domingo, 2 de julho de 2017

Discussão infantil na F1 incita a violência no trânsito

Confusão protagonizada por Sebastian Vettel e Lewis Hamilton no Grande Prêmio do Azerbaijão expõe fraquezas do ser humano quando "armado" com automóvel
Protagonistas da temporada, Ferrari e Mercedes não precisavam disso. (Reuters)

O Grande Prêmio do Azerbaijão foi, sem dúvidas, a prova mais legal de se assistir nesta temporada 2017 da Fórmula 1. Em uma disputa incessante por pontos, Lewis Hamilton e Sebastian Vettel, os multicampeões, protagonizaram uma cena bizarra e terminaram ofuscados por Daniel Ricciardo, vencedor da prova, Valtteri Bottas, segundo colocado e o surpreendente Lance Stroll, de 18 anos e na terceira posição.

Pouco antes da metade da prova, o Safety Car foi acionado e os carros seguiam próximos. Na frente, estava um Hamilton pilhado pela perda do título na temporada passada e sendo ameaçado por Vettel e Ferrari. Atrás, o próprio alemão tetracampeão do mundo e louco para se livrar do inglês e ter caminho livre para o penta. O problema em Baku tem início ao final de uma curva, mesmo com o carro de segurança na pista, Lewis dar uma freada brusca e surpreende Sebastian. Por mais que o líder da corrida possa definir a velocidade que os pilotos atrás sigam, o inglês não podia fazer aquilo naquela situação, foi baixo.

Surpreendido e indignado, Vettel toma uma atitude tão baixa quanto, vai para o lado do carro da Mercedes e joga ao seu de encontro com a Flecha de Prata. Por sorte, ninguém se machucou e o destino pôde deixar a corrida longe das mãos da dupla. Hamilton teve problema com a espuma protetora, logo atrás do seu banco e precisou seguir aos boxes. Enquanto isso, o alemão da Ferrari foi punido pela comissão de prova com 10 segundos e também não conseguiu recuperar uma vaga no pódio.

Durante a transmissão da TV Globo, emissora que detém os direitos da Fórmula 1 no Brasil, o narrador e jornalista Luís Roberto definiu muito bem o incidente: “o que é isso? Ele (Vettel) bateu de propósito, que nem batida de trânsito.” De fato, a confusão infantil proporcionada pelos dois maiores pilotos da Fórmula 1 da atualidade expõe o que de pior acontece com o ser humano quando está “munido” de um automóvel. As pessoas mudam, se transformam e apostam suas vidas como se o trânsito fosse uma corrida de Fórmula 1 ou qualquer prova que seja. No domingo passado, Hamilton e Vettel representaram o que de mais podre existe no manuseio de carros, deram um péssimo exemplo e incitaram a violência. Punição para ambos seria o mais justo.

Enquanto isso, no Mundial 2017

Confusões à parte, o cenário no campeonato de pilotos segue disputado. Tanto Vettel quanto Hamilton já venceram três vezes no ano, mas o alemão lidera o Mundial com 153 pontos, contra 139 do inglês. Valtteri Bottas é o terceiro, com uma vitória e 111 pontos, com a sombra de Daniel Ricciardo, o vencedor do Azerbaijão e do melhor sorriso da Fórmula 1 atual, se aproximando. O australiano chegou ao seu primeiro triunfo no ano e aos 92 pontos.

Em Baku, o carisma de Ricciardo se sobressaiu diante da
 infantilidade de Vettel e Hamilton. (Getty Images)
Representando o Brasil, Felipe Massa fazia em Baku a sua melhor prova na temporada, mas acabou tendo problemas na sua Williams e teve que abandonar. Curiosamente, Lance Stroll, o seu companheiro, conseguiu o primeiro pódio de sua carreira, com apenas 18 anos. Isso é muito curioso.

A Fórmula 1 retorna no segundo fim de semana de julho, nos dias 6, 7, 8 e 9, com o Grande Prêmio da Áustria. A RBR corre em casa para colocar de vez Daniel Ricciardo na briga, mas a tendência é que Lewis Hamilton e Sebastian Vettel novamente protagonizem a prova. Tomara que para o bem.