sábado, 23 de abril de 2016

O desafio do pequeno grande no desfecho inglês

A Premier League mais inusitada da história do futebol inglês está chegando em seu momento decisivo, enquanto o Leicester vai vivendo seu conto de fadas e os gigantes nadam de braçadas rumo ao fracasso, há um clube que ainda briga firme pela conquista, joga um futebol digno e precisa se provar. O Tottenham possui um projeto há tempos e jamais conseguiu fazer frente ao rival tradicional de Londres, o Arsenal, ou ao irmão milionário, o Chelsea. Harry Redknapp, André Villas-Boas, Tim Sherwood, tivemos nomes de muita experiência a apostas em jovens treinadores, o fato é que apenas um coloca os Spurs no topo ou pelo menos na briga pelo topo do futebol mais tradicional do futebol, Mauricio Pochettino protagonizou uma carreira discreta como atleta, defendeu a Seleção argentina e rodou Espanha e França, como técnico, uma carreira meteórica e trabalhos fenomenais.
O conjunto mais completo, a frustração pelo desfecho no desafio final na caçada pela Premier League. (Getty Images)
Daqueles rapazes que prezam pela discrição, não possuem grifes dignas de técnicos europeus, Pochettino resgatou o Southampton do ostracismo e o seu feito com o Tottenham é ainda maior, tendo em vista o resgate de alguns jogadores que pareciam não ter mais espaço em White Hart Lane. Além disso, o argentino se apoiou na descoberta de grandes talentos, em especial ao genial Harry Kane, homem de confiança do treinador que tem chamado a responsabilidade desde que foi lançado na equipe principal do clube da capital. O feito do Leicester City, do comum Claudio Ranieri é digno de aplausos, espanto e total apoio, todavia a solidez do Tottenham de Pochettino deve ser ofuscado pela liderança dos Foxes, é por essas e outras que os Spurs terão um desafio ainda maior na reta final da Premier League das surpresas, ser mais regular que a sensação da temporada e ultrapassá-la mesmo com jogos mais complicados.

O Tottenham é fantástico, é sem dúvida o clube de melhor futebol na temporada inglesa, a qualidade individual de possíveis futuros gênios, o encaixe da equipe, os resgates de nomes que eram descartáveis, temos um conjunto que deu certo. Lloris é firmado como titular e possui liderança ideal para assumir os erros e acertos da defesa, Toby Alderweireld vivia um declínio técnico com pouquíssima idade, o futebol inglês salvou sua carreira, aquela que seria de figurante e hoje é considerado um polivalente, um zagueiro jovem, aguerrido e pronto. Há outros pilares, Eric Dier e sua temporada fenomenal, digna de várias especulações da possível contratação por parte de gigantes, Kyle Walker, o lateral direito que surgiu com muitos holofotes, mas estava despencando e foi resgatado por Mauricio.

Os pilares de Pochettino e a afirmação dos Spurs.
(Getty Images)
Chegamos aos pontos de referência daquele clube que massacra os adversários, o único que consegue amedrontar o Leicester e o que consegue manter a regularidade necessária para uma liga tão badalada e disputada. Primeiro temos Dele Alli, um garoto de 20 anos, um achado, o tiro certeiro de Pochettino, um menino que é meia, volante, ponta e artilheiro, um jogador com recurso que marca gol digno de Puskas, que serve atacantes como um Ryan Giggs. Christian Eriksen era craque no Ajax e despontou na seleção dinamarquesa, isso não foi suficiente para atrair um Manchester United, um Barcelona ou outro grande milionário, o Tottenham viu e bastante regular, o meia chega ao seu auge com apenas 24 anos, é aquele jogador que sabemos que é diferente, que faz a diferença. Por fim, o showman, Harry Kane é jovem, é matador, é líder e tem recurso, é o ponto crucial na virada na vida do Tottenham, é bem verdade que a contribuição de Gareth Bale para o clube de White Hart Lane foi imensa, dentro de campo com talento e fora dele devido as cifras depositadas pela contratação pelo Madrid.

Por outro lado, Kane é mais, ele representa mais que o Tottenham, ele tem a chave para desequilibrar o futebol inglês e colocar a Seleção nacional no topo, é a alternativa para brigar na artilharia, também é o responsável principal por fazer dos Spurs um candidato ao título e é maior merecedor desse momento único do pequeno gigante inglês. O desafio do Tottenham é o maior da Premier League na atual temporada, o Leicester agora é favoritíssimo a conquista inédita, porém os londrinos tem o melhor futebol e dificilmente terá a oportunidade de repetir a consistência apresentada em 2015/2016. O momento é único e deve ser celebrado, todavia, caso o título não venha e não deve vir, os desafios seguirão e serão ainda mais complexos para Pochettino e o pequeno grande inglês, na manutenção do elenco e na missão inédita de vencer o campeonato nesse formato. 

Confrontos do Tottenham nas últimas quatro rodadas da Premier League:

35° Rodada Tottenham x West Bromwich

36° Rodada Chelsea x Tottenham

37° Rodada Tottenham x Southampton

38° Rodada Newcastle x Tottenham