segunda-feira, 7 de março de 2016

UFC 196: A sorte esteve lançada.


"If you like to gamble, I tell you I'm your man. You win some, lose some, it's all the same to me". Lemmy Kilmister em poucas frases faladas rapidamente, enquanto tocava seu contrabaixo, nos ensinou o necessário para saber quando você quer apostar com qualquer coisa. Seja ela de alto ou baixo risco, você não tem o controle da situação e tudo pode acontecer. Os donos do UFC são magnatas do ramo dos jogos de azar nos EUA e, devido o últimos problemas, só uma alternativa ficou à vista dos administradores: Apostar. E foi assim que Conor McGregor entrou na história. 
o Funcionário do mês. (yahoosports.com)

Nunca é demais lembrar que o UFC é negócio, com uma gestão voltada para resultados superavitários em conjunto com um espetáculo que agrade os consumidores. Desde os acontecimentos passados com Anderson Silva, GSP e Jon Jones, sempre enfatizamos que o UFC ficou órfão de referência, assim deixando brecha para a construção da imagem de Ronda Rousey, praticamente carregando o torneio sozinha na mídia não especializada. Tudo foi feito para Rowdy ser a grande estrela e ter seu legado construído. E essa foi a aposta, Ronda se achou uma heroína e, bem, já sabemos o que aconteceu.

Coletiva com Aldo. (Yahoosports.com)
Em dezembro, o mundo do MMA foi chocado ao ver José Aldo inconsciente no chão após ínfimos treze segundos. O responsável por isso já estava surfando a onda do UFC, mas ao derrotar o líder do ranking geral, ele tinha atingido à crista da onda. McGregor estava em todo lugar! Carisma, habilidade, eloquência e uma postura voltada para negócios. Dana White nunca fez questão de esconder sua admiração pelo irlandês. O cara era uma máquina de fazer dinheiro, era preciso dar toda a atenção que ele demandava. Era simples, esperar Aldo se reerguer e fazer a revanche. Muita grana e pouco risco, o cenário perfeito para ganhar dinheiro. Ou era.
O Notável não viu vantagem nisso tudo, esperar Aldo poderia fazê-lo perder holofotes e ele foi adiante. Desafiou o campeão da categoria de cima, Rafael dos Anjos. O brasileiro é um lutador excelente, mas não tem o carisma do irlandês, o que diminui o apelo de seus eventos. A bala de prata seria usada mais uma vez. Vários motivos relacionados à preparação do Irlandês foram usadas como justificativa para o duelo, e tudo fazia sentido, pois McGregor é muito grande para a categoria dos Penas e sofre muito com o corte de peso. Conor fala bem, faz qualquer entrevista virar um espetáculo e suas declarações são manchetes na internet! Ele é o evento, ele é o showman e ele é o atual Box Officer do UFC. Somado tudo isso ao fato de participar de coletivas de imprensas contra brasileiros tímidos e taciturnos, a publicidade fica ainda mais fácil. Porém, nunca se esqueça sobre o "controle" mencionado na introdução.

O Ator e o Bad-Boy. (Bjpenn.com)
Dos Anjos se machucou a quinze dias da realização do evento! Cancelamento estava fora de cogitação e precisavam de um substituto imediato. Aldo rejeitou, Edgar idem e a missão foi aceita por Nate Diaz. Com apenas onze dias para se preparar, Nate acordou uma luta de peso casado em 170 libras, pois ele não teria condições de cortar para uma luta nos Leves. Era para ser uma exibição, manter Conor em alta e prosseguir com a reconstrução do UFC. Era.

Dana White sempre faz questão de frisar na loucura dos irmãos Diaz, a intempestividade deles é conhecida e nunca houve controle sob à personalidade deles. Enquanto Conor atua como um Bad-Boy, Nick e Nate nunca precisaram disso, pois eles são de verdade. As coletivas de imprensa, pesagem ou qualquer outro evento viraram potenciais confusões generalizadas porque Conor não estava mais fazendo piadas com brasileiros que nem as entendiam direito, agora era com alguém que não aceitava o tratamento. 

Fazer piada com Diaz é diferente. (Sportv.com)
Acabada a promoção, teríamos o duelo e estava claro que o Notável contabilizaria mais uma vitória. E o roteiro seria o mesmo, provocações e insultos a qualquer lutador que estivesse em seu radar. Entretanto, ninguém imaginou que Nate conseguiria se preparar bem. Subestimaram o boxe de primeira linha, esqueceram que Conor é um faixa-branca no chão e seu adversário um casca-grossa de verdade. Conor bateu, ficou quieto e teve de engolir a seco o resultado negativo de sua aposta. Nate curtiu todo o momento, falou todos os palavrões que tinha direito e saiu bastante fortalecido no UFC. A lógica seria credencia-lo ao cinturão de novo e ver como a categoria vai ficar. Porém, é um dos irmãos Diaz, não é possível prever nada.

Para o UFC, outras apostas estão no gatilho e muitos eventos legais já foram confirmados. Para McGregor, um pouco de realidade, pois na divisão dos leves ele pode não ser quem acha que é. E se você aposta muito, pode perder tudo! Conor pareceu o As de Espadas, mas no fim da noite, foi o joker. 
E ele bateu.... (Sportv.com)