quarta-feira, 3 de agosto de 2016

O que realmente se salva no vexame carioca

Enquanto o Brasil chama atenção pelos vexames estruturais na Cidade Maravilhosa, a bola já rolou pelos Jogos Olímpicos no futebol feminino. A referência do título é voltada para as práticas esportivas, nesse mar de descaso das instituições brasileiras, os esportes salvarão os Jogos de um fiasco quase que total. Após o fracasso na Copa do Mundo e o título do Panamericano, o time de Marta, Formiga e companhia apresentaram um futebol melhor que a encomenda.
Um ótimo padrão tático para dar os primeiro três pontos do Brasil nos Jogos do Rio. (Getty Images)

O técnico Vadão comanda a Seleção feminina há dois anos, a continuidade do seu trabalho pode significar ótimas soluções para o esporte que tanto sofre no país do 7 a 1. Vieram fracassos e conquistas, mas o verdadeiro bom fruto de Vadão é a revelação de novas boas opções na equipe. Aos 21 anos de idade, Andressinha é a grande esperança para um promissor futuro da Amarelinha.

Na estreia contra a China, as brasileiras protagonizaram o jogo perfeito, tudo bem que a adversária era bastante limitada, mas a organização tática e o excelente poderio ofensivo ajudaram demais o time a engolir as chinesas e garantir os primeiros três pontos. Marta já não pode mais assumir o protagonismo que possuía há 7 ou 8 anos atrás, porém a sua presença, como também a de Formiga, são de suma importância para o plantel. Quem ainda vive boa fase é Cristiane, a atacante segue fominha, mas sua classe e vontade vão ajudar demais na campanha que almeja o inédito ouro.

Após tempos de crise e verdadeiro ostracismo, a Seleção feminina provou que os Jogos do Rio podem significar a volta ao topo das grandes seleções. O Brasil volta a jogar bem, se enquadra taticamente e possui peças de qualidades ímpares, o momento é muito propício e a hora é agora. A Seleção vai brigar pelo pódio com toda a certeza, o ouro será uma luta à parte, batalhará contra a força das grandes nações somadas ao investimento que não possuímos aqui. O bom futebol das meninas resiste e retorna para brigar pela inédita conquista dessa geração maravilhosa, o que sobra e salva a vexatória Olimpíada carioca.

O Brasil volta a campo no próximo sábado, em partida dificílima contra a Suécia, a primeira prova de fogo das meninas nessa jornada inicial.