segunda-feira, 30 de outubro de 2017

Do quase título à queda de rendimento: Vettel foi melhor que a Ferrari em 2017

Era 3 de setembro, em Monza, na Itália. Dentro de casa, a expectativa dos ferraristas era de um fim de semana perfeito. Sebastian Vettel, o então líder da temporada, venceria mais uma prova e daria um passo importante para devolver os vermelhos ao topo do mundo na Fórmula 1. No entanto, o tiro saiu pela culatra, a Ferrari foi tomada em seu próprio terreno e teve que suportar a Mercedes fazer uma dobradinha que mudaria os rumos do ano de 2017.
Apesar da queda, Vettel foi melhor que a Ferrari em 2017 (Callo Albanese)
Aquele GP transformou Lewis Hamilton no líder do campeonato, ultrapassando Vettel. E nesse domingo, no Grande Prêmio do México, o inglês se consagrou tetracampeão mundial, se igualando, inclusive, ao alemão da Ferrari.

Na metade da temporada, Vettel liderava o
mundial com sobras
Contudo, em um ano no qual a Ferrari parecia que ia disputar de igual para igual com a Mercedes. Que estava na briga para encerrar um jejum de 10 anos sem título. Que observou o seu principal trunfo, Sebastian Vettel, flertar com a conquista em boa parte da temporada, e acabar por sofrer uma queda brusca nas provas derradeiras. O alemão, então, provou que, embora não seja mais talentoso que o campeão Hamilton, conseguiu ser pelo menos melhor que a sua própria equipe.

Passadas 18 provas, pela Ferrari, em 2017, Vettel conquistou quatro vitórias, 11 pódios e apenas quatro poles. O desempenho é o segundo melhor da temporada, o que representa a realidade. Porém, durante muitas provas, o alemão foi prejudicado por um carro que ainda está distante da Mercedes, que é tetra consecutiva do mundial de construtores.

E mesmo diante de tantos problemas, Vettel flertou com o título, liderou o mundial de pilotos na maior parte de 2017. Tanto é que, de 18 provas, o tetracampeão da F1 pela RBR só perdeu a ponta na décima terceira prova, em Monza.

Nesse domingo, Hamilton conquistou o tetracampeonato da Fórmula 1 (Getty Images / AFP)


Mas o derradeiro fracasso veio em Cingapura. A pista noturna é a casa mal assombrada da Ferrari desde que entrou no calendário da Fórmula 1.

Ironias à parte, a própria RBR, antiga equipe de Vettel, começa a superar a Ferrari nesta final de competição. O que é preocupante visando a temporada 2018. Já que, nesta, as glórias são prateadas.