segunda-feira, 19 de setembro de 2016

Fórmula 1 2016 – Agosto e Setembro

Os meses de agosto e setembro representaram mudanças drásticas e muitas emoções no mundial de Fórmula 1. Nico Rosberg havia sido deixado para trás por Lewis Hamilton ao final de julho, mas a pequena pausa serviu para o alemão recuperar o fôlego e emplacar três indiscutíveis vitórias. O primeiro veio em Spa na Bélgica, triunfo importante que o trouxe de volta para o campeonato, depois Monza e a sua pista tradicional, por fim, ontem, na noturna Cingapura. Rosberg se tornou o primeiro piloto que jamais foi campeão a vencer em Marina Bay, será um sinal de um próximo futuro? Faltam apenas seis provas para a temporada 2016 chegar ao fim, apenas oito pontos separam Nico do tricampeão Lewis Hamilton, as curvas nunca foram tão apertadas e a dupla da Mercedes promoverá um duelo ainda não visto de tão perto.
Vencendo pela primeira vez em Cingapura, Rosberg se firma como favorito ao título. (Fórmula 1)

Deslanchou! Daniel Ricciardo foi outro que, junto as Mercedes, cresceu demais na temporada, se estabilizou em terceiro e esbanjou simpatia como de costume. Mesmo sem vencer em 2016, o australiano é o piloto mais regular depois de Rosberg e Hamilton, é claro! Parceiro de Ricciardo, Max Verstappen é o cara do futuro, o garoto consegue manter um bom padrão nos fins de semana, mas ainda demonstra imaturidade, essa que o torna apenas sexto na classificação de pilotos. Contudo, as expectativas são boas e o holandês é nome certo para as próximas disputas, vale destacar que, fora a Mercedes, Verstappen foi o único que conseguiu vencer uma prova na temporada.

Foi pela Ferrari que Felipe Massa viveu seus
anos gloriosos. (Reuters)
Fora das pistas, algumas mudanças já visando 2017, a primeira é que, após anos e anos de desconfiança, a McLaren confirmou a saída de Jenson Button da sua escala de pilotos titulares. O britânico passará a ser piloto reserva, descansando e acreditando que possa retornar em breve, enquanto o jovem Stoffel Vandoorne, belga de 24 anos, substituirá o campeão em 2009 e será parceiro de Alonso. Ainda são tempos duríssimos para a escuderia tradicional. Outra grande surpresa para o próximo ano foi o anúncio de Felipe Massa, o brasileiro vai se aposentar e o GP dos Emirados Árabes será a sua última prova como piloto da Williams e da Fórmula 1. Com 14 anos de Fórmula 1, Massa acumulou altos e baixos, venceu bastante em outros tempos e por muito pouco não entrou para a lista de campeões, quando acabou com o vicecampeonato em 2008. As saídas de Button e Massa são muito ruins para o automobilismo, mas pensando numa Fórmula 1 onde os jovens cada vez mais vão se destacando e os ditos imortais estão ficando para trás, talvez os novos ventos tragam novas opções para equipes de tanta tradição.

Decepcionando nas últimas três provas, Lewis Hamilton segue na briga e a sua experiência pode ser fator fundamental para vencer Rosberg nos momentos decisivos. Todavia os tempos mudaram e o inglês acabou ficando para trás em agosto e setembro, protagonizando corridas de recuperação em Spa, Monza e também em Marina Bay. Os pódios são importantíssimos, mas no momento em que Lewis não consegue superar Rosberg e Ricciardo, o campeonato vai se aproximando do fim e a mudança de mãos é quase que inevitável. Hamilton precisa mostrar sinais de reação.

A Fórmula 1 faz nova pausa e só retorna em outubro, onde o Mundial começa a ficar apertado, com direito a quatro provas que definirão realmente se teremos uma forte disputa ou se um dos dois da Mercedes despontarão para a glória. Em dois de outubro temos o GP da Malásia, em nove o GP do Japão, no dia vinte e três os Estados Unidos chamará para si as emoções e em trinta, encerrando o mês de outubro, o México vai trazer uma batalha decisiva.

Nos vemos por lá!