quarta-feira, 29 de julho de 2015

O Reencontro

A fase de grupos não serviu como parâmetro, logo de cara o River Plate, o pior time da fase de grupos, eliminou o temido Boca Juniors, atropelou o bicampeão brasileiro Cruzeiro e passou por cima da zebra Guaraní do Paraguai. Os argentinos voltam a final da competição após 16 anos e vai à luta para reconquistar a América. O detalhe é que os Millonarios são os atuais campeões da Copa Sulamericana, mas decepcionou demais na fase de grupos e poucos esperavam essa crescente na fase decisiva, é difícil compreender a força da camisa pesada do River.
Argentinos e mexicanos prometem um grande jogo na decisão da Libertadores. (Tribuna do Cisco)
Marcelo Gallardo abraçou a causa, assumiu uma equipe repleta de desconfiança e recolocou os argentinos no lugar em que mereciam estar. O técnico e ex-jogador tem tido um desempenho melhor que o de Diego Simeone a frente do time do Rio da Prata, além do mais, a torcida vive sintonia perfeita com o ex-craque e confia totalmente no trabalho, a prova clara foi o renascimento do clube na Taça Libertadores. O desempenho do clube na fase de grupos foi catastrófico, apenas um gol de saldo, uma vitória, quatro empates e uma derrota, o River conseguiu se classificar com apenas 7 pontos somados e possuindo um aproveitamento de 38,9%, coisa rara na história dos classificados de qualquer competição.

River tem a pior campanha de
um finalista de Libertadores. (EFE)
A má fase passou e os jogadores mais cascudos chamaram a responsabilidade, Carlos Sánchez, Rodrigo Mora, o decisivo Leonardo Pisculichi e legião de muita experiência que o clube repatriou. Pablo Aimar não conseguiu retornar e acabou se aposentando, mas Lucho González e Javier Saviola estão prontos para por o River no topo das Américas. O River Plate de 2015 está longe de ser o melhor campeão, mas a força da equipe é inquestionável, um desempenho fenomenal que empolga qualquer amigo do esporte, vale muito a pena acompanhar o clube argentino na briga pelo tri. Vale destacar que o time já está garantido no Mundial de Clubes, isso porque o adversário será um mexicano, porém não será qualquer mexicano, o Tigres mostrou força dentro e fora de campo e chega como favorito para a inédita decisão de Taça Libertadores, o reencontro está marcado!

O rival dos argentinos na decisão é o mexicano mais forte a chegar a uma final de Libertadores, o Tigres teve um desempenho excelente na fase de grupos, 14 pontos somados, incluindo dois empates contra o próprio adversário da final. Diferentemente do River, o Tigres manteve uma boa constância, foi bem na fase de grupos, bem nas oitavas, nas quartas e muito esperto na semifinal, quando derrubou a camisa pesada e bicampeã da América do Internacional, ou seja, o time está preparado para bater adversários históricos. E mesmo com um bom elenco rendendo o esperado, os felinos foram ao mercado e não trouxeram qualquer reforço, sapecaram um grande atacante, vindo do continente europeu e que vive seu auge, ainda não consegui compreender a opção escolhida por Gignac, mas a verdade é que o francês já chegou motivado.

Experiência e liderança não faltam para o time do técnico brasileiro Ricardo Ferretti, só no sistema ofensivo, o elenco conta com Rafael Sóbis e Guerrón, três títulos da Libertadores nas costas de dois jogadores. O brasileiro segue jogando em alto nível e tem sido fundamental na boa campanha mexicana, enquanto o equatoriano nunca conseguiu se firmar no futebol após comer a bola na campanha da LDU em 2008, por isso foi para o banco de reservas com a chegada de Gignac. Além deles, Arévalo Rios corresponde ao papel de líder, de raça e muita vontade de conquistar o inédito título, há tempos que não viámos o volante jogar em alto nível como na partida contra o Internacional na semifinal.

Tigres é forte, mas decidirá fora de casa
por motivos questionáveis. (AFP)
A habilidade, o diferenciado da vez, o homem que pode e deve produzir algo novo na finalíssima é Javier Aquino, o meia de 25 anos deitou e rolou na fase de mata-mata e chega na decisão com as credenciais necessárias para se tornar o craque da edição 2015. O Tigres é mais time e vai para final contra tudo e contra todos, fica claro o apelo da Conmebol para que o River Plate consiga chegar ao título, devido ao fato de que o México joga a Libertadores como convidado, dessa forma os argentinos já estão garantidos no Mundial de Clubes. Além disso, o River, mesmo com uma campanha medíocre na primeira fase, decidirá dentro do Monumental, a Libertadores deve ser decidida em solo sulamericano, vale o questionamento: Então por que convidar os clubes mexicanos?  A resposta está com quem já deve muitas, mas sempre deixa os mistérios no ar.

River Plate pela hegemonia da Argentina, o país pode conquistar a segunda Libertadores consecutiva, lembrando mais uma vez que o país já é bicampeão da Copa Sulamericana. Do outro lado, o Tigres, clube de muita tradição que sonha em encerrar a seca mexicana na Libertadores. Teremos um verdadeiro clássico, mesmo com a Conmebol novamente atrapalhando o andamento do maior campeonato de futebol das Américas, que vença o futebol!

Palpite: River Plate.