segunda-feira, 16 de junho de 2014

Passeio alemão e os primeiros jogos fracos da Copa

Alemanha 4 x 0 Portugal: Fortíssima e sem amarelona, a Alemanha quer quebrar o tabu no Brasil, o clássico contra Portugal na estreia seria um ótimo desafio para mostrar que a equipe ainda está pronta e sedenta por glórias. Portuga aposta as suas fichas em Cristiano Ronaldo, o melhor jogador do mundo parece que se recuperou a tempo e chegou ao Brasil para quebrar tabu e brilhar na Copa do Mundo de 2014. Portugal começou melhor, mais veloz, mais bem postado, com um Cristiano Ronaldo excelente, jogando pela equipe e correndo o campo todo.
Sem Schweinsteiger, alemães passeiam sobre os lusitanos. (Tribuna do Cisco)
Os alemães jogavam no erro dos portugueses que pareciam bastante nervosos, prova disso foi a bizarrice que Rui Patrício fez, o goleiro tocou para Pepe de maneira errada e viu Khedira chutar de primeira, por capricho, a bola passou rente a trave. Pouco tempo depois, não deu para segurar, Götze fez boa jogada, invadiu a área e se jogou, cavando o pênalti, o moço sérvio Milorad Mazic concordou e errou como muitos já erraram no Mundial. Müller, grande candidato a se tornar o futuro maior artilheiro das Copas, não desperdiçou, cobrou muito bem e já marcou seu primeiro gol na Copa, 1 a 0.

Portugal sentiu o gol, a porteira parecia que iria se abrir, o time lusitano se complicou ainda mais quando Hugo Almeida sentiu e deixou o campo mais cedo, o jovem Éder entrou no seu lugar. A Alemanha se aproveitou dos erros e chegou ao segundo gol, cobrança de escanteio com maestria de Kroos e Hummels marcou seu primeiro gol em Copa do Mundo, gol coroa o gigante zagueiro do Dortmund. Portugal esboçou uma reação quando perdia por dois gols de diferença, mas Ronaldo já parecia desanimado, desanimou ainda mais quando viu Pepe agredir Müller e ser expulso, por quê, Pepe? Você parecia ter evoluído tanto!

Müller já desponta como artilheiro da Copa. (Reuters)
Os patrícios sentiram, todos viam um time completamente cabisbaixo, a Alemanha dominava e dava uma aula de bom futebol, como já previa, dessa forma, Höwedes lançou da esquerda para a direita e Özil cruzou com perfeição para Götze que, mais uma vez, lançou e Bruno Alves não conseguiu tirar, a bola sobrou para Müller ampliar o marcador, o primeiro tempo virou com 3 a 0 para os germânicos, a perspectiva era que o placar se alargasse ainda mais na etapa final. Portugal continuou jogando mal, muito triste, já havia perdido Almeida e ainda viu Fábio Coentrão sofreu grave lesão e não deve retornar para os demais jogos, a vida dos colonos não está fácil em solo brasileiro.

A Alemanha controlava o jogo, seria ideal a entrada de Klose para o polonês se tornar o maior artilheiro da história das Copas, mas Löw não estava assim tão empolgado e colocou Schürlle, Mustafi e Podolski, saindo Özil, Hummels e Müller, o craque do Bayern ainda marcou seu terceiro gol e virou o artilheiro do Mundial, 4 a 0 e passeio da nação da cerveja. A goleada já estava consumada e o melhor do mundo estava muito desanimado, o jogo se encerrou e os alemães confirmaram o favoritismo, a seleção entra muito, mais muito forte para a disputa do Mundial, o próximo desafio será contra a perigosa Gana, enquanto Portugal tenta juntar os cacos para duelar contra os Estados Unidos comandados por outro alemã, Jurgen Klismann.

Ficha Técnica:

Local: Arena Fonte Nova, em Salvador (BA)

Data: 16 de junho de 2014, segunda-feira

Horário: 13 horas (de Brasília)

Árbitro: Milorad Mazic (Sérvia)

Assistentes: Milovan Ristic e Dalibor Djurdjevic (ambos da Sérvia)

Cartões amarelos: João Pereira (Portugal)

Cartão vermelho: Pepe (Portugal)

GOLS:

ALEMANHA: Muller, aos 11 e aos 44 minutos do primeiro tempo e aos 33 minutos do segundo tempo. Hummels, aos 31 minutos do primeiro tempo

ALEMANHA: Neuer; Hummels (Mustafi), Howedes, Mertesacker e Boateng; Khedira, Lahm, Toni Kroos e Ozil (Schurrle); Gotze e Muller (Podolski)
Técnico: Joachim Low

PORTUGAL: Rui Patrício; João Pereira, Pepe, Bruno Alves e Fábio Coentrão (André Almeida); Miguel Veloso (Ricardo Costa), Raul Meireles e João Moutinho; Nani, Cristiano Ronaldo e Hugo Almeida (Eder)
Técnico: Paulo Bento

Irã 0 x 0 Nigéria: Candidatíssimo a pior jogo da Copa, Irã e Nigéria buscavam a vitória para largar na frente já que a Bósnia foi derrotada pela Argentina na estreia, todavia, o nível técnico atrapalhou demais ambas as seleções, o famoso jogo duro... De se assistir! A Nigéria tinha melhores valores, como são os casos de Mikel, Emenike e Musa, já o Irã apostava suas fichas em Dejagah, o grande talento dessa geração dos Príncipes da Pérsia. Um primeiro tempo fraquíssimo, bósnios e argentinos podem ficar tranquilos, as duas nações não deverão ter maiores dificuldades para conquistarem a classificação, o confronto de estreia deve mesmo ter servido para confirmar quem liderará o grupo F.
Irã e Nigéria protagonizaram o pior jogo da Copa até então. (Tribuna do Cisco)

Outro ponto que eu gostaria de destacar foi o novo visual da Arena da Baixada, o estádio era mais bonito antes da reforma, ele foi completamente modificado e se aproximou de uma arena comum, tirando toda a característica que colocava o estádio como um dos mais míticos do país. O segundo tempo seguiu muito abaixo, foi hilário assistir os comentaristas meio que revoltados com o nível técnico absurdo de ruim da partida. O primeiro 0 a 0 da Copa tinha que ter saído do pior jogo até então, as vaias em Curitiba foram lamentáveis, mas o jogo foi deprimente, Nigéria e Irã empataram sem gols e fazem somente figuração na Copa do Brasil.

Ficha Técnica:

Local: Arena da Baixada, em Curitiba (PR)

Data: 16 de junho de 2014, segunda-feira

Horário: 16 horas (de Brasília)

Árbitro: Carlos Vera, do Equador

Assistentes: Christian Lescano e Byron Romero, ambos do Equador

IRÃ: Alireza Haghighi; Montazeri, Amirhossein Sadeghi, Jalal Hosseini e Pooladi; Nekounam, Timotian, Haji Safi e Dejagah (Jahan Bakhsh); Heydari (Shojaei) e Goochannejad
Técnico: Carlos Queiroz

NIGÉRIA: Enyeama; Ambrose, Oboabona (Yobo), Omerou e Oshaniwa; Onazi, Mikel, Azeez e Moses (Ameobi); Musa e Emenike
Técnico: Stephen Keshi

Gana 1 x 2 Estados Unidos: Com a catastrófica derrota portuguesa, ganeses e americanos entravam pressionados a vencer para abrir 3 pontos e tentar perder do placar mínimo possível para a forte Alemanha. O time de Gana está envelhecido, o craque Boateng já não é mais o mesmo e virou banco de reservas, vai ser difícil repetir o feito das últimas duas Copas. Os Estados Unidos apostam em uma grande renovação e Jürgen Klismann foi o escolhido para tentar fazer com que os americanos gostem mais de futebol, o chamado “soccer” é mais popular entre as meninas por lá.
Gol relâmpago faz os Estados Unidos baterem Gana. (Tribuna do Cisco)
O jogo começou com um gol relâmpago, a boa jogada de Dempsey já resultou no gol, nem o mais otimista dos norte-americanos apostaria nisso. O gol fez Gana tentar acordar, o time tinha bons jogadores, como era o caso dos irmãos Ayew (André e Jordan) e do campeão do Calcio pela Juventus Asamoah, mas o primeiro tempo foi a cara do time de Klismann, que segurou a bola e conseguiu ir para o vestiário na vantagem. Com um primeiro tempo abaixo do esperado, os times voltaram mais empolgados para a etapa final, isso deixou os torcedores em Natal bem mais animados.

Gana só fazia atacar, a entrada de Boateng e Essien fez o time melhorar, mas os erros individuais prejudicou demais a equipe africana, era visível o nervosismo que gerou a desatenção do time. Após tantos e tantos ataques, os ganeses chegaram ao empate com o bom garoto André Ayew, sua jogada foi belíssima e a conclusão foi ainda melhor, era a confiança que os jogadores tanto precisavam. O empate serviu para acordar os norte-americanos, os jogadores tinham recuado demais, por isso tomaram o empate.

Brooks emocionado após
 dar a vitória para os EUA. (Getty)
Quatro minutos depois, os Estados Unidos chegaram ao gol da vitória, a cobrança de escanteio foi certeira e Brooks cabeceou para o gol, a emoção do zagueiro foi de contagiar qualquer fã do futebol. A vitória americana deixou fez o time de Klismann respirar aliviado, a renovação parece que segue no caminho certo e o projeto do alemão que era classificar a seleção para a segunda fase está mais perto do que longe. Os Estados Unidos terão um desafio gigante na segunda rodada, caso vençam o melhor do mundo e Portugal, o time já selará a classificação, Gana terá que vencer a Alemanha para tentar sobreviver no Mundial, pelo visto os ganeses não conseguiram se classificar para a fase de mata-mata, um fato que os africanos só lamentam, afinal de contas, Gana tem um bom time.

Ficha Técnica:

Local: Arena das Dunas, em Natal (RN)

Data: 16 de junho de 2014, segunda-feira

Horário: 19 horas (de Brasília)

Árbitro: Jonas Eriksson (Suécia)

Assistentes: Mathias Klasenius e Daniel Warnmark (ambos da Suécia)

Cartão amarelo: Rabiu e Muntari (Gana)

Gols:

GANA: André Ayew, aos 37 minutos do segundo tempo

EUA: Dempsey, aos 28 segundos do primeiro tempo; Brooks, aos 41 minutos do segundo tempo

GANA: Kwarasey; Opare, Mensah, Boye e Asamoah; Muntari, Rabiu (Essien), Atsu (Adomah) e Jordan Ayew (Kevin-Prince Boateng); Andre Ayew e Gyan
Técnico: James Appiah

EUA: Howard; Johnson, Cameron, Besler (Brooks) e Beasley; Beckerman, Jones, Bradley, Dempsey e Bedoya (Zusi); Altidore (Johannsson)
Técnico: Jurgen Klinsmann