terça-feira, 27 de maio de 2014

Tribuna de Copa – Episódio 2

Favoritos: Argentina
Liderados por Messi, Argentina é fortíssima candidata ao título Mundial. (Guia do Boleiro/Tribuna do Cisco)
Eternamente órfãos de Maradona, a Argentina vive muitas expectativas para a Copa do Mundo do Brasil, o time não conquista um título pelo profissional há 21 anos, quando levantou a Copa América 1993. Um longo jejum e as esperanças voltaram para a fiel torcida, isso graças a uma geração tão boa quanto a de 1986, para mim, Messi já superou Diego, mas a falta de títulos pela seleção coloca certa pressão no craque do Barcelona. O ataque é, sem dúvidas, a melhor arma de Alejandro Sabella e olhe que Tévez foi preterido pelo polêmico técnico, mas nomes como Agüero, Higuaín, Palacio e Lavezzi, o melhor ataque do Mundial.

Os nossos hermanos não têm uma história tão vitoriosa na maior competição futebolística, um título bastante polêmico dentro de casa em 1978 e um verdadeiro baile no México em 1986, é claro que o gol de mão de Diego foi fundamental naquela conquista, mas o time realmente era muito bom. Na nova era do time, uma campanha frustrada em 2002, quando se tinha um dos grandes elencos e acabou ficando na primeira fase e eliminações nas quartas de final para a Alemanha em 2006 e 2010, os germânicos tem sido carrasco argentino, o legal dessa Copa é que Alemanha e Argentina só podem se enfrentar na grande final, isso se as duas nações confirmarem o favoritismo e se classificarem em primeiro nos seus respectivos grupos.

Em relação ao time, Sabella preparou a equipe de maneira bem consciente, muito melhor do que o seu antecessor, ser técnico não é uma virtude de Maradona. Todavia, o atual treinador teve quatro anos para melhorar o sistema defensivo, um dos grandes problemas desse plantel, começando pelo gol, o reserva do Mônaco é o goleiro titular da seleção, isso é um absurdo, principalmente porque o reserva é Andújar, ou seja, um goleiro tão limitado quanto o titular, o terceiro é Orion, o goleiro do Boca é o menos fraco dos três. Se eu fosse o técnico, teria dado oportunidade ao bom Caballero, do Málaga, o excelente arqueiro de 28 anos teve uma temporada muito boa, salvando o time espanhol do rebaixamento e fazendo com que grandes clubes o sondassem, deveria ser pelo menos um dos três convocados.

Pois bem, chegamos ao setor mais carente da Argentina, a defesa é ponto que pode resultar no fracasso da equipe, sendo o setor mais fraco dentre todas as favoritas a conquista. Pablo Zabaleta e Ezequiel Garay são nomes incontestáveis na defesa, os dois são grandes jogadores e peças cruciais em seus clubes, acho até que Garay merece coisa melhor que o Benfica. O problema vem na sequência, quem é o jogador ideal para ser o parceiro de Garay? Otamendi, Campagnaro e Demichelis, o retorno do último foi excelente, trará experiência e um pouco mais de segurança, mas a idade pesa contra o zagueiro do Manchester City. Marcos Rojo pode ser o lateral, improvisar Lisandro López também pode ser a saída, mas Ansaldi do Zenit seria a opção mais sensata.

O homem que barrou Tévez,
 Sabella pode se tornar uma lenda ou
 mais um a fracassar. (Getty)
O meio campo é a mescla de razoável com excelente, primeiro porque começa com nomes como Fernando Gago e Éver Banega, jogadores que nunca se firmaram no futebol europeu e retornaram ao futebol de seu país, depois porque eles se unem a Javier Mascherano, Angel Di María e Lionel Messi, isso mesmo, o camisa 10 tem sido um ótimo meia, ele se descobriu na posição e elevou o nível do futebol argentino, junto com Messi, Di María é a grande esperança argentina, isso porque ele foi um dos caras na campanha do título da Liga dos Campeões pelo Real Madrid. Vale destacar que Messi chega a Copa sem a pressão de ser o melhor do mundo, é por essas e outras que vejo Léo levando seu país a grandes posições no torneio, é candidatíssimo a craque da Copa. O meio ainda conta com a experiência de Maxi Rodríguez e a juventude de Ricky Alvarez, ótimos jogadores.

Enfim chegamos ao ataque top de linha, primeiramente, eu discordo da decisão de Sabella em não dar oportunidades a Carlos Tévez, o cara foi o grande craque na campanha do tri-campeonato do Calcio com a Junvetus, ele resgatou seu bom futebol, provou ter amadurecido e não arrumou problemas extra-campo e fez tudo direitinho para reconquistar o apoio popular, o povo até protestou em favor de Tévez, mas Sabella foi irredutível e preteriu o camisa 10 Bianconero. O ataque tem quatro nomes para amedrontar os países do grupo F, Sérgio Agüero, Ezequiel Lavezzi, Rodrigo Palacio e Gonzalo Higuaín, esses jogadores têm totais condições de brigar pela artilharia e colocar a Argentina pelo menos na semifinal, os problemas de lesões atrapalham o melhor deles, o desempenho de Agüero será fundamental para as pretensões dos hermanos, acredito que ele chegará ao melhor de sua forma para brilhar na Copa.

A Argentina está no grupo F e terá um jogo duríssimo logo na estreia, a Bósnia é forte candidata a ser zebra na Copa do Mundo, mas acredito que os argentinos não terão problemas para classificar-se em primeiro no grupo que ainda conta com Irã e Nigéria. Argentinos nunca estiveram tão animados, fazia tempo em que não havia uma Copa do Mundo tão perto de casa, o clima ainda ajudará bastante os hermanos na disputa do título, esses motivos fazem com que eu acredite que a Argentina seja a maior ameaça para o Brasil na briga, imagino até uma grande final entre Brasil e Argentina, seria realmente fantástico!
Apesar do forte ataque, Tévez fará falta! (Tribuna do Cisco)

Confira a lista com os 23 atletas convocados por Alejandro Sabella:

Goleiros: Mariano Andújar (Catania), Agustín Orion (Boca) e Sergio Romero (Mónaco).

Defensores: José Basanta (Monterrey), Hugo Campagnaro (Inter), Martín Demichelis (Manchester City), Federico Fernández (Napoli), Ezequiel Garay (Benfica), Marcos Rojo (Sporting de Lisboa) e Pablo Zabaleta (Manchester City).

Meio-campistas: Ricardo Álvarez (Inter), Enzo Perez (Benfica), Lucas Biglia (Lazio), Angel Di María (Real Madrid), Augusto Fernández (Celta), Fernando Gago (Boca), Javier Mascherano (Barcelona) e Maximiliano Rodríguez (Newell´s).

Atacantes: Sergio Agüero (Manchester City), Gonzalo Higuaín (Napoli), Ezequiel Lavezi (PSG), Lionel Messi (Barcelona) e Rodrigo Palacio (Inter).