domingo, 6 de setembro de 2015

Em terreno da Ferrari, quem domina é a Mercedes

Lewis Hamilton segue sua jornada pelo tricampeonato mundial, o britânico conseguiu a décima primeira pole e a sétima vitória em 2015, se distanciando cada vez mais dos seus adversários. O triunfo em Monza teve um desfecho bastante polêmico, mas após quase três horas de análises, a FIA rejeitou alterar o resultado final e deu mais 25 pontos ao inglês. O Grande Prêmio da Itália tinha tudo para coroa uma nova dobradinha da Mercedes, mas o carro de Rosberg acabou não colaborando, enquanto que o talento de Hamilton reinou o inglês decidiu dominar o fim de semana.
Em vitória polêmica de Hamilton, Felipe Massa subiu ao pódio e se estabilizou na quarta colocação do Mundial. (Getty Images)
Sebastian Vettel mostrou porque adora a pista de Monza e garantiu a segunda colocação, o alemão da Ferrari se aproxima de Nico Rosberg pelo menos na briga pela segunda colocação geral. Felipe Massa obteve um resultado bastante satisfatório, o brasileiro venceu seu companheiro de equipe Bottas e administrou a quarta colocação até a penúltima volta, quando o carro de Rosberg apagou, premiando o piloto da Williams com um lugar no pódio. Vale destacar que Massa é o primeiro colocado entre os pilotos que ainda não conquistaram uma vitória em 2015, o brasileiro está na quarta colocação, um desempenho excelente relembrando que a Williams não cumpriu o que prometia.

Na classificação final, tivemos um pouco do mesmo, Mercedes, Ferrari, Williams, Force India e lá em baixo as duas McLaren, o desempenho de Fernando Alonso, Jenson Button e o carro da equipe é bastante contestável, mas a dupla deverá permanecer para a próxima temporada. Contudo o grande destaque do GP da Itália aconteceu logo após o final da prova, Lewis Hamilton, o então vencedor não apresentava sinais de alegria, parecia preocupado, teria sido tudo em vão? A espera foi enorme, o grande problema foi a pressão dos pneus do carro da Mercedes, que estaria abaixo do limite permitido, confira o comunicado final da FIA sobre o caso:

“Após ouvir o delegado-técnico, representantes da equipe e o time de engenheiros da Pirelli, os comissários determinaram que a pressão dos pneus estavam dentro do limite mínimo recomendado pela Pirelli quando estes foram colocadas no carro.

De acordo com a determinação da pressão dos pneus, os comissários notaram que os cobertores térmicos haviam sido desconectados da alimentação de energia, como procedimento normal, e os pneus ficaram significativamente abaixo da temperatura máxima permitida para o cobertor térmico no momento da aferição da FIA no grid, e significativamente diferente das temperaturas de outros carros medidos no grid.

Em seguida, os comissários ficaram satisfeitos que a equipe tenha cumprido os procedimentos especificados, supervisionados pela fornecedora de pneu, com relação a questões de segurança. Assim, os comissários decidiram não tomar nenhuma decisão a mais. De qualquer forma, os comissários recomendam que a fornecedora de pneus e a FIA realizem  futuras reuniões para promover claras orientações às equipes sobre os protocolos de medição"

Com o resultado mantido, Hamilton (252) abriu 53 pontos de vantagem para cima de Nico Rosberg (199), enquanto Sebastian Vettel (178) está em terceiro e se aproxima do compatriota. Na reta final, temos uma Fórmula 1 praticamente decidida, é questão de tempo para que Hamilton confirme o tricampeonato mundial, a briga seguirá acirrada pela segunda colocação, Vettel cresce e Rosberg vai acumulando fiascos. A próxima prova será em Cingapura, a prova noturna acontecerá em 20 de setembro, a expectativa é um pouco mais do mesmo, fracasso da McLaren, triunfo da Mercedes e erros da Williams.

Até a próxima!