terça-feira, 3 de junho de 2014

Tribuna de Copa – Episódio 8

Surpresas: Suíça
Equipe mais fria do Mundial, Suíça é candidata a dar trabalho. (Soccersouls)
Começo mais um post lançando a seguinte questão, qual o time mais frio, mais sólido dentre todos que disputarão a Copa do Mundo FIFA Brasil 2014? Eu não penso duas vezes, a Suíça não só neste Mundial, mas em toda sua história futebolística é famosa por ser fria a ponto de tornar a equipe bastante sem graça, porém, às vezes dá certo e a seleção apronta para gigantes, como foi o caso da Copa da África, quando os suíços foram os únicos a derrotar a campeã Espanha. Ottmar Hitzfeld tem em mãos talentos que fizeram com que o futebol da Suíça deixasse de ser monótono e se tornasse mais vistoso, a ponto de ser a única seleção a vencer o Brasil nos últimos tempos, o fato é que os suíços evoluíram, evoluíram até demais, conquistando uma classificação de forma invicta nas eliminatórias para a Copa, o time europeu é cabeça de chave do grupo E.

Toda seleção que almeja grandes coisas começa com um bom goleiro, Diego Benaglio é, sem dúvidas, um dos maiores jogadores da história do Wolfsburg, não foi à toa que Diego conseguiu chegar a esse patamar. O goleiro também se firmou no gol da seleção suíça, se tornando um dos grandes nomes do atual elenco, o arqueiro é melhor que todos os três goleiros da Argentina, melhor até mesmo que os três goleiros holandeses que virão ao Brasil. Roman Bürki, do Freiburg, ainda é muito jovem, mas já tem provado que pode ser exigido, além dele, Yann Sommer, grande revelação do Basel que acaba de conseguir um bom contrato com o Borussia Mönchengladbach, a Suiça está bem servida de goleiros.

Os defensores suíços não são nomes tão grandiosos a ponto de meter medo nos adversários, o que realmente põe medo é a mística que existe no setor, unidos, esses atletas conseguem bloquear até os melhores ataques do planeta, segurando um 0 a 0 ou 1 a 0 a favor. O grande nome defensivo é Stephan Lichsteiner, o lateral da Juventus é famoso por subir ao ataque com muita eficiência e também por voltar a tempo de marcar com perfeição. Johannes Djourou e Phillipe Senderos dão um pouco mais de segurança a zaga europeia, o segundo, inclusive, é famoso por seu porte físico e a segurança que ele ganhou nos tempos de Arsenal. O lateral esquerdo Ricardo Rodriguez, também do Wolfsburg, é um promissor jogador que já é titular do time alemão e da seleção, quem sabe Rodriguez não valoriza a ponto de se apresentar para o resto do mundo.

Hitzfeld quer levar seu país a
 mais do que magras vitórias. (DBA)
O meio campo suíço é o melhor setor da equipe em relação aos nomes, temos figuras boas como Tranquillo Barnetta, jogador que jamais se firmou em clube algum, embora seja um atleta do meu agrado, temos também Blerim Dzemaili, jogador que se firmou no Napoli e joga ainda melhor pela seleção. Gökhan Inler nem teve uma grande temporada no Napoli, sendo às vezes ofuscado pelo brasileiro naturalizado italiano Jorginho, todavia, pela Suiça, Inler é um jogador diferenciado, sendo um forte pilar de liderança, sem falar de sua boa parte técnica. O time ainda conta com mais um meia do Napoli, Valon Behrami já viveu seu auge, mas ainda assim é um jogador que ajuda o grupo. Um pouco mais para frente, eis que chegamos ao grande jogador da atual seleção suíça, Xherdan Shaqiri jogou muito pelo Basel, foi contratado pelo Bayern como uma promessa a ponto de explodir, em sua primeira temporada, o meia conquistou todos os títulos possíveis, mas ainda não vingou como se esperava. Apesar disso, Shaqiri rende bastante pela seleção, sendo técnica, velocidade, talento e coração, é o melhor jogador desta equipe. Valentin Stocker é outro que merece ser lembrado, o bom meia do Basel é o famoso jogador de segundo tempo, contudo, boas atuações o podem colocar na condição de titular.

O ataque suíço já teve nomes mais famosos, hoje em dia, Alexander Frei já está ultrapassado, mais para o fim de carreira, dessa forma, ele já não faz mais partes dos planos de Hitzfeld, por isso, o ataque não tem mais nomes tão famosos. Quem surgiu de maneira positiva foi Eren Derdiyok, mas o jogador acabou pulando de clube em clube e terminou por cair de rendimento, estando presente apenas na lista de suplentes do técnico. Os bons nomes são Haris Seferovic e Granit Xhaqa, com Mario Gavranovic e Josip Drmic correndo por fora. Ottmar Hitzfeld é um bom técnico, com boas passagens pelo Bayern de Munique (a primeira bem melhor que a segunda) e também sendo o técnico que levou o Borussia Dortmund a sua única conquista de Liga dos Campeões, em 1997. Como técnico do seu país de origem, Hitzfeld ainda precisa de afirmação, começando muito bem a Copa da África, vencendo a Espanha, mas depois declinou de forma que foi eliminado ainda na primeira fase, a Copa do Brasil será crucial para avaliarmos a evolução da Suíça e do seu comandante.

A Suíça é cabeça de chave do grupo E, a estreia será contra o Equador em Brasília, um jogo duro em um grupo que ainda conta com a França e com a violenta seleção de Honduras, o caminho é complexo, mas creio que os suíços não terão problemas para segurar uma vaga nas oitavas de final, projetando um possível confronto contra a Argentina, caso a Suíça passe em segundo ou até mesmo um bom clássico contra a Bósnia, isso se os suíços passarem na liderança.
Shaqiri e quarteto do Calcio são grandes nomes dessa boa geração suíça. (Tribuna do Cisco)

Confira a lista com os convocados de Ottmar Hitzfeld:

Goleiros: Diego Benaglio (Wolfsburg), Roman Bürki (Grasshopper), Yann Sommer (Basel)

Defensores: Steve von Bergen (Young Boys de Berna), Johannes Djourou (Hamburgo), Michael Lang (Zurich Grasshopper), Stephan Lichsteiner (Juventus de Turim), Ricardo Rodriguez (Wolfsburg), Fabian Schär (Basel), Philippe Senderos (Valencia), Reto Ziegler (Sassuolo Calcio)

Meio-campistas: Tranquillo Barnetta (Eintracht Frankfurt), Valon Behrami (Napoli), Blerim Dzemaili (Napoli), Gelson Fernandes (Freiburg), Gökhan Inler (Napoli), Xherdan Shaqiri (Bayern de Munique), Valentin Stocker (Basel)

Atacantes: Josip Drmic (Bayer Leverkusen), Mario Gavranovic (FC Zurich), Admir Mehmedi (Freiburg), Haris Seferovic (Real Sociedad), Granit Xhaqa (Borussia Mönchengladbach)

Lista de sete suplentes: Marwin Hitz (Augsburg), Timm Klose (Wolfsburg), Silvan Widmer (Udinese), Eren Derdiyok (Bayer Leverkusen), Fabian Frei (Basel), Pajtim Kasami (Fulham), Pirmin Schwegler (Eintracht Frankfurt).