domingo, 6 de julho de 2014

Ferrari ensina como destruir campeões

Após dominar o GP da Áustria, a Mercedes chegou a Inglaterra mantendo a pole, isso graças a mais excelentes voltas de Nico Rosberg. No domingo, o Grande Prêmio de Silverstone começou com muitas polêmicas, primeiro porque logo nas primeiras curvas Kimi Raikkonen perdeu o controle do carro, bateu no guard rail e rodou no meio da pista, quis o destino que logo Felipe Massa fosse o atingido, o brasileiro não está tendo sorte e olhe que já não basta a Williams errar com ele. Outro triste fato é que Kimi Raikkonen não consegue se entender com sua Ferrari, o finlandês voltou a F1 em 2012 e foi muito bem na Lotus, ou seja, o que a escuderia italiana fez com ele e Alonso que ambos não conseguem brilhar e disputar títulos? É inaceitável desperdiçar o talento dos dois pilotos.
Hamilton volta a flertar com a liderança evence em sua casa. (Reuters/Tribuna do Cisco)
A bandeira vermelha interrompeu a corrida por quase uma hora, houve relargada e Rosberg seguiu a liderar a prova, com a dupla da McLaren muito bem, Button e Magnussen, mas quem estava no encalço dos três e muito motivado a roubar a ponta era Lewis Hamilton, o britânico precisava de uma vitória para manter vivo o sonho da conquista do campeonato. Com a sequência da corrida, Hamilton roubou a vice-colocação e seguiu um bom plano para buscar a vitória, mas quem mostrava talento era Fernando Alonso, o piloto espanhol estava na décima terceira posição e chegou à oitava, então, como um craque como Alonso não disputa título? A resposta fica a cargo da Ferrari.

Gutiérrez se vingou de Maldonado e não tomou conhecimento do venezuelano em disputa por posições, resultado, o carro de Maldonado quase voou e o mexicano acabou abandonando a prova e ainda ganhou uma punição para a próxima prova, perderá três posições ao fim da corrida. A outra grande polêmica de Silverstone foi quando o câmbio de Rosberg parou de funcionar, obrigando o alemão a abandonar a prova e abrindo oportunidade para Hamilton diminuir a vantagem, é esquisito, a Mercedes tem alternado os erros, uma vez erra com Rosberg, outra vez erra com Hamilton, óbvio que o campeonato segue emocionante, mas é um pouco chato tantos erros de equipe.

A saída de Rosberg abriu as oportunidades para Hamilton vencer em sua casa, não havia alguém mais emocionado quando se deu a bandeirada, foi a quinta vitória do inglês na temporada, diminuindo a diferença para Rosberg para apenas quatro pontos, a briga está muito acirrada e ainda não dá para saber quem vencerá o mundial (quebrando totalmente o que eu havia dito no post sobre o Grande Prêmio da Áustria), sim, “Habemus” campeonato! Valtteri Bottas segue ofuscando Felipe Massa e conquistou o segundo lugar do GP, o finlandês vive o melhor momento da carreira e não duvido que ele consiga beliscar uma vitória daqui para o fim da temporada. O excelente Ricciardo completou o pódio e somou mais preciosos pontos que o mantém na liderança entre os mortais, ou seja, ele é terceiro colocado.
O GP da Inglaterra, o erro de Raikkonen, a frustração de Rosberg e mais uma vitória da Mercedes. (Tribuna do Cisco)
Uma pena para Felipe Massa, o brasileiro poderia ter feito uma boa prova de recuperação na Inglaterra, o incidente acabou encerrando muito precocemente sua corrida de número 200, ficou para próxima, Felipe! Falando em próxima, a Fórmula 1 agora segue para a Alemanha, o Grande Prêmio de Hockenheim será a chance para Rosberg dar o troco em Lewis e tentar vencer dentro de casa, a prova acontecerá no próximo dia 20, será fantástico!

Classificação Final – Grande Prêmio da Inglaterra (Silverstone)
1) Lewis Hamilton          (ING/Mercedes)                     em 2h26m52s094
2) Valtteri Bottas            (FIN/Williams-Mercedes)       + 30s135
3) Daniel Ricciardo        (AUS/RBR-Renault)               + 46s495
4) Jenson Button            (ING/McLaren-Mercedes)     + 47s390
5) Sebastian Vettel         (ALE/RBR-Renault)               + 53s864
6) Fernando Alonso        (ESP/Ferrari)                         + 59s946
7) Kevin Magnussen       (DIN/McLaren-Mercedes)     + 1m02s563
8) Nico Hulkenberg         (ALE/Force India-Mercedes) + 1m28s692
9) Daniil Kvyat                 (RUS/STR-Renault)              + 1m29s340
10) Jean-Eric Vergne       (FRA/STR-Renault)               - 1 volta
11) Sergio Pérez              (MEX/Force India-Mercedes) - 1 volta
12) Romain Grosjean      (FRA/Lotus-Renault)              - 1 volta
13) Adrian Sutil                (ALE/Sauber-Ferrari)             - 1 volta
14) Jules Bianchi             (FRA/Marussia-Ferrari)          - 1 volta
15) Kamui Kobayashi      (JAP/Caterham-Renault)        - 2 voltas
16) Max Chilton               (ING/Marussia-Ferrari)           - 2 voltas
17) Pastor Maldonado     (VEN/Lotus-Renault)              - 3 voltas

Abandonaram:
Nico Rosberg          (ALE/Mercedes)                       28 voltas
Marcus Ericsson       (SUE/Caterham-Renault)       11 voltas
Esteban Gutiérrez     (MEX/Sauber-Ferrari)              9 voltas
Felipe Massa          (BRA/Williams-Mercedes)      1 volta
Kimi Raikkonen        (FIN/Ferrari)                              0 volta

Mundial de Pilotos:
1. Nico Rosberg: 165 pontos
2. Lewis Hamilton: 161
3. Daniel Ricciardo: 98
4. Fernando Alonso: 87
5. Valtteri Bottas: 73
6. Sebastian Vettel 70
7. Nico Hulkenberg: 63
8. Jenson Button: 55
9. Kevin Magnussen:35
10. Felipe Massa 30
11. Sergio Pérez: 28
12. Kimi Raikkonen: 18
13. Jean-Eric Vergne: 9
14. Romain Grosjean: 8
15. Daniil Kyvat: 6
16. Jules Bianchi: 2

*Os demais ainda não somaram pontos.

Mundial de Construtores:
1. Mercedes: 326 pontos
2. RBR/Renault: 168
3. Ferrari: 106
4. Williams/Mercedes: 103
5. Force India/Mercedes: 91
6. McLaren/Mercedes: 90
7. STR/Renault: 15
8. Lotus/Renault: 8
9. Marussia/Ferrari: 2
10. Sauber/Ferrari: 0
11. Caterham/Renault: 0