quarta-feira, 29 de julho de 2015

A melhor do ano

O Grande Prêmio da Hungria nada mais foi do que uma homenagem a Jules Bianchi, a primeira prova após a morte do francês e os deuses do automobilismo trataram de nos dar uma corrida eletrizante. Poderíamos dizer que a RBR colocou seus “três” pilotos no pódio, conseguindo bater até mesmo a gigante Mercedes, mas a verdade é que a cria da escuderia agora defende a Ferrari e está bastante focado a mostrar que vem com tudo para o próximo ano. Sebastian Vettel não tomou conhecimento do mais uma vez pole position Lewis Hamilton, ultrapassou o inglês e não largou mais a ponta da tabela.
Vettel chegou a segunda vitória em 2015, enquanto Kvyat conquistou o primeiro pódio da carreira, Ricciardo completou. (Getty Images)

O líder do campeonato não largou bem, errou como nunca e teve que correr atrás do prejuízo, até correu, mas não conseguiu chegar a tempo. A Ferrari dominou a prova por um bom tempo, pit stop muito bem feito e Vettel junto a Raikkonen chegando firme no topo, mas o finlandês dava mostras de que o carro não estava andando tão bem. O tempo tratou de tirar Kimi da prova (lamentável), e tudo caminhava para uma boa briga da Mercedes, a verdade é que a Hungria não deixará saudades para Hamilton e Rosberg.

A corrida até que caminhava muito bem, mas a vantagem vermelha era imensa, enquanto Ricciardo relembrou os bons tempos de 2014, se mantinha na briga pelo pódio, as Mercedes seguiam brigando entre si e os brasileiros sofriam no final da classificação. Até que chegou a volta 43 e a asa dianteira de Hulkenberg cansou da prova, parou e o piloto foi para a barreira, safety car na prova e relargada a vista. A relargada foi bastante acirrada, os pilotos estavam sedentos por posições e a cena clara para exemplificar o momento foi a disputa ferrenha entre Rosberg e Ricciardo.

Na briga, o alemão se deu mal, ficou para trás e viu de longe o australiano arrancar, mas já foi um pouco tarde, o surpreendente Kvyat se aproveitou da disputa do seu parceiro com Rosberg, roubou a segunda colocação e disparou para o seu primeiro pódio na jovem carreira. Tarde demais para as Mercedes, ninguém ouviu os motores, muito menos viu o branco dos carros da Williams, a equipe foi superada até mesmo pela McLaren, enquanto Massa ficou com a décima segunda colocação e Bottas com a décima quarta, Alonso chegou em quinto (incrível) e Button somou pontos ao chegar em nono.

RBR praticamente domina o eletrizante GP da Hungria.
(Getty Images)
Vettel foi experiente, grande e chegou a segunda vitória em 2015, encostou em Nico Rosberg e volta a se aproximar da dupla da Mercedes. A Fórmula 1 precisa de mais emoção, como a corrida em Hungaroring, e o sucesso de Sebastian Vettel nas provas pode dar uma nova cara a temporada dominada pela Mercedes, é ideal que o alemão cresça no mundial. Kvyat chegou em segundo e fez dobradinha com Ricciardo, uma grande corrida da RBR, é incrível como as melhores corridas da Fórmula 1 acontecem quando a escuderia vai bem, é excelente! O menino Verstappen chegou em quarto, seguido por Alonso que enfim foi bem.

Vimos Hamilton em sexto e Rosberg em oitavo, uma corrida um tanto quanto diferente, eletrizante, teve de quase tudo, os amantes por velocidade mereciam. Após uma prova tão boa, a Fórmula 1 para por quase um mês, retornando apenas em 23 de agosto, no Grande Prêmio da Bélgica, tempo para a Williams se reorganizar (é complicado), para a Mercedes recuperar a hegemonia e para Vettel tentar voar ainda mais alto, temos uma cara nova no mundial que já parecia decidido.

Até a próxima!