quinta-feira, 14 de maio de 2015

UEFA Champions League Semifinal– Destaques

Restam dois! Barcelona e Juventus, os dominantes dos seus países decidirão a Liga dos Campeões mais imprevisível dos últimos tempos. O Barcelona mostrou uma crescente absurda na temporada, a estreia de Suárez, em outubro, fez o nível do ataque catalão se elevar de forma fulminante, além do retorno do bom futebol de Messi e de Neymar acontecer no futebol europeu em sua segunda temporada na Espanha. O time conta com os jogadores certos, experiência de quem já conquistou três títulos, como Xavi e Iniesta, e de quem também estava presente na época de ouro junto a Pep Guardiola, como Piqué, Daniel Alves, Busquets, Mascherano e companhia.
Barcelona e Juventus mantiveram vivo o sonho da conquista. (Tribuna do Cisco)
O Barcelona desponta como favorito e a fase semifinal ajudou o clube a conquistar tal status, uma vitória avassaladora no Camp Nou frente ao Bayern deixou as coisas bem mais simples no confronto de volta. Mesmo assim, o time soube reagir quando preciso na Alemanha, matando as chances do novo time de Guardiola e retornando a final da Champions League muito antes do que se era imaginado. Agora o clube tem força no coletivo e no trio de ataque mais decisivo da temporada, Luis Enrique precisará de tudo isso para chegar a sua primeira conquista europeia, o técnico enfim vai vingando, justamente dentro de casa.

Representante da pior liga entre as grandes na Europa, a Juventus não tem dificuldades nem adversários em solo italiano, vem de quatro conquistas consecutivas no Calcio e ainda deve conquistar a Copa Itália, duelará contra a Lazio no fim de maio. Assim como o Barcelona, a Juve quer a tríplice coroa e a vitória na Europa é crucial para consumar a conquista. A evolução da Juventus foi impressionante, a base boa construída por Antonio Conte foi aperfeiçoada por Allegri, a verdade é que Conte protagonizou um fiasco na temporada passada, sendo eliminado na fase de grupos para o Galatasaray. Na temporada atual, o time não deixou a vaga escapar e mesmo se classificando em segundo lugar, a equipe ainda não perdeu na fase de mata-mata, vem com tudo para a luta pelo tricampeonato.

Trio MSN e a temporada perfeita. (Miguel Ruiz - FCB)
Um jejum de treze anos sem sequer chegar a final de Liga dos Campeões, nesse tempo, a Juventus dominou a Itália, foi rebaixada no maior escândalo da história do futebol europeu e conseguiu resgatar o domínio italiano graças a um estádio moderno e acolhedor. O Juventus Stadium foi fundamental para a Velha Senhora conseguir se estabilizar no futebol europeu. Além do estádio, há outros pilares que permaneceram e fizeram da Juventus uma esquadra vencedora, são os casos do zagueiro Giorgio Chiellini e obviamente um goleiro que para muitos é considerado o maior da história do futebol, Gianluigi Buffon já conquistou tudo, exceto a Liga dos Campeões da Europa. A decisão está marcada para 6 de junho no estádio Olímpico de Berlim, o cenário é perfeito para o capitão e goleiro italiano, foi lá que ele se consagrou tetracampeão mundial com a Azzurra. A Juve entra na final como azarão, mas o time tem jogado com esse rótulo desde as oitavas de final, com uma equipe sólida e com Pogba e Tévez inspirados, dificilmente o clube sairá derrotado da grande final.

Desfalcado de seus maiores craques, o Bayern de Munique não foi capaz de parar o Barcelona, vencendo na posse de bola, perdendo no número agregado de gols. Todas as vezes que Pep Guardiola disputou a Liga como técnico, ele chegou pelo menos as semifinais, o problema é que com o Bayern o desgaste fica evidente e ele acaba pisoteado pelo determinado adversário. Obviamente que Robben, Ribéry e Alaba fizeram uma tremenda falta, mas já é hora dos Bávaros buscarem peças de reposição mirando o futuro do clube, Pep tem apenas mais uma temporada em Munique e já demonstrou sua intenção de não renovar o contrato, é hora do campeão alemão pensar seriamente em renovação do plantel. Apesar de tudo, o time ainda possui uma base muito boa capaz de vencer o Barcelona após perder feio na ida, Lewandowski cresce de produção e Götze cai de maneira absurda. É o cenário atual do Bayern de Munique sem rivais na Alemanha, mas com muitos problemas na Europa.

Real Madrid foi vencido pelo sempre
eficiente jogo defensivo italiano. (AFP)
A décima primeira não virá em 2015, mas o Real deve trabalhar para não ficar na seca como ficou muito tempo antes de conquistar a décima. O clube vinha em uma ascensão perfeita até dezembro, a sequência de vitórias consecutivas acabou num amistoso contra o Milan, aquele amistoso mudou a vida do time na temporada, uma queda absurda fez com que o time perdesse o Campeonato Espanhol, a Copa do Rei e a Liga dos Campeões. O plantel pareceu desmotivado, jogando mal, sem poder de criação, de reação e o desgaste de algumas peças ficou evidente. Di María realmente fez muita falta, apesar da ótima temporada de James Rodríguez, Modric fez muita falta, nem Khedira nem Lucas Silva muito menos Illarramendi tinham capacidade para suprir a ausência do croata que passa meia temporada no departamento médico. Contudo, Carlo Ancelotti conseguiu recuperar o elenco, motivar a ponto de conseguir chegar as semifinais, mesmo sem repertório, o time foi para cima da Juventus, falhando em todas as tratativas. Faltam algumas peças para o elenco voltar a ser perfeito, é necessário o lateral direito (já contratado, Danilo virá em contratação junto ao Porto), um meia que crie como Di María criou em sua última temporada pelo Real e o principal, a motivação perdida no continente asiático diante de um Milan limitado.

UEFA Champions League - Semifinal (Destaques)

Craque da rodada: Lionel Messi.

Gol da rodada: Lionel Messi (segundo gol contra o Bayern no confronto de ida).

Surpresa da rodada: Álvaro Morata

Clube da rodada: Juventus

Mico da rodada: Bayern de Munique