segunda-feira, 30 de junho de 2014

Roteiro que segue

França 2 x 0 Nigéria: No primeiro confronto entre europeus e africanos no dia, a fortíssima França encarou a Nigéria que surpreendeu na primeira fase, a surpresa prometia dar trabalho... E deu! A França parecia perdida, isso graças à opção de Didier Deschamps que insistiu em Giroud no onze inicial, deixando a revelação Griezmann no banco, inexplicável, a prova disso é que Giroud foi o melhor jogador em campo no lado nigeriano na primeira etapa, ou pelo menos quase isso.
França leva susto, mas segue firme e no caminho certo para conquistar o bi-campeonato. (Tribuna do Cisco)
A Nigéria jogou de igual para igual e atacou até mais no primeiro tempo, mas Musa estava muito sumido, talvez tenha sido isso o fato pelo qual os africanos não tenham conseguido chegar ao gol na primeira etapa. O melhor jogador da França no jogo era Paul Pogba, o jogador prova cada vez mais que ele é realmente uma das maiores joias do futebol atual. O segundo tempo só foi melhorar para os franceses quando Deschamps deixou a cabeça dura e sacou Giroud, Griezmann entrou para ver se Benzema voltava a ser o Benzema que conhecemos.

Pogba resolveu para a França, um craque! (Getty)
Na etapa final, o goleiro Enyeama chamou a responsabilidade e começou a fechar o gol, o nigeriano foi um dos melhores atletas do Mundial, porém, após a defesa fantástica que ele fez no belo chute de Valbuena terminou resultando no gol francês. A cobrança de escanteio, a péssima isolada do guarda-redes e a bola sobrou na cabeça de Pogba, só ele poderia tirar os franceses do sufoco, o gol saiu apenas aos 34 minutos da segunda etapa, foi crucial. A França acordou com o gol e a Nigéria sentiu o baque e ainda viu Griezmann ganhar a disputa na área e empurrar para as redes, 2 a 0 e França confirmou as expectativas, está nas quartas de final da Copa do Mundo.

A França segue na rota da Seleção Brasileira, mas, antes disso, terá uma das seleções mais fortes do Mundial, a Alemanha. O jogo será no Maracanã às 13:00, o calor pode afetar ambos os europeus, mas o jogo será importantíssimo para avaliarmos a evolução da equipe de Deschamps, a partida desponta como a melhor da fase de quartas de final, pelo menos no papel.

Ficha Técnica:

Local: Estádio Nacional Mané Garrincha, em Brasília (DF)

Data: 30 de junho de 2014

Horário: 13h (de Brasília)

Árbitro: Mark Geiger (EUA)

Assistentes: Sean Hurd (USA) e Joe Fletcher (CAN)
Cartões Amarelos: Matuidi (França)

GOL:

Pogba (França), aos 34 minutos do segundo tempo e Griezmann (França), aos 46 minutos do segundo tempo.

FRANÇA: Lloris; Debuchy, Varane, Koscielny e Evra; Cabaye, Matuidi, Pogba e Valbuena (Sissoko); Giroud (Griezmann) e Benzema.
Técnico:Didier Deschamps

NIGÉRIA: Enyeama; Ambrose, Yobo, Oshaniw e Omeruo; Mikel, Onazi (Reuben Gabriel), Musa, Victor Moses e Odemwingie; Emenike.
Técnico: Stephen Keshi

Alemanha 2 x 1 Argélia: Repetindo a dose na disputa entre europeus e africanos, alemães e argelinos fizeram um jogo muito melhor que o primeiro do dia, a verdade é que as duas nações fizeram um dos melhores jogos do Mundial. A Alemanha segue penando na Copa, com exceção dos 4 a 0 sobre Portugal, o time europeu não tem feito partidas boas, acho um erro e tanto a opção de Löw em repetir Pep Guardiola e tirar Lahm da lateral direita, primeiro porque o técnico alemão não tem o talento do espanhol, segundo porque a Alemanha fica muito melhor com um meio campo com Schweinsteiger, Kroos ou Khedira, mais encorpada e segura, assim como o time melhora com Lahm na direita.
Alemanha e Argélia fizeram um dos melhores jogos do Mundial do Brasil, mais um de muitos. (Tribuna do Cisco)
O time também tem sentido a falta de um centro-avante, se Klose não agüenta os 90 minutos, o coloque no segundo tempo, quando as coisas estão mais complicadas. A Argélia fez uma partida como eu imaginava, com um contra-ataque forte e quase fatal, Neuer saiu da área umas oito ou nove vezes para dar o chutão e livrar os germânicos do perigo, isso não pode se repetir na próxima partida. A Alemanha chegava com mais perigo e sendo mais eficiente, mas o goleiro Rais fechou o gol e segurou os argelinos durante os 90 minutos, o ataque dos africanos era sempre liderado pelo ótimo Feghouli, mas ele sozinho não resolvia e a equipe errava por egoísmo ou por falta de técnica.

Löw até que mexeu bem durante a partida, mas eu teria lançado Miroslav Klose, ele optou por Schürlle e Khedira, os dois poderiam mudar o jogo. Quem tem feito muita falta nesse time alemão é Marco Reus, o craque do Borussia Dortmund cairia como uma luva no sistema, sem dúvidas, seria titular da equipe. O destaque do segundo tempo foi a lambança que o trio alemão (Schweinsteiger, Kroos e, claro, Müller), o primeiro passou da bola, o terceiro correu e acabou tropeçando, fazendo com que o segundo ficasse sem entender e lançasse a bola de maneira bizarra, não deu certo, mas fez o público sorrir.

Schürlle entrou e mudou o rumo da partida,
 classificando a Alemanha. (Reuters)
Na prorrogação, a Alemanha provavelmente seria mais time e aguentaria mais, pressionando do início ao fim, para a sorte dos germânicos, os argelinos estavam mais cansados do que era previsto, uma falha inoportuna e bola nos pés do craque Müller, toque para Schürlle e o jogador do Chelsea mandou de letra para o gol, 1 a 0 que poderia ter acontecido antes do apito final, a Alemanha conseguiu seu gol no primeiro minuto da prorrogação, alívio e um sentimento de que poderia ter vindo antes. A Argélia sentiu demais o gol e os contra-ataques não estavam dando certo como deram no tempo normal, com isso, o restante do primeiro e todo o segundo tempo foi alemão.

Os alemães penaram e viram uma Argélia muito guerreira, não fosse o erro no início, os argelinos poderiam ter levado o jogo para as penalidades. Aos 14 minutos da segunda etapa da prorrogação, Schürlle fez boa jogada e tocou para Özil, o meia devolveu e viu o atacante perceber o cansaço argelino e não tomar conhecimento, a surpresa foi que  a zaga argelina salvou, mas era tarde e estava difícil, a casa da Argélia caiu na bomba de Özil, o segundo gol alemão matou as chances dos africanos, o último do continente a deixar o Mundial. Ainda deu tempo para Djabou se aproveitar da displicência alemã e descontar, era tarde demais, a guerreira Argélia estava eliminada e a Alemanha permanece na rota do Brasil, mas antes, o time fará um clássico que reunirá 4 títulos mundiais, no Maracanã, a Alemanha não terá vida fácil frente a França, um jogaço, digno de quartas de final, digno da Copa das Copas.

Ficha Técnica:

Local: Estádio Beira-Rio, em Porto Alegre (RS)

Data: 30 de junho de 2014, segunda-feira

Horário: 17 horas (de Brasília)

Árbitro: Emerson de Carvalho (Brasil)

Assistentes: Marcelo Van Gasse (Brasil) e Walter Lopez (Guatemala)

Público: 43.063 pessoas

Cartão amarelo: Lahm (Alemanha); Halliche (Argélia)

GOLS (na prorrogação):

ALEMANHA: Schürrle, a 1 minuto do primeiro tempo; Özil, aos 14 minutos do segundo tempo

ARGÉLIA: Djabou, aos 16 minutos do segundo tempo

ALEMANHA: Neuer, Mustafi (Khedira), Mertesacker, Boateng e Höwedes; Lahm, Schweinsteiger (Kramer) e Kroos; Özil, Müller e Götze (Schürrle)
Técnico: Joachim Löw

ARGÉLIA: M’Bolhi; Mostefa, Belkalem e Halliche (Bouguerra); Mandi, Lacen, Taider (Brahimi), Feghouli, Soudani (Djabou) e Ghoulam; Slimani
Técnico: Vahid Halilhodžic