quarta-feira, 19 de agosto de 2015

Raio-x Serie A Calcio 2015/2016

Embalada pela Juventus vice-campeã da Europa, a Serie A Tim começa neste fim de semana e deve apresentar evolução e uma disputa mais acirrada. Enquanto a dupla de Milão tenta voltar a melhor forma, Romanos e turineses vão novamente batalhar pela conquista do país, embora os Bianconeri tenham levado boa vantagem nos últimos quatro anos.
Totti e Buffon são os últimos remanescentes da geração de ouro da Itália, Juventus e Roma vão brigar pelo Calcio.
(Tribuna do Cisco)


Juventus

Se tratando do maior clube italiano da atualidade, a Velha Senhora encerrou a temporada bastante empolgada, dominou a Itália e chegou a segunda colocação no maior torneio de futebol do planeta, contra críticos fervorosos do futebol praticado atualmente no país tetracampeão do mundo. O grande problema para o clube de Turim foi a impressionante debandada de craques, nada mais nada menos que Andrea Pirlo, Arturo Vidal e Carlos Tévez deixaram a equipe, os três pilares do sucesso da Juve abandonaram o projeto e a dor de cabeça ficou para Allegri.

Dybala assumiu a 21 de Pirlo e jogará na posição de Tévez,
uma grande aposta. (Juventus Oficial)
Perder os principais jogadores deve atrapalhar um pouco o sucesso da Juventus, muito porque as peças de reposição não estão nem do talento do trio, chegou Sami Khedira, que veio direto do banco eterno do Real Madrid e já sofreu uma grave lesão, ou seja, jamais dará conta de suprir a ausência de Pirlo. Vieram também uma manada de atacantes, Simone Zaza, Mario Mandzukic e a aposta Paulo Dybala, o argentino é grande candidato a suprir a ausência de Tévez, mas ainda é muito jovem e dificilmente repetirá o que o ex-camisa 10 conseguiu, pelo menos em sua temporada de estreia em Turim.

Mandzukic é excelente e deve ganhar a condição de titular, é o atacante mais talentoso do elenco no atual momento, mas seu estilo de jogo é mais de centro-avante, certamente ele não voltará para buscar a bola e trabalhar como o atual camisa 10 do Boca Juniors, a bronca sobrará para Llorente e Morata. Marco Storari deixou de ser sombra de Buffon, agora quem assume o papel é o goleiro brasileiro Neto, uma aposta muito boa para o futuro, porém terá de ter muita paciência pois mesmo experiente, Buffon mostrou na última temporada porque é considerado um dos melhores goleiros da história do futebol.

Para liderar a questão técnica, a camisa 10 caiu no colo de Paul Pogba, o francês decidiu permanecer em Turim e tem uma responsabilidade absurda de buscar a manutenção das conquistas para o clube. A Juventus segue sendo o time a ser batido no futebol italiano, Allegri tem o melhor material humano em mãos, além de viver o melhor momento, todavia o time se enfraqueceu após a excelente temporada 2014/2015, as peças de reposição não dão a confiança que os antigos atletas conseguiram realizar, é por essas e outras que a Velha Senhora terá bastante dificuldade em se manter no topo, faltam jogadores cascudos que ajudem Pogba, Marchisio e Buffon.

Roma

Excelente em 2013/2014, oscilante em 2014/2015, a Roma, atual bi vice-campeã italiana, se arma para tomar o posto da Juventus na nova temporada, artilharia pesada para chegar ao tetra no Calcio. A torcida andou um pouco descontente com o trabalho de Rudi Garcia, o francês foi muito criticado por recuar demais o elenco e também por apostar em jogadores errados, o caso de Ashley Cole por exemplo. Então, a temporada é crucial para Garcia mostrar a evolução do projeto, algo semelhante ao trabalho de Brendan Rodgers no Liverpool, a diferença é que a Roma hoje é a segunda força do futebol italiano e dá mostras claras de que quer chegar ao título que não vem há 14 anos.

Dzeko é o atacante que faltava para
 compor o elenco romanista. (Roma Oficial)
Os setores que antes eram desconfiança aos romanistas, agora foram bem reforçados e seguem no caminho certo, se antes existia Destro (que não vingou) e Doumbia no ataque, hoje existe Edin Dzeko. Se Iturbe ainda não rendeu o que se espera, hoje Mohamed Salah (brilhou em apenas 6 meses de Fiorentina) chegou e deve assumir a condição de titular. O gol também foi um setor bastante falado na temporada passada, Łukasz Skorupski falhou demais e terminou emprestado ao Empoli, enquanto que De Sanctis precisava de uma sombra para a dura jornada de trabalho, foi aí que Walter Sabatini (principal dirigente Giallorossi) foi certeiro e trouxe Wojciech Szczęsny, o arqueiro ex-Arsenal perderia espaço com a chegada de Cech, chegou em Roma e já virou titular, o polonês é jovem mas já possui experiência necessária para brilhar na Itália.

O elenco está bastante encorpado e ainda deve ganhar mais duas peças para a zaga e um lateral esquerdo, Mbiwa era de fato muito limitado, foi para o Lyon, Astori não rendeu as expectativas e foi para a Fiorentina, Romagnoli retornou mas já foi embora, vendido ao Milan por uma fortuna, por isso o time da capital deverá contratar mais dois atletas para compor o elenco. Leandro Castán está completamente recuperado e deve recuperar sua posição no time titular, agora ao lado de Manolas, grego que já demonstra liderança dentro do grupo. Na lateral esquerda o problema é ainda mais grave, Ashley Cole não é mais o que um dia foi, acabou dispensado após uma temporada para ser esquecida, o outro cara da posição era José Holebas, foi titular na temporada passada, mas não era um nome de confiança e seguiu para Watford. Enquanto a chegada de Lucas Digne é especulada, a Roma vai começar a temporada com um grupo muito consistente, as expectativas são enormes em Trigoria, talvez realmente seja o ano Giallorossi, liderados, mais uma vez, por Francesco Totti.

Lazio

Surpreendente na temporada passada, a Lazio deu trabalho e disputou o segundo lugar até a penúltima rodada, o time da capital foi muito bem e conseguiu voltar a Liga dos Campeões, mas precisa reforçar o elenco se quiser realmente brigar por algo no novo ano. As perspectivas da Lazio se resumem ao desempenho de Felipe Anderson, o camisa 10 chamou a responsabilidade, jogou muito e assumiu o papel de protagonista no clube, caso o meia renda o esperado, os Biancocelesti podem sim almejar algo mais.

Felipe Anderson foi gigante na temporada passada,
 segue sendo o destaque da Lazio. (Getty Images)
Buscando um time competitivo, Stefano Pioli decidiu manter a boa base da temporada passada, Miroslav Klose segue firme com a camisa 11, o alemão pode ser o homem-gol do segundo tempo, ainda rende! Para dividir a responsabilidade com Felipe Anderson, Antonio Candreva segue firme e forte no elenco, o camisa 87 joga em várias posições e incrivelmente, dá conta em qualquer lugar, marca gols, marca adversários e passa a bola como ninguém, é craque.

Outro fator crucial para as pretensões da Lazio na temporada é a permanência de Lucas Biglia, o volante argentino já é capital do time da capital, tomou conta da posição no campo e na equipe, mas tem seu nome fortemente ligado ao Manchester United, a possibilidade de partir é enorme. O time da Lazio é forte, faz jogo duro contra todos os demais gigantes do futebol italiano e deve brigar em cima, porém a Liga dos Campeões é muito para as águias da capital, a falta de experiência e peças bem medianas devem colocar o time apenas na briga por competições internacionais, mesmo tendo vantagem para cima do Napoli e para a dupla de Milão.

Napoli

Sarri, do Empoli para o Napoli. (Napoli Oficial)
Enfraquecido desde a temporada passada, o Napoli tenta recuperar o embalo de anos atrás e a transição do comando técnico pode ser fator importante para o recomeço. Maurizio Sarri conseguiu manter praticamente todo o elenco napolitano e ainda ganhou bons reforços que encorparam o plantel e deixaram o Napoli ainda mais forte. São os casos do retorno do goleiro Pepe Reina, o jovem goleiro Gabriel, o brasileiro lateral/meia Allan e, é claro, a permanência da Higuaín, o craque argentino segue focado em fazer sucesso com o clube italiano.

A decepção com o Calcio passado deixou a torcida com o pé atrás, o Napoli até passou pelo G3, mas perdeu força no final e acabou derrotado pela Lazio dentro de casa na última rodada, poderia ter conseguido a vaga na Champions, embora não merecesse. Para obter sucesso, o Napoli precisará demais do bom desempenho dos seus talentos, único remanescente da geração de ouro do novo século, Marek Hamsik segue como capitão e líder máximo do grupo, mas jogadores como Callejón, Mertens e até mesmo apostas como Jorginho e Gabbiadini devem mostrar mais futebol na nova temporada. O time do Napoli é bom e deve brigar acima da dupla de Milão, embora ainda esteja atrás de Juventus e Roma, pareando com a Lazio.

Internazionale

Campeã de tudo na década passada, a Inter apostou em Roberto Mancini para recuperar prestígio, dessa forma, o time segue reformulando para obter sucesso nos próximos anos, devendo novamente sacrificar a temporada em busca de um time competitivo. Apostas como Podolski e Shaqiri não foram bem e a paciência italiana foi bastante curta, os dois foram dispensados e o setor ofensivo foi reforçado apenas com Jovetic. O montenegrino vai tentar recuperar o futebol perdido em solo inglês, tarefa bastante difícil, outro que retornou foi Jonathan Biabiany, o veloz ponta francês estava no elenco do falido Parma e agora terá nova chance, mais experiente, o novo camisa 11 pode render.

Valorizado, Miranda deve ser titular na zaga da Inter.
(Internazionale Oficial)
O que chamou atenção no mercado de transferência Nerazzurri foi que o setor priorizado foi o defensivo, vieram vários jogadores talentosos disputar posição com os muitos que já existiam. Miranda e Murillo se juntaram a Ranocchia, Vidic e Juan Jesus, enquanto o jovem lateral ex-Barcelona Montoya deve assumir a condição de titular logo de cara. Para o meio de campo, a aposta foi no jovem meia Geoffrey Kondogbia, o francês ex-Monaco vai vestir a 7 da Inter e tem tudo para crescer futebolisticamente, vale a pena anotar esse nome, o menino tem talento.

Contudo a Internazionale segue sendo uma incógnita na temporada, não dá para estipular um palpite muito claro, o time é mais forte que o Milan e traça um projeto bem mais interessante que o seu maior rival. Ainda deverá chegar mais um ou dois reforços, mas é muito pouco para se afirmar que a Inter pode disputar título ou pelo menos vaga no G3, diria que briga por vaga na Liga Europa.

Milan

Catastrófico nas últimas duas temporadas, o Milan agora que foi vendido começa a dar mostras de que pode fazer o certo, cansou de queimar ídolos e Siniša Mihajlović        (ídolo da Inter e Sampdoria), técnico que vem crescendo terá a chance da carreira, o desafio é de montar um time competitivo. É óbvio que precisará de tempo, diferentemente do que o clube fez com Seedorf e Inzaghi, mas Mihajlović já mostrou que pode fazer um trabalho consistente, cresceu por seus próprios méritos e agora foi recompensado. O craque do time segue sendo Menéz, o francês mandou bem em sua temporada de adaptação, além dele, Montolivo, Bonaventura e Andrea Poli são os pilares do plantel. Alessio Cerci não consegue se firmar e definitivamente não será a solução para este Milan.

Sensação da Liga Europa, Bacca reforça o Milan.
(Getty Images)
Se tratando de elenco, o Milan possuía uma boa conta em caixa, mas os grandes jogadores não toparam assumir o risco de vestir a camisa Rossonera nos dias de hoje, por isso o clube gastou demais com jogadores que são apenas apostas, começando errado o tal do novo projeto. 20 milhões de euros por Alessio Romagnoli, quase 30 por Andrea Bertolacci e mais 30 milhões por Carlos Bacca, 80 milhões por três jogadores que estão longe de ser grandes craques. Apesar do preço, o trio tem chance de render e certamente ajudará o Milan a fazer um Calcio mais consistente, chegou também o brasileiro Luiz Adriano, camisa 9 que enfim vai ter sua chance em um grande clube, é bom jogador!

O Milan tem possivelmente a camisa mais pesada do futebol italiano, apesar da Juventus possuir mais títulos na bota, o clube tem apenas 7 conquistas de Liga dos Campeões, algo que impõe respeito e assusta qualquer adversário. Contudo o time precisa de tempo para conseguir recolocar o futebol italiano de volta ao lugar que merece, também para recuperar o prestígio que afastou grandes jogadores da rota do San Siro. O Milan vai brigar por vaga na Liga Europa e assistirá de longe a briga de Juventus e Roma pelo título da Serie A.

Outras apostas

As apostas são as mesmas, Fiorentina é forte e tenta reequilibrar o elenco que perdeu Salah e Gómez, a Sampdoria foi bem ano passado, mas perdeu seu técnico e boa parte do elenco, a aposta será o retorno de Antonio Cassano. Tem Genoa, Hellas Verona, Palermo e Udinese, grandes camisas que sempre dão trabalho, mas no atual momento italiano, dificilmente dão conta contra os grandes. Entre os pequenos, o destaque vai para o modesto Carpi, o clube contratou bons jogadores e deve montar um time para brigar pela permanência na Serie A, caso dê certo, o time pode surpreender.

O futebol italiano passou por maus bocados, mas demonstra sinais de reação que pode recolocar o país na rota dos outros gigantes, a prova clara disso foi a Juventus competitiva no ano passado, é a Roma trazendo jogadores de muito nome e talento, é a Lazio retornando a Liga dos Campeões. As expectativas são enormes e possivelmente teremos uma Serie A ainda mais equilibrada na temporada 2015/2016.

Palpite: Roma.