sexta-feira, 4 de julho de 2014

Vitórias de campeões

França 0 x 1 Alemanha: O grande clássico da fase abriu as quartas de final, a Alemanha jogava para manter a hegemonia e chegar a sua quarta semifinal consecutiva, seria a décima terceira semifinal em vinte Copas do Mundo, que time e história tem os tricampeões. Do outro lado, tínhamos uma França unida, jogando bem e pronta para mostrar que poderiam brilhar no Brasil, era o jogo perfeito para provar a evolução, um jogo digno de Maracanã. A partida foi equilibradíssima, vimos enfim o time de Joachim Löw fazer uma partida convincente, graças as opções do treinador em colocar Lahm na lateral direita e Khedira e Klose no time titular, o time jogou como todos nós estávamos na expectativa, muito bem por sinal!
Sem dúvida, o melhor confronto das quartas de final. (Tribuna do Cisco)
Os franceses entraram com o que tinham de melhor, Deschamps pôs Giroud no banco e deu a oportunidade para o garoto Griezmann, ponta que é uma das boas revelações do Mundial. O que a França não contava era que os germânicos matariam a partida com apenas minutos de primeiro tempo, cruzamento perfeito de Kroos e cabeçada daquele que é o melhor zagueiro do futebol alemão na atualidade, enfim Matt Hummels fez uma grande partida, o melhor do defensor na Copa, 1 a 0! A França sentiu o gol, mas não se abateu, mas as tentativas de Benzema, Valbuena e o craque Pogba pararam na parede Neuer.

Löw chega  a mais uma semifinal
 de Copa do Mundo. (AP)
No segundo tempo, percebi um Didier Deschamps muito acomodado com a situação, demorando muito a mexer e colocar atacantes como Giroud e Remy, com isso, a Alemanha se aproveitou, jogava no contra-ataque e teimava em perder gols, foi desse jeito que vimos André Schürlle perder dois gols feitos e ainda observamos emoções guardadas para os minutos finais. Assim, Karim Benzema tabelou com Giroud e chutou com perfeição, todavia, a perfeição mesmo foi a espetacular defesa de Neuer, praticamente o segundo gol alemão, a verdade é que foi a defesa da classificação e os alemães estão novamente nas semifinais.

A Alemanha agora está na rota do Brasil, o fato é que o jogo será a prova de fogo para que o time de Löw mostre a evolução e que também mostre o amadurecimento dos jogadores, vale lembrar que a Alemanha ficou apenas com o terceiro lugar nos Mundiais de 2006 e de 2010. Os germânicos não vinham bem, mas realmente chegam muito fortalecidos a disputa por uma vaga na final e, por que não, fortalecidos para a tão esperada conquista do tetra, o jogo será sensacional!

Ficha Técnica:

Local: Estádio do Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)

Data: 4 de julho de 2014, sexta-feira

Horário: 13 horas (de Brasília)

Árbitro: Nestor Pitana, da Argentina

Assistentes: Hernan Maidana e Juan Pablo Belatti, ambos da Argentina

Cartões amarelos: Khedira e Schweinsteiger (Alemanha)

Gols: Matt Hummels, aos 12 minutos do PT (Alemanha)

FRANÇA: Lloris; Debuchy, Varane, Sacko (Koscielny) e Evra; Matuidi, Cabaye (Remy) e Pogba; Valbuena (Giroud), Benzema e Griezmann
Técnico: Didier Deschamps

ALEMANHA: Neuer; Lahm, Boateng, Hummels e Howedes; Schweinsteiger, Khedira e Kroos (Kramer); Ozil (Gotze), Klose (Schurrle) e Muller
Técnico: Joachim Low

Brasil 2 x 1 Colômbia: Fortalecido graças a vitória sofrida contra o Chile, o Brasil teria um desafio complicado, o adversário seria os invictos colombianos, a vitória brasileira poria fim a um jejum para lá de chato, ser eliminado nas quartas de final em 2006 e 2010, o Brasil precisava da vitória. A Colômbia já havia feito sua melhor campanha na sua história nas Copas do Mundo, por isso, os jogadores entraram muito pilhados para confirmar o que parecia impossível e tentaram ser os responsáveis por despachar o Brasil em sua casa, eram vários os ingredientes para um partidaço.
Brasileiros e colombianos fizeram um bom jogo, vitória brasileira. (Tribuna do Cisco)

O Brasil começou como todos tanto aguardaram, jogando com a pegada da Copa das Confederações, marcando em cima, se impondo e mostrando que é o dono da casa e favorito a conquista do hexa. A Seleção pressionou demais e a Colômbia não resistiu, cruzamento de Neymar e gol do capitão Thiago Silva, o zagueiro estava muito empolgado, forte e inteiro para superar qualquer obstáculo. A família Scolari seguiu forte, tomando conta do jogo e anulando o bom futebol de Cuadrado e Rodríguez, mas o primeiro tempo seguiu com a vantagem no placar mínimo. Outro ponto que vale lembrar era o quão violento estava o jogo, o árbitro espanhol simboliza bem como a FIFA propõe o rigor dos jogos. No segundo tempo, vimos um Brasil abrir espaços, deixar a Colômbia trabalhar a bola, voltando um pouco a ser o Brasil dos demais jogos na Copa do Mundo, um erro crasso.

Quando a Seleção penava em campo, um jogador chamou a responsabilidade e matou o jogo... Não foi Neymar! David Luiz ganhou de presente uma falta sofrida por Hulk, o mito da zaga mandou um petardo de muito longe, meteu colocada com muita força, foi no ângulo e sem chances para Ospina, 2 a 0 e folga no marcador. David Luiz é um dos craques da Copa, caso o Brasil siga até a final e conquiste o sonhado hexa em casa, ele tem grandes chances de ser eleito o melhor jogador do Mundial. O Brasil matou o jogo e novamente deixou os colombianos chegarem, aos poucos, o time brasileiro dói se desestabilizando, primeiro, Thiago Silva foi infantil e tentou atrapalhar Ospina na reposição de bola, resultando no cartão amarelo que tirou nosso capitão da semifinal, uma atitude completamente desnecessária.

Neymar deixa o campo chorando,
 brasileiro deixa a Copa do Mundo. (AP)
Outro ponto foi a grave lesão de Neymar, mas isso é tema para logo mais, antes da lesão, vimos Carlos Bacca (que estreou na Copa na partida de hoje) driblar Júlio César e ser derrubado pelo goleiro brasuca, a Colômbia tinha um pênalti que devolveria os sulamericanos para o jogo. James Rodríguez descontou, mas era tarde e a Colômbia não mostrou força suficiente para mudar os rumos da partida. O Brasil encerra o pequeno jejum e retorna as semifinais de Mundial, um resultado muito satisfatório, afinal de contas, um peso das costas já foi tirado, agora, a pressão diminui e Felipão terá mais tranquilidade.

Pois bem, Neymar está fora da Copa e o lance foi chocante, entretanto, assim como a entrada de De Jong em Xabi Alonso, Zuniga não foi punido, provando que a FIFA compromete as decisões da arbitragem, isso pelo fato de pedirem para os árbitros economizarem no número de cartões. A ausência do camisa 10 será fundamental para o andamento da campanha brasileira no Mundial, é mais um baque que o time de Scolari toma, é mais um motivo que fortalece o grupo, que talvez leve para o hexa, mas de fato, a Alemanha é muito favorita no confronto, principalmente por vir de duas eliminações em semifinal, os jogadores estão mais “cascudos”, experientes, será uma partida espetacular e o Brasil terá que se superar.

Ficha Técnica:

Local: Castelão, em Fortaleza (CE)

Data: 4 de julho de 2014, sexta-feira

Horário: 17 horas (de Brasília)

Árbitro: Carlos Velasco Carballo (Espanha)

Assistentes: Roberto Alonso Fernandez e Juan Yuste (ambos da Espanha)

Cartões amarelos: Thiago Silva e Júlio César (Brasil); James Rodríguez e Yepes (Colômbia)

Gols:

BRASIL: Thiago Silva, aos seis minutos do primeiro tempo; David Luiz, aos 23 minutos do segundo tempo

COLÔMBIA: James Rodríguez (pênalti), aos 34 minutos do segundo tempo

BRASIL: Júlio César; Maicon, Thiago Silva, David Luiz e Marcelo; Fernandinho e Paulinho (Hernanes); Hulk (Ramires), Oscar e Neymar (Henrique); Fred
Técnico: Luiz Felipe Scolari

COLÔMBIA: Ospina; Zuñiga, Cristian Zapata, Yepes e Armero; Guarín, Carlos Sánchez, Cuadrado (Quintero) e Ibarbo (Adrián Ramos); James Rodríguez e Téo Gutierrez (Bacca)
Técnico: José Pekerman