sábado, 28 de junho de 2014

Deu à lógica

Brasil 1(3) x 1(2) Chile: “Ta em crise, chama o Chile!” A célebre frase de Galvão Bueno definitivamente não serviu para a partida de hoje, o Brasil venceu um dos jogos mais complexos de sua centenária história. Um início arrasador, um erro amador e uma partida angustiante, nervosa, todavia, como em todas as campanhas da Seleção, novos heróis são criados e Júlio César honrou os recentes nomes de Marcos e Taffarel e levou os donos da casa para as quartas de final.
Com emoção, Brasil despacha Chile e mantém freguesia. (Tribuna do Cisco)
Neymar não repetiu as grandes atuações da primeira fase, Fred continuou desaparecido, até que estava razoável, mas sentiu e Jô entrou no seu lugar, Oscar não consegue armar jogo, mas então por que ele não muda de posição? Inexplicável, mas o Brasil encontrou um adversário para lá de cascudo, com a excelência de Sánchez comandando o ataque e a maestria de gênios como Arturo Vidal e Aránguiz. É verdade que o Chile só chegou ao gol por conta da lambança de Hulk e Marcelo, porém, o time soube jogar no erro brasileiro, conseguindo acertar o travessão no último lance da prorrogação, por sorte, a bola de Pinilla não entrou.

A Seleção de Scolari segue jogando mal, apresentando erros que não demonstrava na Copa das Confederações, o peso da Copa do Mundo com certeza aumentou a pressão. Fernandinho estreou como titular, não foi tão bem como contra Camarões mas foi melhor que Paulinho, Daniel Alves seguiu no onze inicial, todavia, o lateral continuou errando em lances bobos, a insistência de Felipão tem prejudicado os Canarinhos. Hulk foi o melhor jogador em campo durante os 120 minutos, o ponta direita chamou a responsabilidade e arriscou muitas vezes de fora da ares, o cara do Zenit ainda marcou na segunda etapa, mas a péssima arbitragem de Howard Webb e seus companheiros anularam alegando toque do brasileiro, esse lance atrapalhou bastante o emocional dos jogadores.

Júlio pega pênalti de Sánchez e
 destrói emocional chileno. (AP)
Nas penalidades, a camisa pesada e os melhores jogadores conquistaram o acesso as quartas de final, os chilenos que tanto apostaram em Bravo viram o goleiro pegar um pênalti de Hulk, muito mal batido por sinal e ainda observaram Willian mandar para fora, tudo teria dado certo para o time dos mineiros. Contudo, Júlio César pegou as cobranças de Pinilla e Sánchez, contando ainda com a bola de Jara na trave, o Brasil se classificou por merecimento, mas ainda não apresenta um futebol vistoso, precisa melhorar muito caso queira almejar o tão sonhado hexa. Detalhe, a vitória de hoje motiva muito a seleção de Felipão, a vitória que une, que fortalece, que deixa o time no caminho certo pela tão sonhada conquista em casa, que venha a Colômbia!

Ficha Técnica:

Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Data: 28 de junho de 2014, sábado

Horário: 13 horas (de Brasília)

Árbitro: Howard Webb (Inglaterra)

Assistentes: Michael Mullarkey e Darren Cann (ambos da Inglaterra)

Cartões amarelos: Hulk, Luiz Gustavo, Jô, Daniel Alves (Brasil). Mena, Silva (Chile)

GOLS:

BRASIL: David Luiz, aos 18 minutos do primeiro tempo

CHILE: Sánchez, aos 31 minutos do primeiro tempo

Pênaltis:

BRASIL: David Luiz, Marcelo e Neymar converteram. Willian e Hulk perderam

CHILE: Aránguiz e Díaz converteram. Pinilla, Sánchez e Jara perderam

BRASIL: Júlio César; Daniel Alves, David Luiz, Thiago Silva e Marcelo; Luiz Gustavo, Fernandinho (Ramires) e Oscar (Willian); Hulk, Fred (Jô) e Neymar
Técnico: Luiz Felipe Scolari

CHILE: Bravo; Silva, Medel (Rojas) e Jara; Isla, Aránguiz, Díaz, Vidal (Pinilla) e Mena; Sánchez e Vargas (Gutierrez)
Técnico: Jorge Sampaoli

Colômbia 2 x 0 Uruguai: Favoritíssimo graças a suspensão de Suárez, os colombianos não tomaram conhecimento do fantasma de 1950, o Uruguai. O jogo mediu a força de uma Colômbia sem o seu principal atacante, contra um Uruguai também sem o seu melhor jogador, Falcao e Luisito melhorariam bastante o espetáculo, mas tivemos um jogo interessante digno de Maracanã. Com a sentida ausência de Falcao, o time colombiano viu James Rodríguez chamar a responsabilidade, sendo o grande craque do time até então, apesar do grupo facílimo que caiu no colo dos sulamericanos. James já marcou 5 gols em 4 jogos, um início fantástico em sua primeira Copa do mundo, detalhe, o jogador monegasco só tem 22 anos.
Colômbia faz história e manda embora o fantasma de 50. (Tribuna do Cisco)

Um golaço de James fez os colombianos tranquilizarem, Diego Forlán está mais velho, desgastado e seu entendimento com a Brazuca não foi o mesmo do que com a Jabulani, o craque da última Copa saiu de cabeça baixa, sem ser notado, derrotado. Enquanto os uruguaios sumiam em campo, vimos os colombianos darem show, principalmente com Juan Cuadrado, o craque valoriza cada vez mais e suas atuações podem lhe levar para um gigante europeu. Outro que fez uma partida muito segura foi Jackson Martínez, o atacante do Porto provou a Pekerman que é muito mais jogador que Ibarbo, já merecia a vaga no onze inicial há tempos.

James já é a sensação do Mundial (Reuters)
Quando a Celeste tentou dar o bote para empatar a peleja, a união colombiana decretou a classificação inédita da nação para as quartas de final, bola na área e Cuadrado fez quase o impossível, resgatou a “pelota” e passou para o iluminado da noite, James Rodríguez ampliou e se isolou na artilharia do Mundial, o jovem desponta como a grande revelação da Copa do Mundo do Brasil. O segundo gol matou os uruguaios, a verdade é que a Colômbia está entre as oito melhores seleções do planeta, o desafio agora ficou muito complicado, para estar entre os quatro, a Colômbia terá que passar pelo Brasil em Fortaleza.

Um jogo interessantíssimo! Brasil e Colômbia mostrarão um confronto de estilos opostos de futebol, a última vez que Brasil e José Pekerman se encontraram, o Brasil sapecou um sonoro 4 a 1 na final da Copa das Confederações 2005. É verdade que o argentino amadureceu, melhorou bastante e vive uma sintonia sem igual com o elenco colombiano, será um jogo muito complicado, porém, acredito na vitória brasileira sem tantas dificuldades como hoje, sem desmerecer, é claro, o time colombiano.

Ficha Técnica:

Local: Maracanã, Rio de Janeiro (RJ)

Data: 28 de junho de 2014, sábado

Horário: 17 horas (de Brasília)

Árbitro: Björn Kuipers (HOL)

Assistentes: Sander Van Roekel e Erwin Zeinstra (ambos da Holanda)

Público: 73.804 torcedores

Cartões amarelos: Armero (Colômbia), Giménez e Lugano (Uruguai)

Gols:

COLÔMBIA: James Rodríguez, aos 27 minutos do primeiro tempo, e aos 5 minutos do segundo tempo

COLÔMBIA: Ospina, Zuniga, Zapata, Yepes e Armero; Sanchez, Aguilar, Cuadrado (Guarín) e James Rodriguez (Ramos); Martinez e Gutierrez (Mejía)
Técnico: José Pekerman

URUGUAI: Muslera, Caceres, Gimenez, Godin e Alvaro Pereira (Ramírez); Arevalo, Maxi Pereira, Gonzalez (Abel Hernandez) e Cristian Rodriguez; Forlan (Stuani) e Cavani
Técnico: Óscar Tabárez