terça-feira, 29 de setembro de 2015

De volta à rotina

O Grande Prêmio do Japão confirmou as expectativas, a Mercedes voltou a dominar o fim de semana e respondeu bem a derrota para a Ferrari em Cingapura. Mesmo com a pole de Nico Rosberg, Hamilton se impôs na corrida e roubou a posição logo na largada, foi inteligente, foi fácil e não deu chances para mais ninguém. O britânico segue em sua temporada perfeita e consegue desbancar a Ferrari em quase todos os aspectos, vale destacar também mais uma quebra de recorde de Ayrton Senna, Lewis chegou a terceira vitória em Suzuka, se igualando ao finado ídolo brasileiro.
Hamilton roubou a liderança e dominou o GP do Japão. (Getty Images)
A prova foi muito simples para a dupla da Mercedes, em momento algum foi ameaçada e ainda conseguiu equilibrar ambos os carros. Sebastian Vettel e Kimi Raikkonen foram muito bem, apesar de a Ferrari não projetar tantas expectativas em solo oriental, a dupla de vermelho fechou a segunda fila, com direito a pódio do alemão tetracampeão. Vettel ainda briga pelo segundo lugar no mundial de pilotos e Rosberg ainda não mostrou se realmente é piloto para brigar por título na Fórmula 1. O legal do GP do Japão foi que todos os pilotos conseguiram chegar até o final, embora alguns incidentes poderiam ter comprometido a corrida, como o toque envolvendo Ricciardo e Felipe Massa.

De Hamilton a Felipe Nasr (líder e lanterna, respectivamente) todos conseguiram manter seus carros intactos e fortes para aguentar as curvas do Japão. Quem não gostou da atuação do seu carro foi Fernando Alonso, o espanhol criticou duramente a McLaren pelo desempenho, o destempero de Alonso até tem sentido, mas faz tempo que o piloto não convence, é um problema de equipe, piloto, mecânicos e chefe de escuderia. Apesar de tudo, Alonso chegou na décima primeira posição, diferente de Button, que consegue sempre um desempenho ainda pior, no Japão, o inglês ficou na décima sexta colocação.

Com a prova já definida, o povo japonês pode acompanhar um espetáculo bem tranquilo, viu a dobradinha da Mercedes, seguida pelos dois pilotos da Ferrari e os demais receberem a bandeirada. Com o resultado, Hamilton voltou a respirar sossegado no Mundial, o inglês aguarda ansioso pelo final de 2015, quando ele chegará ao tricampeonato e novamente se igualará ao seu grande ídolo, Ayrton Senna. Rosberg conseguiu a segunda colocação, voltou a abrir vantagem, mas o alemão terá que fazer mais se quiser sobreviver as investidas de Vettel, tarefa dura! A Fórmula 1 vai retornar apenas no mês de outubro, o Grande Prêmio da Rússia vai embalar o adeus do continente europeu a F1 em 2015. Prova difícil, é uma boa hora para a Ferrari buscar o bote na Mercedes, embora a probabilidade de domínio da equipe campeã seja evidente.

Até a próxima!