terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

Duplas dão o tom a Premier League

Seguindo no embalo do Leicester líder absoluto do campeonato mais equilibrado e disputado do planeta, se percebe algo interessante no desenvolvimento da Premier League nos últimos anos. É bem verdade que o Leicester é mais do que Mahrez e Vardy, o time tem um conjunto bem encaixado e um Claudio Ranieri num momento único de sua carreira, contudo as duplas vem dando o que falar a cada temporada, dando o tom naquele campeonato que também apresenta para o mundo gigantes do futebol. Segue a lista com algumas duplas que se destacaram na atual década e vão chamando a responsabilidade por seus clubes ou pelo menos as que ainda permanecem intactas e não foram dissipadas por outros clubes.
Evra e Vidic ergueram a Premier League juntos no fim da década passada, sintonia até na conquista.
(The Guardian)

  1.   Demba Ba/Papiss Cissé: Newcastle United 2011/2012

Ba, Cissé e o Newcastle no G4. (Getty Images)
Alan Pardew foi contratado pelo Newcastle em 2011 para colocar os clube no eixo que havia deixado há um tempo, apesar de hoje o projeto já ter ido por água abaixo, o treinador conseguiu colocar o alvinegro entre os quatro primeiros na Premier League. A sensacional campanha aconteceu na temporada 2011/2012, quando o Newcastle contava com o auxílio de uma dupla fora de série, o senegalês Demba Ba e o compatriota Papiss Cissé. É fato que a dupla não rendeu junto, mas um dos dois seguiu boa forma em momentos distintos, ajudando demais o Newcaslte naquela campanha que coroaria a volta da tradicional equipe a Liga dos Campeões, porém a fajuta regra da UEFA fez com que o Chelsea roubasse a vaga do clube de St James Park graças a conquista em Munique, foi cruel e decepcionante.

  2.   Jonathan de Guzmán/Michu: Swansea City 2012/2013

Guzmán e Michu levaram o Swansea ao título da Copa da Liga.
(Getty Images)
O Swansea City foi o primeiro clube do País de Gales a dar trabalho aos gigantes na Premier League, além da campanha fenomenal no Campeonato, o time conseguiu conquistar com méritos a Copa da Liga Inglesa na temporada 2012/2013. Eliminando o Chelsea, atual campeão da UEFA Champions League na época, a dupla De Guzmán e Michu se valorizaram mais do que os demais, também não é para menos, o holandês e o espanhol jogaram mais partidas e ainda foram os artilheiros do clube galês. O rendimento foi tão fenomenal que o Napoli apostou na fórmula de sucesso, contratou a dupla junto ao Swansea para tentar repetir o feito, a aposta não deu certo e nenhum dos dois atletas permaneceram em solo italiano, seguiram para a Espanha, De Guzmán defendo o Villarreal e Michu veste a camisa do Rayo Vallecano.

  3.   Daniel Sturridge/Raheem Sterling: Liverpool 2013/2014

Sterling foi revelado e Sturridge como nunca,
o Liverpool que escorregou na reta final. (AP)
Luis Suárez foi o maestro da campanha do Liverpool de Brendan Rodgers na temporada 2013/2014, mas uma dupla revelação ajudou demais o uruguaio naquela que seria a temporada do fim do jejum dos Reds. Daniel Sturridge foi revelado pelo Manchester City, teve uma temporada apagadíssima pelo Chelsea e chegou ao Liverpool como uma aposta de Rodgers, técnico do clube na época, deu certo! O atacante inglês encontrou no jovem Raheem Sterling a companhia perfeita, os dois juntos tinham uma sintonia perfeita, Sturridge rendeu como nunca, marcou muitos gols, ajudou Sterling a se afirmar e se apresentaram para o futebol inglês de uma forma que os ingleses ficaram aliviados. A dupla dos belos gols e passes ficaram apenas na temporada 2013/2014, com o vice-campeonato da Premier League, após o feito Sturridge nunca mais foi o mesmo e as lesões não o permitem jogar futebol de alto nível. Sterling se valorizou e fechou uma transferência astronômica para o Manchester City, nunca mais foi o mesmo de 2014.

  4.   Sadio Mané/Graziano Pellè: Southampton 2014/2015

Sobrenomes de craques, Mané e Pellè e os Sains
 surpreendentes. (Montagem: Instagram/Youtube)
Antes da febre do Leicester City imbatível, tivemos um Southampton de Ronald Koeman surpreendendo a Inglaterra e figurando o G4 mais disputado da Europa. Os Saints contaram com uma ajuda de uma inusitada dupla, Sadio Mané tem sobrenome de craque e Graziano Pellè nem se fala, senegalês e italiano se sobressaíram e carregaram o time vermelho e branco numa campanha excepcional do clube que figurou as primeiras posições do campeonato até a metade da temporada, perdendo fôlego graças a um elenco mais limitado comparado ao campeão Chelsea. O fato é que Mané e Pellè mantiveram a forma e continua apresentando um ótimo futebol pelos Saints, é verdade que o rendimento do clube nunca mais foi o mesmo, mas a dupla de muito nome tem talento, faro de gol e assusta os adversários.

  5.   Cesc Fàbregas/Diego Costa: Chelsea 2014/2015

Costa e Fàbregas foram protagonistas no absoluto
 Chelsea de 2014/2015. (Action Images)
Eden Hazard foi o craque da Premier League passada, mas a dupla que ajudou demais o Chelsea campeão absoluto sob comando de José Mourinho. Fàbregas conseguiu apagar todos os seus anos de Barcelona, rendendo como nos tempos de Arsenal e sendo ainda mai eficiente, foi disparado o rei de assistências da Liga, ajudando demais o artilheiro da temporada, o seu parceiro de clube e seleção Diego Costa. Sintonia que faltou na seleção jamais deixou a desejar nos Blues, campanha perfeita, passes perfeitos e gols mais do que sensacionais, a dupla chamou a responsabilidade e garantiu o quatro título do Chelsea, além da Copa da Liga Inglesa.
  
  6.   Riyad Mahrez/James Vardy: Leicester City 2015/2016


Mahrez e Vardy elevam o nível da sensação da temporada.
 (ESPN)
A dupla do clube que vem dando o que falar na Premier League é realmente a mais impressionante dos últimos anos, a temporada já passou da metade e o time de Claudio Ranieri ainda está firme e forte na ponta da tabela, confrontando gigantes de igual para igual e mostrando que segue na briga pela conquista inédita. Riyad Mahrez é um jogador fora de série, o meia dá passes de curta, média e longa distância, finaliza muito bem e normalmente se destaca nos jogos, tem uma regularidade absurda. Já James Vardy é aquele matador nato, está no lugar certo na hora certa e, mesmo se descobrindo aos 27 anos, o inglês é uma ótima pedida para qualquer clube na Inglaterra. Está realmente bonito assistir ao Leicester jogar e muito disso se deve ao meia argelino e ao atacante britânico.