sábado, 9 de setembro de 2017

O herdeiro de Xavi veste branco

Antes de começar, afirmo que o vem a seguir não é uma comparação sobre quem é melhor. Afinal, Xavi Hernández foi peça fundamental no time de melhor futebol do novo milênio até o atual momento. No entanto, não existiu, no Barcelona e na maioria dos clubes, alguém capaz de substituí-lo. Quer dizer, apenas um jogador conseguiu e ainda consegue destoar da maioria e representar o talento do antigo camisa 6 do Barcelona à altura. Senhoras e senhores, Luka Modric, o herdeiro de Xavi, veste branco.

A camisa 6 e os seus feitos transformaram Xavi Hernandez numa lenda (Divulgação / Barcelona)
Completando 32 anos, Luka Modric vive o seu melhor momento na carreira. Há cinco anos, o croata deixava o Tottenham como referência, mas o protagonismo de Gareth Bale atrapalhava o seu estrelado. No Real Madrid, no entanto, o meia explodiu, deixando até mesmo o craque galês – também companheiro no futebol espanhol - para trás.

Naquele que, por muitos, é considerado o maior Barcelona da história, Xavi tinha papel fundamental. Era o dono do meio de campo do elenco que apresentou Lionel Messi para o mundo. Mais do que isso, o camisa 6 catalão participou ativamente do projeto que levou o futebol espanhol novamente ao topo da Europa e pela primeira vez a elite do planeta.

O talento de Modric conquistou Zinedine Zidane,
o cara que passou o bastão para Xavi (EPA)
Contudo, antes mesmo de deixar a Catalunha, já se especulava se existiria ou quem poderia assumir o posto de Xavi no futebol. E obviamente, as Canteiras do Barcelona atrairiam os olhos do mundo. O Barça apostou no retorno de Cesc Fàbregas, no lançamento de Thiago Alcântara, mas nunca foi feliz novamente. É bem verdade que, já na reserva, Xavi participou da conquista de mais uma tríplice coroa em 2015, sob o comando de Luis Enrique. Porém, naquele elenco estrelado pelo trio MSN já não existia mais o brilho dos tempos de Pep Guardiola. Era um estilo de jogo bem mais individual, que se apoiava nas estrelas do ataque.

As apostas foram frustradas e o craque herdeiro de Xavi, por ironia do destino, já estava no maior rival do Barcelona. O futebol demorou a entender que Luka Modric já cumpria tal papel. Com a camisa 19, o croata encerrou o jejum de mais de 10 anos sem um título europeu pelo Real Madrid. E mais do que isso, o seu talento levou os Merengues a um bicampeonato inédito nesse formato atual da Liga dos Campeões da Europa.

Cinco anos, quatro temporadas e três títulos de Liga dos Campeões da Europa (Getty Images)



O tempo passou e, mesmo sem a grife dos grande centros, Modric conquistou no campo o direito de vestir a camisa 10 do clube mais vencedor do futebol. Sem a camisa azul e grená do Barcelona, mas com as credenciais sagradas de Xavi Hernandez, Luka Modric, da Croácia, herdou o seu posto.