sábado, 21 de junho de 2014

Ricos vencem a morte e franceses com cara de campeões

Costa Rica 1 x 0 Itália: Embalada como nunca, a Costa Rica foi ao Recife após vencer o Uruguai no Castelão, se vencesse os italianos, o time estaria classificado pela primeira vez na história, um feito e tanto. O adversário era uma esquadra tetracampeã do mundo, a Itália vinha bem após vencer a Inglaterra no clássico em Manaus, dessa forma, Prandelli mandou o time quase que o mesmo, exceto a saída de Verratti e a entrada de Thiago Motta, o meio de campo ficaria mais forte e menos vulnerável.
Itália foi mais uma vítima da Costa Rica. (Tribuna do Cisco)
Dessa forma, poucos esperavam que os costarriquenhos pudessem aplicar o bom futebol que aplicou nos uruguaios, a verdade é que os italianos foram surpreendidos. A Azzurra começou melhor, tocando muito bem a bola, mas ficando se alternativas, Balotelli estava sumido, apesar das duas boas chances italianas na partida terem saído de seus pés. Os costarriquenhos foram embalados por uma torcida apaixonada e surpresa por ver um futebol infalível, pontual, certeiro, digno de time que pode aprontar como eu já previa há quase um ano atrás.

Festa costarriquenha no Recife (Getty Images)
Bryan Ruiz, ótimo jogador que se destacou no Fulham, terminou repassado ao PSV, merecia mais, o jogador que venceu a poderosa zaga Azzurra e desbancou Buffon, o gol da vitória foi euforia total para os americanos, mais uma vitória do continente colonizado sobre o continente colonizador, o 1 a 0 serviu para a classificação antecipada, muito provavelmente em primeiro lugar, um feito inédito na história do modesto futebol costarriquenho, é a melhor geração da história, já derrubou 2 campeões do mundo, quem será o próximo?

A Costa Rica só precisa de um empate contra a Inglaterra para confirmar o primeiro lugar no grupo da morte, os italianos fazem final de Copa do Mundo contra Luis Suárez e a boa nação Celeste, o jogo será em Natal, será imperdível!

Ficha Técnica:

Local: Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata-PE

Data: 20 de junho de 2014, sexta-feira

Horário: 13 horas (de Brasília)

Árbitro: Enrique Osses-CHI

Assistentes: Carlos Astroza-CHI e Sergio Roman-CHI

Cartões amarelos: Balotelli (Itália); Cubero (Costa Rica)

Gol:

COSTA RICA: Bryan Ruiz aos 44 minutos do primeiro tempo

ITÁLIA: Buffon; Abate, Chiellini, Barzagli e Darmian; De Rossi, Thiago Motta (Cassano), Pirlo, Marchisio (Cerci) e Candreva (Insigne); Balotelli
Técnico: Cesare Prandelli

COSTA RICA: Navas; Umaña, Duarte e Giancarlo González; Gamboa, Borges, Tejeda (Cubero), Crístian Bolaños, Junior Díaz e Bryan Ruiz (Brenes); Joel Campbell (Ureña)
Técnico: Jorge Luís Pinto

Suíça 2 x 5 França: Se existe uma seleção que mais cresceu na Copa do Mundo, essa é a França, parece que o time se uniu mais sem Ribéry, a verdade é que o time melhorou muito, está unido e pronto para brigar por algo, está com cara de campeão. E que escolha acertada de Didier Deschamps, mudou o time e deixou pronto para não deixar os suíços jogarem, saiu Griezmann e entrou Giroud, saiu o garoto de ouro Pogba e entrou Sissoko, o meio estava encorpado e o ataque era infalível, liderado pelo campeão europeu Benzema.
França não tomou conhecimento do sistema defensivo suíço. (Tribuna do Cisco)

Olivier Giroud despontou no futebol somente aos 25 anos, liderando o modesto Monptellier ao inédito título da Ligue 1, no Arsenal, o futebol dele evoluiu a ponto de ser peça importantíssima no elenco da seleção francesa, a prova disso foi o seu gol, que abriu caminho para a goleada, e a ótima arrancada para o gol de Valbuena, antes disso, o craque Matuidi marcou o segundo, já pintava a goleada, a Suíça foi surpreendida e a super defesa nada fez. Karim Benzema vive o seu melhor momento na carreira, o cara é um dos artilheiros do Mundial, é campeão europeu e candidato a melhor da Copa, antes de brilhar contra a Suíça, Benzema perdeu um pênalti, deixando os franceses com o pé atrás, todavia, o seu golaço no segundo tempo tratou de acalmar as coisas, trazendo a euforia e a confiança dos torcedores em seu camisa 10.

França forte na briga pelo bi. (Getty Images)
Moussa Sissoko, o meia que barrou Pogba no jogo de ontem, marcou o golaço que garantiu o quinto gol francês, fantástico! É impressionante como a França tem jogado, é mais uma seleção que nos dará trabalho (por favor, os franceses não!!!), a Suíça descontou com os bons Dzemaili (que golaço!) e Xhaka, terminou 5 a 2, mas ainda deu tempo de Benzema marcar mais, quer dizer, não deu tempo, o árbitro holandês Bjorn Kuipers já havia dado o apito final. Os franceses classificadíssimos e encorpados para a segunda fase, enquanto a Suíça precisa vencer a eliminada Honduras e torcer pela França passar pelos equatorianos, deve classificar.

Ficha Técnica:

Local: Arena Fonte Nova, em Salvador (BA)

Data: 20 de junho de 2014, sexta-feira

Horário: 16 horas (de Brasília)

Árbitro: Bjorn Kuipers, da Holanda

Assistentes: Sander Van Roekel e Erwin Zeinstra, ambos da Holanda

Cartões amarelos: Cabaye (França)

Gols:

SUÍÇA: Dzemaili, aos 35 minutos do segundo tempo, e Xhaka, aos 42 minutos do segundo tempo

FRANÇA: Giroud, aos 16 minutos do primeiro tempo, Matuidi, aos 17 minutos do primeiro tempo, Valbuena, aos 40 minutos do primeiro tempo, Benzema, aos 22 minutos do segundo tempo e Sissoko, aos 28 minutos do segundo tempo

SUÍÇA: Benaglio; Lichtsteiner, Djorou, Von Bergen (Senderos) e Ricardo Rodriguez; Inler, Behrami (Dzemaili), Mehmedi, Xhaka e Shaquiri; Seferovic (Drmic)
Técnico: Ottmar Hitzfeld

FRANÇA: Lloris; Debuchy, Varane, Sakho (Koscielny) e Evra; Cabaye, Matuidi, Sissoko e Valbuena (Griezmann); Giroud (Pogba) e Benzema
Técnico: Didier Deschamps

Equador 2 x 1 Honduras: O jogo de menor expressão do dia foi bem interessante, os desesperados equatorianos e hondurenhos precisavam da vitória em Curitiba para buscar a classificação na última rodada, foi impressionante porque os jogadores de Honduras deixaram a violência de lado e foram jogar futebol, fato inédito no futebol de Honduras nos últimos anos. O jogo teve momentos chatos, é claro, mas ficou muito interessante após Honduras marcar o gol que abriu o placar, aos 31 minutos do primeiro tempo, Costly empurrou a Brazuca para o gol e fez a festa, vale destacar que Honduras teve o saldo prejudicado após levar 3 da França.
Equatorianos e hondurenhos fizeram um jogo interessante em Curitiba. (Tribuna do Cisco)

O Equador deu a resposta logo três minutos depois, Enner Valencia, jogador surpresa que já é artilheiro do Mundial junto a outros tantos empatou a peleja e devolveu o razoável time do Equador ao jogo e ao grupo E. Poucos estão falando de Antonio Valencia, mas o jogador do Manchester United foi importantíssimo no gol que deu a vitória aos equatorianos, ele cobrou a falta na cabeça de Enner Valencia, uma jogada perfeita, o gol matou o jogo, isso porque pouco antes os hondurenhos chegaram ao segundo gol, mas o atleta empurrou a bola com as mãos, gol anulado corretamente.

Enner Valencia, a revelação da Copa até então. (Reuters)
A vitória encheu o Equador de moral, o time pulou para a segunda colocação graças ao saldo que a Suíça ficou após ser goleada pela França, o grande problema para os sulamericanos é que precisarão vencer os franceses para se classificar, acho bastante improvável, afinal de contas, o Equador é o pior dos sulamericanos na disputa da Copa do Brasil. Honduras entrará em campo já eliminada e deverá receber nova sapatada, dessa vez, a partida será contra os suíços.

Ficha Técnica:

Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)

Data: 20 de junho de 2014, sexta-feira

Horário: 19 horas (de Brasília)

Árbitro: Benjamin Willians (Austrália)

Assistentes: Matthew Cream e Hakan Anaz (ambos da Áustralia)

Cartões Amarelos: Bernárdez, Bengston (Honduras), Antonio Valencia, jefferson Montero e Enner Valencia (Equador)

Gols:

Honduras: Costly, aos 31 minutos do primeiro tempo

Equador: Enner Valencia, aos 34 minutos do primeiro tempo, e aos 20 minutos do segundo tempo

HONDURAS: Valladares; Beckeles, Bernárdez, Figueroa e Izaguirre (Juan Carlos Garcia); Garrido (Martinez), Claros, Garcia (Chavez) e Espinoza; Bengston e Costly
Técnico: Luis Fernando Suárez

EQUADOR: Dominguez; Ayoví; Erazo, Guagua e Paredes; Noboa, Minda (Gruezo), Antonio Valencia e Jefferson Montero (Achilier); Enner Valencia e Caicedo (Edson Mendez)
Técnico: Reinaldo Rueda