quinta-feira, 11 de setembro de 2014

A Ressaca

Após quebrar o longo tabu frente à Argentina e manter vivo o sonho de milhões de brasileiros, a Seleção Brasileira voltou a oscilar, justamente contra um velho conhecido, a Sérvia, que mostrou uma evolução sem igual da fase de grupos para a fase de mata-mata. Os pecados brasileiros ficaram bem evidentes, a equipe não conseguiu entrar em quadra, a prova disso foi a impressionante queda de rendimento de Leandrinho, o ala-armador só conseguiu pontuar no terceiro quarto, ainda vimos os demais craques perderem a cabeça, muitas faltas técnicas, muita displicência, um time completamente irreconhecível.
Alex não concorda, o Brasil não conseguiu se encaixar contra uma Sérvia fortalecida. (Correio Braziliense/Tribuna do Cisco)
O time estava desempolgado, parecia que o confronto contra a Argentina havia sido a final e o jogo contra a Sérvia seria o famoso “amistoso de ressaca”, foi uma verdadeira aula dos europeus, um placar elástico de 84 a 56 provou como a equipe sérvia cresceu na competição, concluindo também que o Brasil decaiu e até mesmo subestimou os sérvios, o jogo na fase de grupos não foi só apagão, teve muito do talento e força do elenco da Sérvia, sem falar de uma das graves deficiências do trabalho de Rubén Magnano. O time não consegue manter a regularidade, em um momento a Seleção faz o jogo perfeito e consegue eliminar a Argentina de maneira muito convincente, outra hora o Brasil sofre horrores e perde a cabeça, como aconteceu contra Espanha e Sérvia, uma ironia é o fato que Sérvia e França farão uma das semifinais, o Brasil venceu as duas seleções na fase de grupos, sem mais!

Apesar do frustrante e traumatizante revés, o Brasil criou mais uma cicatriz, o time sofreu mais uma derrota, com isso, Magnano e elenco conquistou mais um motivo para crescer e chegar mais forte para a disputa dos Jogos Olímpicos do Rio em 2016, a base evoluiu e ganhou jovens que se tornaram fundamentais no plantel. Se antes perdíamos para a Argentina, hoje, jogamos de igual para igual não só contra os hermanos, mas contra qualquer seleção (com exceção dos Estados Unidos), se antes não tínhamos perspectiva de brigar por medalha, hoje, tenho total convicção que a equipe brasileira vai entrar nas Olimpíadas do Rio como um forte candidato pelo pódio. Perdemos feio e não mostramos poderio de reação, contudo, estamos cicatrizados e prontos para mais uma batalha, que venham os Jogos Olímpicos em nossa casa!

Grande abraço!