segunda-feira, 17 de outubro de 2016

Mauro Icardi: diferente de Javier Zanetti, mas explosivo do jeito que a atual Internazionale precisa

Já são cinco anos de ostracismo, a Internazionale viveu de tudo após a conquista da tríplice coroa em 2009/2010. Houve a conquista do Calcio pelo Milan em 2010/2011 e também a hegemonia da Juventus até a atualidade. Jamais o clube Nerazzurri conseguiu sequer voltar a Liga dos Campeões da Europa, diversos técnicos, de múltiplas filosofias já passaram pelo Giuseppe Meazza, sem sucesso, é claro! Enquanto isso, o plantel também sofreu várias transformações, medalhões deixaram o clube, a geração para lá de vitoriosa foi se aposentando, se transferindo, fugindo do que seria um dos momentos mais complicados da história da Inter.
23 anos de idade, 4 como profissional e uma autobiografia lançada, Icardi é manchete para muitos anos. (Getty Images)
Jogador símbolo do clube na era de ouro, Javier Zanetti se aposentou em 2014, após dezenove anos de muito êxito pela Internazionale. A sua liderança era inegável e invejável, porém os tempos são outros e a tranquilidade da Inter dos tempos de Zanetti não era apenas do capitão e sim da equipe vencedora desde a sua construção. Javier era um líder nato, mesmo argentino, sua história é semelhante a Totti-Roma (semelhante, nada no futebol consegue idêntico a Francesco Totti), Buffon-Juventus e Maldini-Milan, a Inter era a sua casa e a história de sucesso do clube também é reflexo da passagem de Javier Zanetti.

Único clube a conseguir vencer a Juventus na temporada,
  a Inter precisou de atuação de gala de Icardi para
 conquistar o triunfo. (Getty Images)
Pois bem, chegamos ao ponto principal de nossa postagem. Mauro Emanuel Icardi Rivero, atacante argentino, vinte e três anos, explosivo dentro e fora de campo, as vezes tão apático como o momento da Internazionale, polêmico como nenhum outro atleta argentino na atualidade. Características de anos 1990 de um jogador moderno e que chama a atenção pela liderança que possui na equipe Nerazzurri, capitão, artilheiro e crítico nas horas vagas. Sim, já estamos falando da autobiografia lançada pelo atacante, a polêmica construída pelo fato de que Mauro criticou bastante a principal torcida organizada Interista  no episódio em que o próprio entregou a sua camisa a uma criança torcedora, mas os torcedores não permitiram que o garoto recebesse e o fizeram a devolver ao jogador. Icardi foi multado pelo clube e vaiado por muitos, enquanto amado por outros.

Será mesmo que Mauro Icardi errou ao lançar tão rapidamente uma biografia? Errou ainda mais ao criticar o principal setor de um clube de futebol? Ele já possui esse peso todo para tomar tamanha atitude? O fato é que o argentino paga os seus pecados ainda por causa da polêmica envolvendo outro atacante argentino. Em 2013, a então esposa de Maxi López confirmou o romance com Icardi e gerou um rompimento do atacante da Inter com os demais compatriotas argentinos. Após o acontecimento, Icardi jamais foi convocado para a seleção, dizem as más línguas que o próprio Lionel Messi vetou a sua convocação. Vale destacar que López é muito querido pelos companheiros, Icardi é mal visto em seu país, é um artilheiro sem seleção.
No auge da polêmica, Icardi dedicou gol a sua amada Wanda. (Getty Images)
O craque controverso, que representa os futebol argentino de tempos passados também simboliza novos tempos, uma nova realidade que a Internazionale não estava habituada, mas que necessita de tamanha explosão. Os números de Icardi mostram como o futebol tem o tratado com tamanha injustiça, já são 58 gols com a camisa azul e preta, ninguém fez mais do que ele nos últimos 4 anos. As críticas são exageradas, as polêmicas alimentam o mito de um jovem de 23 anos que ajuda o futebol de Milão a respirar por aparelhos, não é nem de longe o craque a torcida Nerazzurro queria, mas é o capitão que eles tanto precisam para fugir do ostracismo.