segunda-feira, 25 de julho de 2016

Aurinegros com cifras de ouro

Próximo ao início de temporada na Europa, o Borussia Dortmund anunciou duas contratações gigantes em se tratando do país campeão do mundo. Mario Götze e André Schürlle vão vestir a camisa amarela e confirmam o alto investimento para voltar a levantar a Salva de Prata. Tomas Tuchel estreou na última temporada pelo Dortmund e o resultado foi satisfatório, o clube conseguiu se recolocar no cenário do grande futebol alemão, foi segundo colocado na Bundesliga e na Copa da Alemanha, além da vaga na Liga dos Campeões da Europa. O desafio agora é bater o Bayern de Munique, o gigante que se apropriou de suas minas de ouro dos anos passados.
O trio de ouro alemão vai jogar junto em 2016/2017. (Goal)
O time esperou bastante, se credenciou a segunda força da Bundesliga, mas foi ofuscado pelos Bávaros, perdeu suas peças importantes, pilares que consagraram a Era Klopp. Agora, Tuchel tem em mãos um elenco fortíssimo e comparável até mesmo ao Bayern de Ancelotti. A temporada é longa e o Dortmund prepara um elenco para brigar em várias frentes, do gol ao ataque, nomes de muita história, outros de talentos promissores, números expressivos que se unirão a Muralha Amarela na árdua e competitiva jornada do país tetracampeão do mundo.

Para encerrar o despache de estrelas, o Dortmund assumiu o risco e vendeu os que sobraram, Gundogan deixou a equipe um ano antes de seu contrato ser encerrado, o volante/meia seguiu para o Manchester City. Mats Hummels, um dos maiores zagueiros do mundo decidiu voltar a Munique e defender o Bayern de Munique, descumprindo o que havia prometido em tempos idos. Por fim, Henrikh Mkhitaryan, contratado para substituir Götze, seguiu para o Manchester United de José Mourinho, o camisa dez usufruiu o que pode, rendeu como nunca e deixou a equipe na mão. O ponto positivo é que a transferência foi recorde e o armênio abriu as portas para que o Dortmund pudesse abrir os cofres.

O sorriso de Tuchel após observar a lista de
 reforços do Dortmund. (Getty Images)
Em 2016/2017, o Borussia prepara o time da consistência, com setores muito bem preenchidos e apostas que ainda estão devendo. Os casos de Götze e Schürlle são distintos, mas podem se assemelhar com o passar do tempo. O primeiro precisa reconquistar o coração dos aurinegros, é necessário tempo e apoio de ambos os lados, mas a verdade é que o jovem Mario corre contra o tempo para não deixar a carreira passar. Já André Schürlle tem um problema muito maior, com um currículo interessante, de passagens por diversos clubes importantes e títulos consideráveis, o atacante não consegue se firmar em lugar nenhum e observa no Borussia a chance de ouro para se provar. O alto valor na negociação diverge do momento de Schürlle na atualidade.

Além dos reforços de luxo, jovens como Marc Bartra, Raphaël Guerreiro e Ousmane Dembélé desembarcaram na Alemanha, o primeiro é da base do Barcelona, chega para substituir Hummels, tarefa dificílima. O segundo chega com moral, foi peça importantíssima na conquista da Euro 2016 por Portugal e o último jogava no Rennes, o Borussia venceu a concorrência de gigantes como o Liverpool. Nem mais tão jovem, Sebastian Rode deixou o Bayern e seguiu o caminho inverso, buscará oportunidades com Tuchel no Signa-Iduna Park. Por fim, Mario Gómez também deve parar em Dortmund, o atacante abandonou o Besiktas por questões políticas e deve voltar ao futebol alemão. É centroavante e vai compor o elenco. 

Provável Escalação:

Bürki (Weidenfeller)
Piszczek (Durm) - Bartra (Ginter) – Sokratis - Schmelzer (Guerreiro)
Sahin (Bender ou Weigl) - Castro (Rode)
Schürlle (Błaszczykowski) - Götze (Kagawa) - Reus (Dembele)
Aubameyang (*Gómez ou Ramos)

No papel observamos um plantel digno de Bayern de Munique, a força do novo Borussia Dortmund supera o elenco de Klopp que chegou a final da Liga dos Campeões em 2012/2013. Falando nos rivais, os Bávaros estão num momento de transição, a chegada de Carlo Ancelotti pode resultar em diversos significados, ou rende muito bem por pregar um estilo mais pragmático, algo que o novo Bayern precisa ou pode dar errado, por pregar um estilo completamente diferente daquilo que Pep Guardiola cobrava, uma modificação drástica.

O momento é importantíssimo para o futebol alemão, a revolução em Dortmund e o Bayern de novo comando pode ajudar o desenvolvimento da Bundesliga. É chegado o momento de um novo campeão e o Borussia desponta como franco favorito.

* O nome de Mario Gómez está grifado pelo fato de a transação entre Borussia Dortmund e Fiorentina não ter sido concluída.