quinta-feira, 28 de maio de 2015

Brasil na América – Quartas de Final

Resta um! As quartas de final foram simplesmente surpreendentes para os clubes brasileiros, o Internacional foi do inferno ao céu enquanto o Cruzeiro seguiu o caminho contrário. Após ser derrotado na Colômbia, uma vitória convincente colocou o Colorado na rota do tri, a Raposa novamente caiu em casa para um clube argentino, a pancada foi forte e põe a prova o desempenho cruzeirense na competição mais complexa das Américas. O Brasil nas quartas de final da Taça Libertadores, confira!

Colorado celebra classificação a semifinal. (Getty Images)
Internacional 2 x 1 Santa Fé-COL: O Colorado mostrou porque é o brasileiro mais regular e empolgante da competição, a torcida lota o Beira-Rio, D’Alessandro chama a responsabilidade e o elenco estrelado dar certo como nunca havia dado. A derrota na Colômbia não abateu os gaúchos que tiveram a firmeza e o empenho para reverter o resultado, o 2 a 0 foi pouco, merecia mais, o time foi melhor, sobreviveu a violência colombiana (dois jogadores expulsos) e ainda cansou em perder gols. O poder de reação e a afirmação de Diego Aguirre no comando Colorado são fatores que provam a evolução do terceiro colocado no último Brasileirão, além do mais, o time chegou a quinta semifinal de Libertadores em sua história, a terceira só no novo século.


O Internacional é um clube perigosíssimo se tratando de Taça Libertadores, quando chega, raramente perde a oportunidade de conquistar o campeonato. Aguirre é jovem, possui apenas 49 anos, foi vice-campeão do torneio em 2011, quando o seu Peñarol perdeu para o Santos, em 2015, a rotação do elenco tem favorecido o seu trabalho, todos são importantes, todos estão empenhados. O ataque do Inter é bem mais efetivo que o do Peñarol de 2011, sem falar que D’Alessandro é o grande craque do torneio até o momento, a boa fase e o amor do argentino pelo clube (ele tem jogado com a mão quebrada) são dois motivos que devem levar o Inter a disputa do tricampeonato.

A classificação veio, o Santa Fé não foi páreo, agora, o Internacional terá que manter o ritmo para depois da Copa América, assim como foi em 2006, assim também como em 2010, o adversário será o Tigres do México. Para chegar a final, o Inter terá de enfrentar um dos maiores ídolos da história do clube, o bicampeão da América pelo clube Rafael Sóbis, o atacante que sobra no México vai segurar o coração no confronto interessante de semifinal. Apesar de tudo, os gaúchos são favoritos.

River não deu chances ao Cruzeiro em BH (Getty Images)
Cruzeiro 1 x 3 River Plate-ARG: O Cruzeiro enfrentou o pior time da primeira fase, o mesmo que eliminou o Boca graças ao ato polêmico dos Xeneizes, o problema é que a camisa do River pesa e deve ser respeitada. A Raposa fez o jogo certeiro em Buenos Aires, matou a partida no segundo tempo, mas as deficiências mineiras ficaram evidentes ainda no Monumental, foram muitos passes errados, além de uma defesa bem enrolada. Mena não conseguiu se firmar no Santos, por que ele daria certo na equipe bicampeã do Brasil? Não desmereço o Santos, mas o momento do Cruzeiro era muito melhor ano passado e mesmo assim o Santos não fez questão de ficar com o chileno.

Na volta, os erros não foram perdoados pelos argentinos, o River se aproveitou do enfraquecimento mineiro, não respeitou o Mineirão lotado e marcou primeiro num bom contra-ataque, Mena não estava por lá e Sánchez recebeu sozinho. Fábio não conseguiu operar milagres na volta, Arrascaeta se esqueceu de buscar o bom futebol que ele apresentou na primeira fase e Willian não pode perder tantas oportunidades em jogo de Taça Libertadores. Foi a segunda eliminação consecutiva da Raposa, a forma melancólica como tem sido põe a prova o trabalho excelente da atual gestão, Marcelo não consegue se entender com as Copas, são três vices da Copa do Brasil e duas eliminações precoces na Libertadores. Creditando o trabalho argentino, na temporada passada, o San Lorenzo despachou o Cruzeiro e acabou se tornando campeão da América, será que o River traçará o mesmo caminho? É provável, o clube evoluiu bastante.

O Cruzeiro não deixa a Libertadores de cabeça erguida, pelo contrário, terá de repensar muita coisa caso queira voltar a ela em 2016, o desempenho tem sido muito abaixo do esperado e o time não mostra forças para se reabilitar. O River espera por Racing ou o Guaraní paraguaio, os Millonarios já despontam como favoritos na fase semifinal.

Vem aí a grande final da Liga dos Campeões da Europa, Juventus e Barcelona duelarão pela tríplice coroa e a hegemonia da temporada 2014/2015, confira nosso teaser!