terça-feira, 9 de junho de 2015

UEFA Champions League 2014/2015 – Destaques da Temporada

Com muito pesar, a temporada 2014/2015 do futebol europeu se encerrou e já estamos com muitas saudades. Grandes jogos embalaram o maior torneio de futebol do planeta, tivemos a consolidação de Cristiano Ronaldo, o melhor do mundo marcou mais gols do que qualquer um, mas foi Lionel Messi quem mais chamou atenção. O argentino voltou a jogar em alto nível, colocou adversários no chão e chegou ao triplete, deve voltar a vencer o prêmio Bola de Ouro da FIFA. Gigantes caíram, favoritos deram vez a Juventus, a campeã da Itália surpreendeu a todos, menos ao Barcelona, o clube catalão estava pronto, venceu tudo e todos e novamente fez história. É hora de conhecer os destaques da temporada elegidos por nós, do melhor jogo até o jogador do ano, os craques, os fiascos e o que de mais interessante aconteceu na Liga dos Campeões da Europa, confira!
O Barcelona sobrou na temporada e a tríplice coroa foi pouco para o equilíbrio da equipe catalã. (UEFA.com)

Ele só não fez chover! Lionel Messi voltou a ser grande, foi protagonista e decidiu em favor do Barcelona em todas as competições disputadas. O argentino foi mais companheiro, assumiu a condição de jogar pelo lado do campo, serviu companheiros, marcou muitos gols, ninguém foi melhor que o camisa 10 na temporada. Messi passou por duas temporadas bem discretas, acabou ofuscado por Cristiano Ronaldo, isso o desmotivou, até que Luis Enrique chegou e a discussão foi instaurada, o argentino não se entendia com o jovem técnico espanhol. As brigas constantes com o treinador do Barcelona fizeram Messi crescer, desde então ele não teve mais problemas dentro e fora de campo, voltou ao seu melhor nível, venceu com autoridade Bayern, PSG, Juventus e Manchester City, foi o grande craque da temporada. Aos 27 anos de idade, Lionel Messi deverá entrar forte na briga pela sua quinta Bola de Ouro da FIFA.

Luis Enrique levou a tríplice coroa, deu a volta por cima e está cada vez mais firmado na carreira. Massimiliano Allegri assumiu uma Juventus já vitoriosa, mas tornou a equipe italiana ainda melhor, despachou o atual campeão na própria casa adversária, foi muito bem! Todavia o nome da temporada, na minha visão, veio de Portugal, quer dizer, sua nacionalidade é portuguesa, mas foi comandando o Monaco que Leonardo Jardim deu as caras em 2014/2015. O técnico já havia feito um trabalho excelente pelo Sporting, recolocou o clube na Liga dos Campeões da Europa, após sucesso em Lisboa, o jovem treinador aceitou o desafio de assumir um Monaco se desmanchando, os nomes de peso deixaram o Principado. Os méritos de Jardim foram sendo apresentados na temporada em que o clube ia fazendo, conseguiu se classificar para a fase preliminar da próxima Liga, chegou as quartas de final na atual edição e apresentou uma das defesas mais sólidas do futebol europeu. O ponto alto do modesto clube veio em fevereiro, vitória tranquila sobre o Arsenal no Emirates Stadium, atropelando os pupilos de Wenger e garantindo a vaga entre os oito melhores do velho continente. O Monaco não possuiu Falcao e James, foi com Leonardo Jardim que os monegascos arrebentaram na temporada e o destaque de melhor técnico vai para o português.

A final não foi empolgante, pelo menos não como Bayern e Borussia atuaram na final de 2013, por isso o melhor confronto da atual edição da Liga dos Campeões aconteceu na rodada de volta das oitavas de final. Praticamente garantido nas quartas de final, José Mourinho subestimou o Paris Saint-Germain, mesmo vencendo por 1 a 0 e com um jogador a mais, o português retrancou o seu Chelsea, chamou os franceses para o seu campo e acabou sofrendo dois gols impressionantes. O primeiro ainda no tempo normal, logo do seu desafeto David Luiz, o outro foi na prorrogação, na cabeçada de Thiago Silva, esse duelo representou mais do que a classificação parisiense, muitos elementos o colocou na liderança da nossa avaliação. Tivemos o gol de David Luiz, jogador que sempre foi alvo de críticas do técnico português, também existiu a volta por cima de Thiago Silva e todo o elenco francês, o zagueiro havia botado tudo a perder quando colocou a mão na bola na primeira etapa da prorrogação, enquanto que o time de Blanc sofria com um jogador a menos, justamente Ibrahimovic tinha sido expulso. A força do forte elenco do PSG garantiu o clube nas quartas de final, o Chelsea era um dos favoritos, morreu na praia, foi sem dúvidas o jogo da temporada.

Gols antológicos marcaram a temporada europeia, me recordo da bomba colocada de Marcelo no duelo de ida das oitavas contra o Schalke 04, sem falar de todos os gols no jogo de volta do mesmo duelo. Tivemos o jeitinho Lewandowski de driblar Mascherano e vencer Ter Stegen e as canetas de Suárez diante de David Luiz, porém não tem como fugir, Lionel Messi chamou a responsabilidade, arrancou, colocou Boateng no chão e encobriu Neuer. O gol da temporada saiu dos pés do melhor jogador da temporada, o camisa 10 foi gigante e o seu gol comprova isso muito bem.

Álvaro Morata sempre foi muito criticado no Real Madrid, surgiu muito novo, mas soube esperar. Mesmo vencendo a Liga dos Campeões da temporada passada, o espanhol acabou sendo vendido pelo Real Madrid a Juventus, foi trocado por Chicharito, pura injustiça! Isso não foi problema para o atacante de 22 anos, logo se firmou na Itália, fez gols muito importantes e conseguiu colocar a Juventus na grande decisão. O atacante respondeu muito bem a Ancelotti e ao Real Madrid, marcou logo dois contra os Madridistas, venceu também Stegen na grande final. O vice foi de bom tamanho para a Juventus, mas a eleição de revelação da Liga dos Campeões é mérito de Álvaro Morata, o destaque jovem que se apresentou para a Europa com mais vigor em 2015.

Os fiascos foram muitos, houve o Bayern enfiando 7 a 1 na Roma, aquele resultado acabou com o ânimo do time da cidade eterna, a prepotência de Mourinho, a despedida melancólica de Steven Gerrard da Champions League. Contudo este era o ano para Wenger conseguir colocar o Arsenal nas quartas de final, o atual time do gigante inglês é bom e tinha totais condições de chegar longe. O sorteio havia ajudado, o Monaco foi o pior primeiro colocado na fase de grupos, o confronto caia no colo do técnico francês, mas a oportunidade foi desperdiçada, o Arsenal perdeu dentro de casa e não conseguiu reverter o resultado na volta. A eliminação precoce custou caro aos Gunners, tendo em vista a vantagem do Chelsea na Premier League, foi a chance que o Arsenal recebeu e a desperdiçou, um fiasco!



Goleiro:
Gianluigi Buffon

Zagueiros:
Gerard Piqué
Giorgio Chiellini

Laterais:
Branislav Ivanovic
Jordi Alba

Meio de Campo:
Andrea Pirlo
Ivan Rakitic
Andrés Iniesta

Atacantes:
Lionel Messi
Cristiano Ronaldo
Neymar

Técnico:
Leonardo Jardim

Menção honrosa:
Carlos Tévez