terça-feira, 14 de julho de 2015

Morte ao presidente!

Foram 25 anos de casa, todos os títulos possíveis foram conquistados, a faixa de capitão durante mais de cinco anos era só um mero detalhe, nada disso foi levado em conta na desrespeitosa e lamentável “homenagem” do Real Madrid a Íker Casillas. É verdade que o goleiro não viveu seus melhores momentos nos últimos anos, foi preterido na Era Mourinho por Diego López, sempre foi especulada a sua saída, mas seu renascimento na décima conquista de Liga dos Campeões deu sobrevida ao goleiro e deu certeza ao torcedor de que Casillas era o cara certo.
O gigante do Bernabéu deu adeus a Madri. (Tribuna do Cisco)
O capitão espanhol na única conquista de Copa do Mundo só possui 34 anos, mas a desenfreada busca de Florentino Pérez passou dos limites, o presidente deseja, a cada ano, uma nova figura, mais gastanças, repetindo o erro galáctico de dez anos atrás. As falhas administrativas do dirigente Madridista comprova a competência de Carlo Ancelotti na temporada perfeita de 2013/2014, o italiano uniu o grupo, driblou Florentino e levou o Real Madrid ao topo do mundo, resgatando os tempos de glórias.

Íker e os poucos trofeus conquistados pelo Real.
(Real Madrid)
As loucuras de Florentino voltaram a dar o que falar já na última temporada, mesmo tendo conquistado a tão desejada Décima, o presidente não hesitou e vendeu Di María, o argentino havia sido peça fundamental na conquista em 2014. A escolha do presidente foi por James Rodríguez, o colombiano respondeu com muitos gols, mas jamais foi decisivo quanto o argentino. Na temporada atual, Carlo Ancelotti foi logo mandado embora, Casillas, o maior goleiro da história do clube, seguiu o mesmo caminho e até mesmo Sergio Ramos, um dos melhores zagueiros do mundo foi alvo do famoso presidente do Madrid. As peripécias do presidente podem atrapalhar até mesmo o projeto de Benítez no Real Madrid, De Gea já não tem o mesmo interesse de antes, se o clube fez isso com o goleiro que viveu 25 anos no clube, imagine com um jovem goleiro que tem história no Atlético.

Desde o primeiro mandato, o presidente sempre protagonizou grandes contratações e certo desprezo pelo que já possuía, os atletas chegam, rendem e dificilmente conseguem dar continuidade ao trabalho no clube, agora foi a gota d’água! Casillas foi revelado no Bernabéu, foi um dos poucos privilegiados a conseguir dar continuidade ao seu trabalho, permaneceu durante vinte e cinco anos e brilhou ao eternizar a camisa 1, sem dúvidas está no onze inicial da história do Real Madrid. Agora tentará relançar a carreira ao lado de Lopetegui no Porto, certamente terá paz até o fim de sua jornada no Dragão, todavia o fim é melancólico para um dos maiores goleiros da história do futebol, jamais Íker disputará uma Liga dos Campeões como antigamente e a culpa é de Florentino Pérez. Casillas deixará saudades!