segunda-feira, 28 de novembro de 2016

Os *Cinco Melhores Jogadores do Segundo Turno do Brasileirão 2016

O Campeonato Brasileiro 2016 está muito próximo de conhecer o seu campeão. Restando apenas duas rodadas, O Palmeiras deve encerrar um longo jejum e se coroar campeão do Brasil. Seguindo o modelo desenvolvido ao final do primeiro turno, você pode conferir clicando aqui, elencamos os cinco melhores jogadores do segundo turno do Brasileirão, quem cresceu na reta final, quem surpreendeu e quem manteve uma consistência fundamental para levar o seu clube as posições de cima ou na fuga contra o rebaixamento. É o top 5 somada a uma faixa bônus do segundo turno do Brasileirão 2016, confira!
Confira os cinco melhores jogadores do segundo turno do Brasileirão 2016. (Cesar Graco/Ag. Palmeiras)



06 Camilo (Botafogo)


Camilo deu nova cara ao então ameaçado Botafogo.
(Vitor Silva / SSpress / Botafogo)
Com grandes perspectivas de rebaixamento, o Botafogo tinha tudo para realmente confirmar as expectativas da maioria. Para piorar a situação, Ricardo Gomes, que fazia um bom trabalho, foi treinar o São Paulo, deixando o Glorioso nas mãos de Jair Ventura, um técnico bastante jovem, uma aposta. O tempo passou e o Botafogo está classificado para a Taça Libertadores da América 2017. Contudo nada disso teria acontecido se Camilo, com excelente passagem pela Chapecoense, não tivesse assinado com o clube carioca e jogado o que jogou. O meia foi armador, transformando Sassá num artilheiro nato, o meia foi goleador, marcou gols tão bonitos que semanalmente ele faturava o gol do rodada, o meia genial. Camilo foi o camisa dez que o Botafogo precisava desde a saída de Seedorf, chegou no momento certo e se firmou como um dos melhores meias do país. Ele fica com a nossa sexta colocação diante da quantidade de craques que tivemos no segundo turno.

05 Diego Souza (Sport)

Diego Souza encontrou no Sport o melhor lugar
para firmar sua carreira. (Paulo Paiva/DP)
Se no primeiro turno medalhões como Robinho e Fernando Prass foram lembrados, no segundo, que mais chamou a responsabilidade foi Diego Souza. Meia-atacante de altos e baixos, Diego se reencontrou no Sport e desde o ano passado vem mantendo uma regularidade nunca antes vista, é o encaixe perfeito. Em 2016, principalmente no segundo turno do Brasileirão, um fato curioso, a quantidade de gols que o camisa 87 rubronegro conseguiu marcar, treze ao todo e disputa na artilharia. A temporada de resgate de Diego Souza foi fundamental para a permanência do Sport na série A do Brasileirão para 2017, é por essas e outras que Diego Souza é o quinto colocado de nossa lista.

04 Marinho (Vitória)

No Vitória, Marinho foi e fez de tudo. (Beto Jr/Correio)
Apelidado carinhosamente de “Di Marinho”, o ponta emprestado ao Vitória pelo Cruzeiro se destacou demais ao voltar ao futebol do Nordeste. Mais do que isso, Marinho foi um dos jogadores mais eficientes do segundo turno, marcando gols de bola parada, com brilhantes arrancadas, um repertório para lá de variado que que fez o meia da célebre entrevista se valorizar para a temporada que vem. É o quarto colocado de nossa lista

03 Diego (Flamengo)

O dono da bola! Diego chegou e assumiu o
 protagonismo. (Gilvan de Souza/Flamengo)
De volta ao Brasil após uma temporada de 12 anos no futebol da Europa, um dos atletas brasileiros mais injustiçados de sua geração, Diego Ribas escolheu o Flamengo para atuar. A opção foi certeira, Diego caiu como uma luva no elenco que carecia de um meia e não conseguiu resgatar Ederson das lesões. Diego elevou o moral da equipe, colocou surpreendentemente o Flamengo na Taça Libertadores, com direito a flertes de briga pelo título, deixando a torcida com muitas expectativas para o ano que vem. Gols, assistências e o fator principal, o “acalmar o jogo” de Diego quase o colocaram no topo de nossa lista, faltou o Mengão ser campeão. Com tantos feitos, Diego é a representação do que tivemos de melhor no segundo turno, ficou com a terceira posição.

02 Moisés (Palmeiras)

Para muitos, Moisés foi o cara do Verdão.
(Fernando Dantas/Gazeta Press)
Um meia diferente, sem grife e mídia, mas com muita raça para encerrar um jejum de 22 anos do Palmeiras sem título do Campeonato Brasileiro. Moisés foi, junto com Tchê Tchê, os principais responsáveis pelo fato de que o time de Cuca não caiu em momento algum do campeonato. O Verdão foi bem do início ao fim e o característico futebol de Moisés, meia de 28 anos com boa passagem pelo América MG, foi essencial para o triunfo alviverde. Arremessos de lateral que viravam passes para gols e a ótima forma para contra-atacar fez de Moisés tão importante quanto Gabriel Jesus e Fernando Prass foram no primeiro turno, é um jogador que o Palmeiras precisa manter para o ano que vem. O segundo lugar é seu, Moisés campeão brasileiro.

01 Tchê Tchê (Palmeiras)

Emoção, raça e talento! Tchê Tchê, o cara do segundo
 turno do Brasileirão. (Cesar Greco/Ag. Palmeiras)
E o melhor jogador do segundo turno do Brasileirão também se apresentou muito bem no primeiro, mas acabou ficando de fora. Danilo das Neves de Pinheiro, o Tchê Tchê, foi tão importante para o Palmeiras quanto N’Golo Kanté na conquista da Premier League do Leicester City. Obviamente, não se pode comparar a história do Brasileirão do Palmeiras com  a epopeia de Leicester, mas Tchê Tchê acaba transmitindo uma história marginalizada pela mídia, de um cara que não possui a grife Gabriel Jesus, mas que teve a mesma ou até maior contribuição para o feito. Volante moderno, um verdadeiro achado do Verdão para a disputa do Brasileirão, Tchê Tchê já havia feito um Paulistão de altíssimo nível pelo Audax. Seu primeiro ano de Palmeiras apenas confirmou um 2016 inesquecível para o garoto Danilo, campeão brasileiro, com mérito, talento e a eleição de melhor jogador do segundo turno. Vida longa a Tchê Tchê!

00 Bônus Revelação – Keno (Santa Cruz)

O Santinha caiu, mas Keno deve seguir na série A.
(Correio Popular)
No primeiro turno, Vitor Bueno, atacante do Santos vinha sendo o cara do campeonato no quesito revelação. Porém o rendimento do garoto caiu e acabou ficando para trás. Em uma temporada muito mais consistente que o menino da Vila, Marcos da Silva França, o Keno, foi a grande revelação do Brasileirão por completo, mas como estamos falando de segundo turno, vamos de segundo turno!  Keno não conseguiu evitar o rebaixamento do Santa Cruz, contudo, mesmo condenado, o atacante foi capaz de chamar atenção com atuações consistentes, notas altíssimas e, é claro, gols. 

* o asterisco se refere ao título da postagem, que apresenta os cinco melhores jogadores do segundo turno do Brasileirão 2016. Devido a grande quantidade de craques no decorrer do Campeonato, inserimos um sexto colocado, além do número zero que se refere a revelação do turno.