domingo, 5 de outubro de 2014

Por bolas isoladas, Costa despacha Costinha e sua trupe

Um show tático, muito empenho e destaques individuais em mais uma vitória do super Chelsea da nova temporada, o time enfrentou possivelmente o adversário mais complicado, o rival direto na briga pela conquista da Premier League 2014/2015, mas o Arsenal de Wenger, o Costinha, provou que ainda está a um passo atrás do Special One e seus comandados. Os Gunners até iniciaram a partida mostrando que poderiam surpreender, destacando o bom início de temporada de Danny Welbeck (não, ele não é um mau jogador), a joia inglesa acabou muito isolada, teve que voltar ao meio para buscar a bola. Já não se pode dizer o mesmo de Mesut Özil, o campeão mundial mal conseguiu tocar na bola, não armando um lance sequer e muito menos chutando ao gol, o que está acontecendo com o ex-camisa 10 do Real Madrid?
Costa: 9 gols em 7 jogos. (Getty Images/Tribuna do Cisco)
Agora falando de coisa boa, o desempenho do Chelsea está excepcional, o rápido entrosamento de Fàbregas e Diego Costa com o elenco bem mais amadurecido tornou os Blues a grande força do futebol europeu no começo de temporada, acredito que Costa seja o melhor jogador brasileiro em atividade, um belo gol na única chance que ele teve para marcar, vale ressaltar o brilhante passe de Cesc (renegado pelo Barcelona). Mourinho conseguiu pilhar os atletas, o empenho de Oscar foi para se bater palmas, sem falar do conhecimento tático do técnico português, bloqueando as frustradas tentativas de chegada de Jack Wilshere, sobrando para um Özil irreconhecível e para um limitado Flamini “armar” as tentativas.

O retrospecto já é excelente, 6 vitórias e um empate, o artilheiro do campeonato (Diego Costa) e o craque da companhia (Eden Hazard), o Chelsea já era o nosso candidato máximo ao título do Campeonato Inglês, agora, o céu parece ser o limite para o Special One. Todavia pode-se notar o único e óbvio defeito da equipe, a escassez de defensores, chegará o momento em que John Terry e Gary Cahill sentirão o peso da temporada e terão que sofrer retirados do onze inicial, o problema é que Mou só apostou em garotos para a reserva, podendo vir a ser um problema futuro. No jogo de hoje, um Chelsea irretocável, um time completamente acima dos demais rivais, que viva o bom futebol, o brilhantismo tático e a forma excelente do nosso hispano-brasileiro Costa.

Wenger e Mou quase saem no tapa. (Getty Images)
Até a próxima!