. A antiga promessa russa se lesionou ainda na primeira etapa e pode não mais entrar em campo. Uma pena! Dentre os russos, o atacante era um dos poucos que mereciam.

A Rússia não é favorita ao título, nem mesmo a classificação. Entretanto, a vitória na estreia eleva o saldo de gols e enche o time de moral, podendo sim beliscar uma vaga no mata-mata. Mas se não obtiver êxito em sua empreitada, os donos da casa já podem contar as suas próximas gerações que tiveram um dia de Copa do Mundo. Foi dada a largada!

Leia mais sobre a Copa do Mundo de 2018: