quarta-feira, 29 de junho de 2016

Missão Ouro Olímpico: Décima Terceira Tentativa

Após mais um pouco de projeto jogado fora, a Rio-2016 está prestes a começar e o Brasil precisava de um time de futebol para buscar o tão almejado ouro. Na nova empreitada de imediatismo, a Confederação Brasileira de Futebol optou por demitir Dunga e Gilmar, os então líderes dessa jornada rumo ao evidente fracasso. No acerto em demitir palhaço e bobo, vieram consequências que devem ajudar o grupo brasileiro na campanha do torneio, Tite assumiu o time principal e recusou a olímpica, abrindo espaço para Rogério Micale, técnico que já acompanhava os meninos e participou do vice-campeonato no Mundial sub-20 de 2015.
Sem holofote, Micale é o nome ideal para comandar a seleção olímpica. (Extraído de CBF.com.br)

A fortalecida campeã do mundo, a Espanha pelo caminho e o bravo país islandês

A fase de oitavas de final da UEFA Euro 2016 passou voando, confrontos eletrizantes, equilíbrio mantido em alguns jogos, a disparidade por parte de belgas e alemães e a classificação emocionante da Islândia embalaram a recém-inaugurada fase do torneio. A Alemanha está forte, enfim convenceu e passou por cima da Eslováquia, vencendo por 3 a 0, ainda assim o time campeão do mundo está devendo e não mostrou se realmente mereceu ter conquistado o tetra. Quem também foi muito bem foi a Bélgica, o time francófono atropelou com tranquilidade a Hungria, um 4 a 0 que enche de esperança a maior geração belga da história, equipe tem enormes chances de chegar a final.
O equilíbrio resume a Euro, que chega as quartas de final. (Tribuna do Cisco)

segunda-feira, 27 de junho de 2016

Messi e o emocionante choro de amor pela Argentina

Lionel Messi, cinco vezes eleito o melhor jogador do mundo, oito títulos do Campeonato Espanhol, quatro conquistas de Liga dos Campeões da UEFA, quatro Copas do Rei e três Copas do Mundo de Clubes. Chega a ser esquisito observar que o maior jogador do século XXI jamais conseguiu levar o seu país ao topo do continente ou do mundo, sua formação espanhola e o desprezo dos clubes argentinos pelo seu futebol sempre o afastaram do carinho por parte de imprensa, ex-jogadores e torcedores do país bicampeão do mundo.
No melhor desempenho, Messi provou empenho e sentiu  a dor como mais um filho do sol argentino. (Reprodução)

sábado, 25 de junho de 2016

Um recorde histórico e desgastante: a frustração de Oakland

O time do momento, aquele que já possuía o título de campeão nacional, aquele tinha um técnico vencedor dentro e fora de quadra, aquele que definiu um padrão de jogo para lá de inovador, aquele que é representado pelo maior fenômeno do basquete nos últimos tempos. A franquia de Oakland viveu o melhor momento de sua história, vencendo a guerra contra o Clevelend Cavaliers na finalíssima de 2014/2015, partindo para a temporada regular após a manutenção do elenco, com direito a ascensão ligeiríssima de Stephen Curry e seus companheiros. Jogo a jogo, o Golden State Warriors foi somando vitórias, vencendo, vencendo... Vencendo! A franquia foi levando a temporada regular com muita seriedade, com muita tranquilidade que a levou a quebrar um recorde digno da geração de Michael Jordan e por que não de Steve Kerr.

MVP unânime, Curry não repetiu o bom desempenho nos playoffs. (Today Sports)

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Equilíbrio até demais na fase de grupos da Euro

A fase de grupos da maior UEFA Euro da história terminou, confrontos de muito equilíbrio deram o tom em uma primeira fase de muita emoção, carisma e, é claro, bola na rede. Nem mesmo a dona da casa França conseguiu se sobressair, os favoritos ao título demoraram para vencer Romênia e Albânia, além de empatar com a Suíça. Campeã do mundo mais sem graça dos últimos tempos, a Alemanha custa para se firmar no cenário do futebol, depois de uma eliminatória razoável, os germânicos até jogam bem, mas estão longe de serem considerados absolutos, o jogo contra a Polônia comprova isso em todos os sentidos.
Grande destaque até então, Bale carrega o País de Gales para a fase final da Euro 2016. (Getty Images)

terça-feira, 21 de junho de 2016

Fórmula 1 2016 – Junho


Os Grandes Prêmios do Canadá e da Europa embalaram o mês de junho na Fórmula 1, a Mercedes segue em ritmo de treino, mas a disputa está aberta e Lewis Hamilton voltou para o campeonato. A classificação mostra a polarização, temos Rosberg incrivelmente liderando com 141 pontos e cinco vitórias, é o homem do momento, enquanto Hamilton voa baixo e já soma 117 pontos e duas vitórias. Fora Nico e Lewis, apenas a zebra Verstappen conseguiu cruzar primeiro a linha de chegada em primeiro lugar, o holandês de 18 anos está apenas na sexta colocação.
Rosberg comemora sua quinta vitória na temporada. (Reuters)

quinta-feira, 16 de junho de 2016

Os 7 pecados da segunda Era Dunga

Contratação controversa, trabalho bastante questionável, a segunda era Dunga enfim terminou. Eliminações para adversários fracos e uma equipe que não se encaixava foram os principais problemas para o novo desligamento do capitão do tetra, o pior técnico da história de nossa seleção pentacampeã é reflexo do que existe de mais desagradável na gestão que culminou no 7 a 1. A contratação de Tite apresenta um novo rumo para o time, a recuperação da fé no novo trabalho é o principal ponto de partida para o comandante, mas o começar do zero aumentará a pressão do atual campeão brasileiro. Pressão sempre caminhou junto ao agora antecessor de Tite, porém Dunga falhou demais em sua segunda oportunidade como técnico do Brasil, destacamos os 7 pecados capitais do estagiário de treinador nos dois anos de trabalho, este que levou a seleção a um poço mais fundo.

Protagonistas do mais recente vexame, o Brasil agradece a destituição de ambos. (Futebol Carioca)

quinta-feira, 9 de junho de 2016

Na maior e mais equilibrada UEFA Euro, a única certeza é que a Espanha ficará pelo caminho





Sede: França

Capital: Paris

Habitantes:
65 447 374 

Mascote:
Super Victor

Estádios: Stade de France e Parc des Princes (Paris), Stade Vélodrome (Marselha), Stade des Lumières (Lyon), Stade Pierre-Mauroy (Lille), Stade Bordeaux-Atlantique (Bordeaux), Stade Geoffroy-Guichard (Saint-Étienne), Allianz Riviera (Nice), Stade Félix-Bollaert (Lens) e Stadium Toulouse (Toulouse).

Edição: Décima Quinta

Atual Campeã: Espanha

Bicampeã consecutiva, a Espanha perdeu muita força nos últimos anos, seria o maior vexame de 2014 caso o Brasil não tivesse chamado a responsabilidade com o 7 a 1. Quatro anos depois da fácil goleada sobre a Itália por 4 a 1, os espanhóis não se reergueram e as chances de buscar o tri são mínimas. Com uma Espanha carente de bom futebol, a Europa se volta para a possibilidade de muitos times chegarem fortes na briga, a imensidão de candidatos faz da Euro 2016 a competição de seleções que ainda resiste. É a terceira vez que a França sediará a competição, a primeira aconteceu em 1960, a primeira Eurocopa já realizada, a segunda foi em 1984, com título para os donos da casa. Nesta edição, o número de participantes aumentaram, serão seis grupos com quatro países, classificando os dois primeiros de cada mais os melhores terceiros colocados, vamos aos grupos!
Chegamos a 2016 e Cristiano Ronaldo segue como a estrela maior do cenário europeu. (Tribuna do Cisco)

sexta-feira, 3 de junho de 2016

O Brasil que não deve dar certo

A Copa América Centenário começa hoje, uma boa ideia que unirá os continentes, é a competição mais antiga da história das seleções. O torneio reunirá toda a tradição sulamericana, que volta a disputa-lo um ano após a inédita conquista do Chile, além disso, os países da Concacaf receberão os convidados históricos para realizar um campeonato tão épico que poderia somar, com a UEFA Euro, um lugar no coração do torcedor. Argentina, Uruguai, Chile, México e porque não Estados Unidos, nações da América do Sul e duas do norte despontam com boas chances de chegar ao topo do campeonato centenário, todavia um país nada contra a sua história, segue complementando um ritual macabro que foi consumado há dois anos, mas que ainda pode/deve ser sepulcral em um futuro próximo. O selecionado de Dunga nunca esteve tão enfraquecido e o desempenho na Copa América é uma incógnita nesse momento de tormento que vive um dos maiores patrimônios de nosso país.
Alisson foi levado ao time principal do Internacional por Dunga. (MoWa Press)