terça-feira, 13 de março de 2018

Um goleiro pode ser eleito o melhor jogador da Europa?


Desde que a Uefa transformou a cerimônia premiação dos melhores jogadores da temporada em uma festa semelhante a da Fifa, normalmente os resultados servem como uma prévia para a escolha do bola de ouro da temporada ou um como uma consolação para o craque que jamais teria chance de ser eleito o jogador mais completo do planeta. Em sete edições realizadas, Cristiano Ronaldo faturou três vezes, Lionel Messi duas, além de Iniesta e Ribéry, uma para cada.

Titulares em suas seleções, Alisson e De Gea são os goleiros da temporada (Edição: Tribuna do Cisco/Foto: Getty Images)


No entanto, um goleiro jamais foi lembrado como o homem que ergueria a bola estrelada da Europa. Pelo contrário, das sete eleições, apenas duas vezes mencionaram camisas 1. Manuel Neuer, em 2012/2013, ficou com a segunda colocação, e Gianluigi Buffon, que terminou na terceira posição em 2016/2017.

Alisson é o grande goleiro da temporada (Getty Images)
Para a atual temporada, a esperança é novamente alimentada. Isso porque Alisson, goleiro que se tornou titular da Roma com o técnico Eusebio De Francesco, não somente está protagonizando atuações impecáveis, como é o melhor jogador da equipe. O camisa 1 brasileiro é o grande responsável pela excelente campanha romanista na Liga dos Campeões e, nesta terça-feira, vai ser mais uma vez exigido para colocar os italianos entre os oito melhores clubes da Europa na temporada.

Obviamente, a tarefa não é nada fácil. Para que isso aconteça, o titular da Seleção Brasileira vai ter que ajudar a Roma a não só se classificar diante do Shakhtar, como também diante de um gigante. Isso não é exatamente impossível. Na fase de grupos, por exemplo, os italianos superaram Atlético de Madrid e Chelsea para terminar na liderança do grupo da morte.

Outro fator que dificulta é o momento da Roma na temporada. O time de De Francesco oscila na Europa, fazendo partidas convincentes como na vitória sobre o Napoli fora de casa por 4 a 2. Todavia, peca dentro de casa, como contra o Milan, no revés por 2 a 0.  Contra os ucranianos, nesta terça, o duelo é no Estádio Olímpico, em Roma.

Contudo, enxergando a situação por outro viés, Alisson vai ter mais uma grande chance para se consagrar com atos de heroísmo. E ser herói tem sido uma rotina do brasuca na temporada de altos e baixos de uma Roma que até vinha em uma boa forma nos anos anteriores. Além disso, sonhando um pouco mais próximo da realidade, as chances de o goleiro disputar o prêmio de melhor goleiro do Velho Continente são claras. Afinal, ninguém tem sido superior a ele na jornada. Apenas David De Gea tem atuações semelhantes, mas todos já conheciam a boa forma do espanhol. Enquanto o arqueiro romanista é boa novidade.

De Gea: uma carreira regada a grandes atuações e
interesse eterno do Real Madrid (Getty Images)
Vale ressaltar que o último brasileiro a ser eleito o melhor goleiro da Europa vestia a camisa 12, mas jogava no futebol italiano. Júlio César poderia sonhas mais alto, é claro. Aquela Internazionale, de 2009/2010, era anos-luz superior a Roma atual. É mais um desafio para Alisson e sua temporada de afirmação.

Nesta terça-feira, a Roma recebe o Shakhtar Donestk no Estádio Olímpico, em Roma, a partir das 16h45 (horário de Brasília). No confronto de ida, os ucranianos venceram por 2 a 1 e jogam por um empate.

Do outro lado da rodada de oitavas de final, o Manchester United, do brilhante De Gea, recebe o Sevilla. No jogo de ida, espanhóis e ingleses empataram em 0 a 0.

Da última vez em que o Manchester United passou para as quartas de final da Liga dos Campeões da Europa, Van Der Saar ainda era o titular na meta, Wayne Rooney era o grande destaque da equipe e, no banco de reservas, estava ele, Sir Alex Ferguson. Foi na temporada 2010/2011.