sexta-feira, 6 de maio de 2016

UEFA Champions League Semifinais (Destaques)


Estamos na reta final! Definidos os dois finalistas da temporada mais inusitada do velho continente, Atlético e Real Madrid novamente se encontrarão para decidir quem fica com a gloriosa “Orelhuda” no dia 28 de maio, em Milão. É a primeira vez que dois clubes do mesmo país repetem uma decisão, dois anos depois, os Colchoneros sem apresentam mais seguros, mais preparados para duelar contra um Real que se tornou uma incógnita após La Decima. Os Madridistas se tornaram grandes fregueses do seu rival local, na Liga Espanhola e na Copa do Rei só acompanhamos derrotas e um empate, enquanto na Liga dos Campeões os brancos levam ligeira vantagem, vai pegar fogo!
A rivalidade se acirra e Atlético e Real vão de Lisboa a Milão para escrever o capítulo final de 2015/2016. (UEFA.com)
Antes das prévia decisiva, observamos duros duelos de semifinais, o gigante Bayern de Munique se despediu melancolicamente de Pep Guardiola, mesmo mantendo um ótimo padrão de jogo, o espanhol e os alemães sucumbiram diante de um esquema fenomenal proposto por Diego Simeone. O adeus foi bem triste, em três anos de Bavária, Guardiola acabou sendo eliminado por clubes espanhóis justamente em partidas semifinais. O semblante do espanhol era de abatimento total, ele mesmo demonstrou que faltou a Champions para celebrar totalmente sua sólida passagem pelo Bayern. Em relação ao clube, provavelmente teremos uma drástica mudança na função tática, Carlo Ancelotti é tudo que o clube precisa para reformar seu estilo de jogo, um formato mais convencional que deve ajudar o Bayern a construir uma história ainda mais fria e vencedora.

Padrão de jogo Colchonero complicou PSV, Barcelona,
 Bayern de Munique... Real?! (UEFA.com)
Do outro lado da moeda, o Atlético de Madrid dá mostras de que está consolidado no futebol europeu, o time perdeu peças, mas não perdeu a boa forma nem o espírito copeiro, eliminou diversos campeões nacionais, deu um show tático e prova que sua hora chegou. O clube de Diego Simeone está bem mais preparado que o de dois anos atrás, ainda é mais compacto e mais fatal, foram essas armas utilizadas na semifinal diante do Bayern. A equipe ainda contou com o brilhantismo de Griezmann, o lampejo de talento do jovem Saul e o espírito de batalha de Filipe Luís que se mostra cada vez mais a vontade no Vicente Calderón. O momento é de reflexão, os Colchoneros estão em alta e não podem deixar que a pressão complique a vida como complicou na final de Lisboa, o palco será Milão, o adversário será o mesmo e o resultado terá de ser diferente para enfim levantar a almejada taça.

Na outra semifinal tivemos um passeio, um claro jogo de uma equipe de camisa pesada contra um adversário que estava curtindo o momento de chegar a primeira vez na semifinal da Liga. O Real Madrid não deu maiores chances para o Manchester City, contou com a sorte no sorteio e mesmo assim só conseguiu balançar as redes dos ingleses uma única vez. Cristiano Ronaldo está em grande fase, recuperou o tom da temporada e o fato que comprova o bom momento foi a partida de quarta-feira, o gajo se movimentou de uma maneira que desmantelou a defesa dos Citizens, contribuiu demais para o grupo, respondeu a quem afirma que o três vezes melhor do mundo é apenas número. Zinedine Zidane recuperou o moral do grupo, trouxe a alegria de jogar para o time que andava desmotivado no final de temporada de Ancelotti e no estilo pragmático e limitado de Benítez.


1 a 0 no agregado, goleada no futebol. (UEFA.com)
O Real volta ao topo, o clube vem vivendo temporadas de altos e baixos e, mesmo sem conquistar a Liga Espanhola, tem tido uma representatividade importantíssima na Liga dos Campeões. O clube cresce, possui uma zaga sólida demais, Ramos reproduz o sistema defensivo perfeito, quando Pepe está bem, o Real é infalível. Marcelo dispensa comentários e Carvajal, Ah Carvajal, por que trouxeram Danilo? Sobre o gol, o Real campeão de 2014 tinha Casillas como a principal liderança, mas já era fato que o goleiro campeão mundial pela Espanha não vivia seus altos momentos. Hoje, Navas é absoluto, roubou a condição de Kiko Casilla na Liga, é absoluto, é perfeito, é o melhor goleiro Madridista dos últimos tempos, ainda há quem o critique por ser costarriquenho. Navas possivelmente será o diferencial do Madrid na decisão, é o ponto altíssimo na temporada. O meio para frente não precisa ser analisado profundamente, mas que fase Modric! O BBC novamente tem a chance de superar o MSN e confirmar a grandeza do Real em Ligas dos Campeões.

Manuel Pellegrini vai encerrando sua passagem por Manchester com um saldo positivo, apesar de altos e baixos, o chileno foi o primeiro a levar os Citizens as semifinais da Liga, mas o desempenho de seu time nas partidas de ida e volta foram tão decepcionantes quanto a temporada do Chelsea, por exemplo. Um padrão de jogo irreconhecível, apenas Hart se safou, o desempenho dos atletas deixou claro que Pep Guardiola precisará limpar o plantel e trabalhar bastante para não permitir que esse time caia no comodismo. No delicado momento que vive o futebol inglês na grande competição internacional, o City destoou, conseguiu um importante feito para a sua história, o futuro pode ser interessante no Etihad Stadium, mas que a sua campanha em semifinal de Liga até então é decepcionante e inesquecível. 


Destaque da rodada: Atlético de Madrid

Mico da rodada: Manchester City

Craque da rodada: Antoine Griezmann

Golaço da rodada: Saúl Ñiguez (Atlético 1 x 0 Bayern)