domingo, 23 de outubro de 2016

Mourinho “morreu” com o futebol italiano

Goleado por 4 a 0 em sua primeira partida contra o Chelsea após a sua segunda demissão no clube azul, José Mourinho vive um dos momentos mais importantes de sua vitoriosa carreira. São quatro anos desde o retorno a Inglaterra, o Special One só conseguiu uma temporada de consistência e regularidade, os tempos são sombrios após a sua Era de Ouro pela Internazionale. Nem mesmo passagens por Real Madrid, Chelsea e agora Manchester United conseguem blindar o português.
No clássico de hoje, Mourinho apresentou o tiki-taka no seu conceito verdadeiro,
posse de bola sem nenhum objetivo. (Getty Images)

Saída do Calcio significou queda

O auge da forma, um esquema até primitivo,
mas rendeu a tríplice coroa. (Getty Images)
Seduzido pelo Real Madrid após conquistar a inédita tríplice coroa pela Inter em 2010, Mourinho não pensou duas vezes, foi para Madri. Mais do que a tríplice coroa e as grandiosas épocas por Milão, Mou conseguiu anular o Barcelona de Pep Guardiola no auge de sua forma, com padrão de jogo bem definido e Messi no triênio de maior bom futebol já desempenhado, era o momento certo para o Special One partir para o novo desafio. Os anos de Real Madrid renderam diversas humilhações e supremacia de Guardiola, Mourinho só conseguiu um Campeonato Espanhol e uma Copa do Rei, colecionou inimigos até mesmo no seu vestiário. O mesmo aconteceu pelo Chelsea, dispensou estrelas, se viu traído por seu próprio elenco, mas o que será que será que aconteceu com o brilhante e arrogante técnico? O homem que teve convicção e resultados de uma Internazionale sensacional, que se apoiou em dois atacantes de ofício (Eto'o e Diego Milito), com um meia armador à moda antiga (Sneijder), mas que não conseguiu se firmar com equipes mais modernas. O senhor dos sistemas defensivos foi facilmente encurralado pelo Chelsea no jogo de hoje

Ponto fora da curva

Antes apoiado pelos craques, Mou agora não é
mais respeitado pelos seus. (Getty Images)
Nos seis anos fora da Serie A TIM, Mourinho só conseguiu uma temporada brilhante, foi em 2014/2015, liderados por Eden Hazard no seu grande momento da carreira até então, por um goleiro Courtois tão seguro quanto Petr Cech um dia foi, por um Diego Costa artilheiro e por Fàbregas querendo provar para o Barcelona o quanto havia sido injustiçado. A temporada foi perfeita, o Chelsea faturou o Double e prometia mais para os próximos anos, a lua de mel entre técnico e equipe relembrou a primeira passagem do português, incontestável, apaixonante. A época foi apenas um respiro de nostalgia, não significou nada além de um ano de sucesso, Mourinho e o elenco racharam e sobrou para ex-amado do torcedor dos Blues.

Manchester United e o verdadeiro tiki-taka

Tempos difíceis para o United, as suas estrelas
e o seu técnico. (Getty Images)
Em Old Trafford o futebol está horrível, o alto investimento e o elenco que o clube possui não condiz com o jogo jogado. No clássico de hoje, o United conseguiu uma porcentagem bem superior ao Chelsea no quesito posse de bola, mas pouquíssimas jogadas criadas. No real conceito do estilo que diziam consagrar Guardiola, Mourinho hoje apresentou o verdadeiro tiki-taka, muito toque de bola, sem nenhum objetivo. Discordando fielmente das palavras do português, que afirmou que o seu time até jogou bem e que o Chelsea não mereceu golear, o Manchester foi engolido e é muito preocupante.

Mudança de conceito

É preciso mudar, antes mesmo que o Calcio
volte ao cenário europeu. (Mundo ESPN)
É sem dúvida o pior momento da carreira de Mourinho, algo que o mesmo já havia falado ao deixar o Chelsea no ano passado, a situação atual é bem pior. Era natural que o Manchester United sofresse após a aposentadoria de Sir Alex Ferguson, vem pagando caro com apostas equivocadas e Mourinho vai confirmando ser mais um a cada rodada frustrante. Um plantel com De Gea, Baily, Juan Mata, Pogba, Rooney, Martial e Ibrahimovic não pode estar jogando um futebol tão feio e tão pragmático quanto esse do atual inferno astral vivido por José Mourinho. E é melhor mudar os conceitos enquanto é tempo, pois o Chelsea já renasceu, o futebol italiano está renascendo o treinador português segue estagnado, se vangloriando das conquistas do passado, de seis anos atrás.