domingo, 29 de maio de 2016

Fórmula 1 2016 – Maio


Maio se encerra com a temporada se acirrando, a tranquilidade de Nico Rosberg já passou e o alemão não conseguiu o pódio nas últimas duas provas, enquanto Lewis Hamilton venceu a primeira em 2016, faturou o GP Mônaco, roubou a segunda colocação no mundial e terminou o mês com tudo. Um mês bastante movimentado no mundo do automobilismo, tivemos a vitória de um holandês que quebrou diversos recordes, além de ser o primeiro de seu país a conquistar um Grande Prêmio, Max Verstappen também conseguiu, ao cruzar a linha de chegada na Espanha, se tornar o mais jovem piloto a vencer uma corrida de Fórmula 1, ele tem apenas 18 anos.
Lewis Hamilton encerrou o mês com vitória, o inglês entrará de vez na temporada? (Getty Images)
O Grande Prêmio da Rússia foi o último vencido por Rosberg na temporada, a sequência do único candidato possível a rivalizar com Hamilton era impressionante, quatro vitórias consecutivas e soberania diante do companheiro e algoz. O jogo mudou e o acidente entre os dois pilotos na Espanha parece não ter sido favorável para o alemão, tendo em vista a rápida reação de Hamilton na corrida de hoje, contou com a sorte e mostro muita habilidade, ainda é o cara do momento, mas vai ter que correr atrás do prejuízo. O mundo da Fórmula 1 segue polarizado, a RBR se articula para crescer, colocou Verstappen no topo, porém teve uma grande oportunidade de deixar Daniel Ricciardo no páreo, tinham a pole em Mônaco e também tinham um piloto com sede de vitória. A falha no pit stop acabou com os planos do australiano e dos austríacos, isso ficou evidente no semblante de Ricciardo no momento do pódio.

A Ferrari ainda não conseguiu se definir, é verdade que presenciamos um crescimento significativo de Kimi Raikkonen e Sebastian Vettel nos últimos meses, todavia ambos oscilam sobre quem vai abandonar a prova e quem vai brigar na parte de cima, esse tem sido o ritual da escuderia italiana na temporada. Em contrapartida, quem surpreendeu no fim de semana foi a McLaren, a equipe que parecia morta conseguiu colocar Fernando Alonso e Jenson Button na quinta e na nona colocação de Mônaco, respectivamente. A equipe promete entrar forte na concorrência daqui a alguns anos e a evolução da dupla é fundamental para isso ser confirmado.

Para a Fórmula 1, o Brasil segue como um mero figurante, enquanto observamos a ascensão holandesa, os Felipes, Massa e Nasr, competem como pode em suas escuderias. A Williams confirmou que não vingou, a equipe era apontada como a futura grande rival da Mercedes, mas os erros internos complicaram demais a vida de Bottas e Massa, o brasileiro tem oscilado e disputado apenas as zonas de pontuação. Já Felipe Nasr o objetivo é bem mais complicado, ele corre para se manter nas provas, o problema é que normalmente o carro não se sustenta e o jovem tem que abandonar as provas, a vida segue duríssima para o Brasil e em maio não foi diferente.

A disputa novamente será entre Nico e Lewis, o alemão tem a chance da vida, tem a vantagem e a regularidade que foi abalada no mês de maio. Hamilton tem a experiência de ser tricampeão (bi consecutivo), tem o talento que apresentou desde a sua estreia na F1 em 2007 e também tem o carro de Rosberg, então só dependerá de si para buscar o topo mais uma vez. De longe, teremos uma boa briga pela terceira colocação, pelo menos por enquanto, Sebastian Vettel, Kimi Raikkonen, Daniel Ricciardo e por que não colocar Max Verstappen? É jovem e já tem maturidade por já ter chegado a vitória como profissional, a emoção está voltando com o passar do tempo, mas ainda é preciso chegar o fim da hegemonia da Mercedes. Enquanto isso, temos velhos novos duelos entre Rosberg e Hamilton, até junho!