domingo, 11 de maio de 2014

No campeonato mais difícil dos últimos 20 anos, City mantém hegemonia de Manchester

Fim de papo no melhor campeonato do planeta, a Premier League teve em 2013-2014 a temporada mais espetacular dos últimos 20 anos, é óbvio que a temporada 2011-2012 terminou de maneira fantástica, mas durante todas as rodadas, a briga ponto a ponto por pelo menos quatro clubes, todas essas complicações fizeram com que a liga inglesa mantivesse a força e a emoção do melhor campeonato do mundo.
City supera provações e conquista o tetra do Campeonato Inglês. (Tribuna do Cisco)

O grande campeão foi o Manchester City, o clube chegou ao tetracampeonato em sua história, já são dois após a compra pelo Xeque Mansour, sem falar da Copa da Inglaterra e a Copa da Liga Inglesa. Uma temporada cheia de complicações para o vencedor, o Manchester City começou a disputa de técnico novo, Manuel Pellegrini, o chileno com grandes passagens por Villarreal e Málaga nem foi tão bem no Real Madrid, além do mais, o técnico ainda não havia conquistado sequer um título no continente europeu, já estava mais do que na hora.

A base vencedora foi mantida, com destaque para o clássico meia Yaya Touré, o gigante zagueiro Vincent Kompany e os dois atacantes Džeko e Agüero, foram peças cruciais, mas é claro que todo o elenco participou e cada um teve sua particularidade nas 38 rodadas de Premier League. O destaque para o treinador chileno é um fato, Pellegrini aprimorou o que Mancini já havia criado, para mim, o italiano é um dos profissionais mais injustiçados do futebol da Europa, polêmicas a parte, Pellegrini superou uma temporada de muitas oscilações e conquistou a Copa da Liga e a Premier League.

Destaco ainda, dois grandes jogos que realmente mostraram que o City seria poderia sagrar-se campeão, primeiro, a derrota para o Liverpool, onde tudo parecia perdido, quando o City meio que se conformou com o provável vice-campeonato. O outro grande jogo foi quando o City encarou seu arquirrival, o United em Old Trafford, uma vitória por 3 a 0 que convenceu qualquer admirador e crítico de futebol, ali foi a certeza, a afirmação que faltava para um time que apresentou o melhor futebol da liga.

Com esse trio, o Liverpool voltou a Liga dos Campeões
 na próxima temporada. (BBC)
Além do City, o grande campeão, foi de se admirar a campanha sensacional do Liverpool. Guiados por seu líder Gerrard, seu craque Suárez e seu artilheiro Sturridge, os Reds conseguiram bater rivais importantes, conseguiram superar derrotas doloridas, conseguiram flertar com o título que acabaria com uma seca enorme, todavia, o vice-campeonato está de muito bom tamanho, o time de Brendan Rodgers provou que entrará com um time fortíssimo na próxima temporada, que deve novamente brigar por título. Aquela vitória do Liverpool sobre o City por 3 a 2 deixou os torcedores muito eufóricos, mas a derrota por 2 a 0 em casa para o Chelsea fez com que torcedores, jogadores e diretores voltassem a recolocar os pés no chão, voltou a admitir a grande campanha.

Um dos grandes fiascos da temporada foi a campanha do Arsenal, os Gunners foram o time que mais liderou a Premier League, sendo o campeão simbólico do primeiro turno. Contudo, no melhor estilo Arsène Wenger, conseguiu despencar na tabela, conseguindo ser muito ameaçado pelo Everton na briga pela última vaga da UEFA Champions League, terminando em quarto. No início do campeonato, eu apostaria que o Arsenal realmente fosse o quarto colocado, mas no decorrer da temporada, as grandes atuações de Özil, Ramsey e Giroud deram uma ponta de esperança aos torcedores, os londrinos poderiam encerrar a seca, não foi dessa vez! Todavia, o Arsenal é finalista da FA Cup, enfrentará o Hull City e pode encerrar o jejum de 9 anos sem conquistar título.

O fracasso do trio de técnicos. (Telegraph)
Além do fiasco Wenger, a temporada 2013-2014 foi a primeira em que o Manchester United não teve Sir Alex Ferguson comandando seus atletas, o resultado foi catastrófico. David Moyes só conquistou a Super Copa Inglesa, vencendo o modesto Wigan, na Premier League, apenas a sétima colocação, além disso, eliminação para o Sunderland na Copa da Liga, ameaça grega na Liga dos Campeões e a derrota para o Bayern de Munique culminaram no fim do ciclo do escocês no comando técnico dos Diabos Vermelhos. De fato, Moyes não teve o mesmo retrospecto de seu compatriota, mas acho que a diretoria não teve a mesma paciência que deram a Ferg, lembrando que o Sir demorou seis anos até conquistar o primeiro troféu no clube.

Quem realmente arrebentou foi o Manchester City, com mais um título, a lua azul virou atração, os torcedores Citizens festejaram de maneira categórica, unidos aos atletas, mostraram que são o time do povo, que invade o campo e beija os campeões, que confiam e agradecem a comissão técnica e direção, que estão sedentos por mais títulos. Com o título, a cidade de Manchester manteve a hegemonia, já são 4 conquistas consecutivas da cidade, dois do United, dois do City. A Tribuna homenageia e parabeniza o Manchester City Football Club, a Lua Azul agora tem mais uma estrela, a pesada estrela do campeonato mais difícil dos últimos tempos, Blue Moon!

Dia 24 de maio, os olhos do mundo se voltam para Lisboa, o Estádio da Luz será palco da grande decisão da UEFA Champions League. Real Madrid x Atlético de Madrid, respiramos a final da Liga dos Campeões, siga conosco, Esporte Entre Amigos!