terça-feira, 17 de março de 2015

UFC 185: Você conhece Rafael dos Anjos?


É interessante como no Brasil muitos atletas começam sua carreira no MMA de uma forma muito semelhante aos primórdios do esporte, quando ainda tinha o nome de Vale Tudo. A fórmula é simples, eu viro especialista em alguma arte marcial para procurar dominar meu oponente, aprendo técnica complementares de outras lutas e traço minha estratégia para explorar minha especialidade. No MMA, este é o gabarito da formação de lutadores medíocres, pois você jamais será um campeão se não for completo. É por isso que eu gostaria de te apresentar um rapaz que talvez você não o conhecesse, chama-se Rafael dos Anjos.

Rafael dos Anjos. (Graciemag.com)

No Rio de Janeiro tivemos muitas lendas da arte suave, o jiu-jitsu. Um deles chamava-se Calrson Gracie. Os pupilos e próximos ao Mestre Carlson falavam que ele precisava de cinco minutos para saber se aquele praticante seria um campeão ou não. Rafael, é carioca, começou no Jiu-Jitsu e mostrou muito talento como grappler. Em 15/11/2008, Rafael estreou no UFC com um cartel de 11-2. Era um bom recorde, principalmente em uma categoria em que brasileiros nunca foram destaques. Quem viu Rafael lutar nos três primeiros anos (desempenho de 4-4), percebeu que ele continuou com uma luta de solo afiadíssima e seu jogo em pé demonstrou evolução, porém estava muito aquém de um lutador para brigar pelo cinturão. Mencionando mais uma vez o mestre Carlson, era como se ele não tivesse o pedigree de um campeão.

O casamento deu certo. (tatame.com)

Só que nós podemos contribuir para escrevermos uma boa parte de nossa história. Rafael dos Anjos resolveu se mudar para os EUA, fechar uma parceria com o lendário Rafael Cordeiro mestre da Chute Boxe e hoje líder da Kings MMA. Cordeiro é especialista em Muay-Thai, foi muito importante no desenvolvimento de Wanderlei Silva, Maurício Shogun, Murilo Ninja, Renato Babalu, Mark Muñoz e etc. Era o que faltava para o jogo de Dos Anjos. Mas isso tudo era teoria, o importante, seria a prática.

Rafael fez uma luta no card preliminar contra Kamal Sharolus e finalizou com 1:40 de luta. Foi um domínio absurdo! Na próxima vez que entrou no octógono, foi só em combates do card principal. A verdade é que Dos Anjos podia não ser badalado, mas o UFC o observava. E não tinha como, depois do iraniano foram mais três vitórias seguidas para todos terem certeza que ele era um dos tops da categoria e merecia um grande duelo. O title-shot foi oferecido quando Dos Anjos enfrentou o invicto Khabib Nurmagomedov. O resultado não foi o que ele esperava. Khabib dominou a luta com seu wrestling e não teve a chance de brigar com Pettis.

Para muitos, isso seria um grande balde de água fria. Aliás, para qualquer um! Só que Rafael reagiu da melhor forma possível, ou seja, no outro dia já estava na academia buscando evoluir ainda mais seu jogo. Foram mais três vitórias seguidas, incluindo um nocaute no ex-campeão Ben Henderson e um massacre em Nate Diaz. Com a lesão de Nurmagomedov, Rafael foi confirmado como desafiante de Anthony Pettis, a pedido do próprio campeão.

Rafael massacra Pettis. (ig.esporte)
A categoria dos leves está em alta no UFC há uns quatro anos pelo equilíbrio e a quantidade de talento que existe nela. Só que nesta disputa de cinturão, havia um massacre midiático de Pettis. Bolsas de apostas, coletivas de imprensa, matérias da mídia não especializada. Rafael disputou um cinturão sem praticamente ser mencionado por ninguém. Entrou no octógono da mesma forma de sempre, apenas com o treino e a disposição de cada dia.

E o resultado? Ele se tornou o primeiro campeão dos leves do UFC da história do Brasil. Sim, aquele lutador que a maioria nunca ouviu falar, é o campeão. Todos nós sabemos que Belfort luta em Maio e José Aldo terá seu duelo com o falastrão Irlandês. Em menor escala, Barão fará sua revanche contra Dillashaw e Werdum enfrentará Velasquez na unificação dos cinturões do pesado. E Dos Anjos? Esse não precisa falar mais nada, ele já tem o que merece.

É por isso que eu tenho muito prazer em te apresentar Rafael dos Anjos. Quando eu o vi a primeira vez, não levei muita fé nele por parecer ser um lutador unidimensional. Mas acima de tudo, ele percebeu, procurou ajuda, trabalhou, treinou, se esforçou e fez as gotas de suor dele se transformarem em glória. 

 O novo campeão e sua família. (extra.globo)
Ainda não conhece Rafael Dos Anjos? A foto abaixo vai resumir tudo isto que falei.