sábado, 1 de agosto de 2015

UFC 190: Davi contra Golias.

"Uh, vai morrer! Uh, vai morrer", este é o som que ecoa nas arenas brasileiras em dia de UFC e hoje não será diferente. Teremos a primeira disputa de cinturão feminino no Brasil e uma desafiante da casa entrará no octógono com a possibilidade de ser a primeira campeã brasileira do UFC. Mas a tarefa não é nem um pouco fácil, pois do outro lado estará a sensação Ronda Rousey. Um grande evento foi preparado, contanto com lendas do esporte e as finais da quarta temporada do TUF Brasil.
Poster oficial. (ufc.com)
O que falar de Bethe Correia? Existem lutadoras melhores que ela no UFC, mas nenhuma é mais guerreira do que a paraibana. A história de Bethe é muito interessante, pois ela entrou em uma academia para fazer exercício e melhorar sua autoestima. No mundo das artes marciais, o que mais ouvimos é o quão cedo os atletas foram apresentados e começaram a praticar alguma modalidade. Bethe pratica MMA há cinco anos, apenas cinco anos. Ronda provavelmente pisou em um dojô de judô a primeira vez com cinco anos de idade. Então quando paramos para pensar que uma menina de vida normal conseguiu atingir o auge da carreira de lutadora com um período tão curto de prática, é um feito bastante louvável. 

Bethe tenta ganhar o público pelo patriotismo. (lancenet.com.br)
Além da história de superação, Bethe tem um cartel de impor respeito. Foram nove lutas profissionais e saiu vencedora em todas elas. Apesar das sete vitórias por decisão, Bethe se apresentou bem em todas, mostrando um jogo com golpes muito potentes e equilibrados, pois a Pitbull sabe distribuir muito bem entre cabeça e tronco. Bethe é muito forte e um pouco mais baixa que suas adversárias, o que facilita sua defesa de quedas. Também já mostrou possuir um bom condicionamento físico, já que teve vários combates longos. A paraibana foi esperta em perceber que mídia atrai sucesso no MMA e seu jeito falastrão, muitas vezes de maneira desnecessária, ajudou a reforçar sua chegada à disputa de cinturão. Agora, mesmo com toda sua garra, força de vontade e perseverança, ela tem noção da dificuldade de sua próxima luta?

Ronda é a campeã absoluta da categoria, por méritos totais. Rowdy foi criada no mundo das lutas, filha de atleta olímpica, Ronda seguiu os passos da mãe e foi ainda além, conseguiu uma medalha de bronze nas olimpíadas de Pequim. Nos Estados Unidos, ser um atleta olímpico aumenta demais o status da pessoa e, convenhamos, não é por menos, pois é o ápice da carreira esportiva de qualquer ser humano. Tudo isso facilitou a transição de Ronda para o mundo do MMA e ela fez com que os holofotes aumentassem e a mirassem. 


Ronda foi muito bem recebida pelo público. (revistasoesurbano)
Como em muitas modalidades esportivas, muitas vezes as mulheres primeiro precisam chamar atenção de outras formas antes de reconhecerem sua competência profissional. Ronda é bonita, sabe se vestir e adora uma polêmica. Entrou no MMA numa época em que a categoria feminina está em mero desenvolvimento, algo que aconteceu com os homens no começo do esporte. Isso facilitou sua adaptação, pois seu rendimento como atleta olímpica já é muito maior do que qualquer outra profissional de MMA. Com tudo isso veio a publicidade, entrando mais dinheiro, fazendo com que o UFC a desse espaço, o que resultou em ainda mais dinheiro. Resumindo, Ronda montou uma estrutura que nenhuma outra atleta no mundo tem. 

Os treinos abertos ao público da quarta-feira foram a melhor prova da discrepância de habilidades entre as lutadoras. Bethe desenvolveu um jogo em pé muito bom e focou isso nos treinos, mostrou algumas quedas, mas nenhum momento se apresentou com as costas no chão, o que mais deveria treinar. Já durante os treinos de Ronda, só em a americana pisar no tatame, o público já foi a loucura. Ela aplicou todos os tipos de fundamentos necessários para usar em um duelo e, por fim, deixou para aplicar seus golpes de judô extremamente plásticos que aumentou ainda mais a animação da galera na praia. O nível de treinamento era muito diferente e o apelo da mídia em fazer Ronda uma estrela de verdade é indiscutível, pois a estrangeira recebe mais apoio no Rio de Janeiro do que a lutadora brasileira. Durante a pesagem, ficou claro que os cariocas apoiarão Ronda Rousey. Para mim, isso só comprova o êxito do UFC em fazer Ronda uma estrela, pois sua performance como treinadora no TUF mostrou que ela não é nenhuma "mocinha".

No card preliminar do evento de hoje, podemos afirmar que teremos lutas boas desde o primeiro duelo. Para começar, a "rivalidade" (eu não considero que haja rivalidade além do futebol) Brasil vs Argentina entrará no octógono com Hugo Wolverine representando os tupiniquins e Guido Canetti os hermanos. O ex-campeão do Strikeforce Rafael Feijão tenta reencontrar o caminho das vitórias contra o americano Patrick Cummins. Finalizando o card preliminar, o representante do Jiu-Jitsu Demian Maia tentará acabar a sequência de vitórias seguidas de Neil Magny.

Vamos aos palpites do card principal. Hoje teremos sete combates, mas duas delas serão a final do TUF Brasil IV. Como eu não acompanhei, não as comentarei. 

Claudia Gadelha VS Jessica Aguilar

A potiguar Cladinha Gadelha fará sua primeira luta desde a controversa derrota contra a atual campeã Joanna Jedrzejczyk. Claudinha é conhecida por ser muito agressiva, o que faz com que a lutas fiquem bastante frenéticas já que o peso pelo qual elas competem é o menor de todas as categorias do UFC. Lutadora completa, a brasileira só sofreu uma derrota na carreira e tem fortes credenciais para enfrentar a polonesa em caso de vitória convincente. O mesmo acontece com a adversária, Jessica Aguilar. A americana nascida no México veio credenciada para o UFC por ter sido a campeã do WSOF. Mais experiente que a brasileira, Aguilar já foi taxada como a peso palha #1 do mundo e está disposta a provar. É muito provável que a vencedora desta peleja será a próxima desafiante do cinturão da categoria. As duas tem estilo muito parecidos, mas acredito que Claudinha leve a melhor por ser mais gabaritada no chão, se utilizar essa diferença na estratégia de luta.

PALPITE: GADELHA POR DECISÃO UNÂNIME.

Antônio Pezão VS Soa Palalei

Esta é a luta mais importante da vida de Pezão. Após combates marcantes desde sua chegada ao UFC, o lutador brasileiro vem de derrotas incontestáveis nos últimos dois duelos. Coincidentemente, todos após o doping e a proibição do TRT. Suas atuações deixam os fãs bastantes desconfiados e parece que o lutador não conseguiu recuperar de todos os problemas surgentes após a luta contra Mark Hunt. Palalei é um daqueles veteranos que os saudosistas gostam de ver lutar (vide o autor da postagem). O Hulk, como é conhecido, se encaixa dentro do número de lutadores que precisam cortar peso para ficar no limite dos pesados. Neste duelo de gigantes, a decisão dos juízes é algo difícil de prever, pois pesados tende a ter muito nocautes e a resistência cardíaca de ambos é bastante questionável. Mas por conta das últimas lutas, Palelei é favorito.

PALPITE: PALELEI POR NOCAUTE NO PRIMEIRO ROUND.

Stefan Struve VS Rodrigo Minotauro

O holandês Struve é figura conhecidíssima por conta da sua altura de 2,14, fazendo dele o lutador mais alto da franquia americana. Além de seu tamanho, o "Arranha céu" é dono de um Jiu-Jitsu muito eficiente. Mas se tratanto da arte suave nos pesos pesados, três nomes sempre serão lembrados: Fabrício Werdum, Frank Mir e a lenda viva Rodrigo Minotauro. Minota dividiu com Wanderlei Silva o status de principal representante brasileiro no Pride. Com batalhas épicas e viradas incríveis, o lutador baiano se aproxima do fim da carreira. Pessoalmente, gostaria que a luta fosse para o chão para vermos um duelo bastante acirrado entre especialistas, mas não acredito que isso aconteça de imediato. Em pé, Struve tem vantagem na envergadura e poderá manter uma distância segura para aniquilar o boxe de Minotouro, entretanto, o brasileiro tem mais poder de nocaute. Acredito que seja a luta mais parelha da noite, porém, por conta da movimentação e melhor retrospecto recente, acredito que o holandês seja favorito. 

PALPITE: STRUVE POR NOCAUTE NO TERCEIRO ROUND.

Maurício Shogun VS Rogério Minotouro

Luta do ano de 2005 volta a acontecer em 2015. (varelanoticias.com.br)
Você já viu o duelo que esses dois protagonizaram no Japão em 2005? Não? Pois após ler a postagem, dê uma checada. Uma das melhores lutas da história do MMA está para se repetir. É claro que Maurício Shogun está envolvido nela. O Brasileiro ex-campeão do UFC tem um histórico de duelos incríveis! E hoje tem a chance de fazer mais um. Apesar de ser um veterano, Shogun tem 33 anos, idade em que muitos chegam no auge de suas carreiras. Minotouro, assim como o irmão gêmeo, também está próximo do fim da carreira. Minoto sempre foi um lutador muito bom, com um boxe muito mais apurado que o irmão mas de um jiu-jitsu bastante questionável. Sofreu bem mais com lesões durante a carreira, o que resultou numa quantidade bem menor de lutas no cartel, contudo, seu histórico como lenda também é inegável. Mas para este duelo, estamos em tempo diferente e com condições totalmente mudadas. Ambos estão com um retrospecto negativo e com suas habilidades questionadas. Entretanto, Shogun fez todo o seu camping com Rafael Cordeiro na Kings MMA, isso dará uma motivação especial ao curitibano.


PALPITE: SHOGUN POR NOCAUTE NO SEGUNDO ROUND.

Ronda Rousey vs Bethe Correia

Apresentadas anteriormente, não preciso detalhar a diferença técnica entre as lutadoras. Ronda finalizou todas as suas oponentes e apenas uma vez lutou além do primeiro round. O mais incrível é a constante evolução da campeã do UFC, despertando ainda mais o sentimento de não haver desafiante para disputar o título com ela. Bethe, como já falado acima, tem força e um bom jogo em pé. É basicamente assim que podemos imaginar uma vitória da brasileira, um golpe que machuque e ajude a terminar a luta brevemente. No mais, o roteiro deve ser o mesmo das anteriores: Ronda põe a adversária para baixo e faz o que quiser até terminar o duelo. 

PALPITE: ROUSEY POR FINALIZAÇÃO NO PRIMEIRO ROUND.