sábado, 3 de maio de 2014

Brasil na América: Oitavas de Final (Volta)

Os jogos de volta das oitavas de final da Taça Libertadores decretaram a sofrida classificação cruzeirense fora de casa e as amargas eliminações de Grêmio e Atlético Mineiro dentro de suas próprias casas. Confira como foram os jogos e o que esperar desse Cruzeiro que tem passado aperto na competição, apesar de ter o melhor elenco.

Cruzeiro segue, Grêmio e Galo dão adeus a Taça Libertadores. (Tribuna do Cisco)


Cerro Porteño-PAR 0 x 2 Cruzeiro: Pressionado ao limite após empatar com gols no Mineirão, o Cruzeiro, mais uma vez, teve uma prova de fogo. Dessa vez, a Raposa foi ao Paraguai duelar com o Cerro para se garantir entre os oito melhores da América. O time entrou em campo com muitas dificuldades, sendo superado pelo Cerro até mesmo na questão técnica, isso na primeira etapa, é claro! O time celeste perdeu em criatividade, Ricardo Goulart definitivamente não está bem e Marcelo Oliveira optou por William ao lado de Júlio Baptista no ataque, os dois também não renderam o esperado.

O jogo estava duro, até Dedé desencantar. (AFP)
O primeiro tempo foi muito ruim para os mineiros, o time foi superado claramente superado pelos paraguaios. Os jogadores do Cerro faziam o jogo ideal, mantendo a posse, dominando o time do Cruzeiro, a grande surpresa veio na segunda etapa. Na etapa final, vimos um Cruzeiro muito ousado, pronto para mostrar que realmente tem o melhor elenco da competição e, que apesar de todo o sofrimento, poderia provar que iria fazer de tudo para conquistar a classificação.

Quando Marcelo Oliveira pôs em campo Borges e Dagoberto, a Raposa renasceu, mesmo com um a menos (Bruno Rodrigo havia sido expulso), o esperado aconteceu, bola lançada na área e o gigante Dedé colocou o time nas quartas de final da Libertadores da América. O gol mudou as circunstâncias do jogo, Oliveira sacou Borges e colocou o zagueiro Léo, fez tudo certinho, ainda teve tempo para Corujo ser expulso e Dagoberto matar o jogo com um belo gol, 2 a 0 e fim de papo!

O Cruzeiro é o único brasileiro que restou na competição, cabe ao campeão brasileiro refletir no que tem errado dentro de casa e chegar voando contra o San Lorenzo, o time das Minas Gerais é muito favorito. As partidas acontecerão nas próximas duas quartas, lembrando que o jogo de ida será em Buenos Aires e a volta em Belo Horizonte.

Ficha Técnica:

Local: Estádio General Pablo Rojas, em Assunção (PAR)

Data: 30 de abril de 2014, quarta-feira

Horário: 22 horas (de Brasília)

Árbitro: Dario Ubriaco (Uruguai)

Assistentes: Mauricio Espinosa e Carlos Changala (ambos do Uruguai)

Cartões amarelos: (Cruzeiro) Bruno Rodrigo, Dedé e Samudio

Cartões vermelhos: (Cruzeiro) Bruno Rodrigo; (Cerro Porteño) Corujo e Daniel Güiza

GOLS:

Cruzeiro: Dedé, aos 35 e Dagoberto, aos 48 minutos do segundo tempo

Cerro Porteño-PAR: Fernández; Bonet, Cardozo, Ortiz e Alonso (Rodolfo Gamarra); Corujo, Júlio dos Santos, Oviedo e Oscar Romero; Ángel Romero (Godoy) e Daniel Güiza (Beltran)
Técnico: Francisco Arce

Cruzeiro: Fábio; Ceará, Dedé, Bruno Rodrigo e Samudio; Henrique, Lucas Silva, Everton Ribeiro e Ricardo Goulart; Willian (Dagoberto) e Júlio Baptista (Borges) (Léo)
Técnico: Marcelo Oliveira

Dudu marcou, mas os gremistas
 deixaram a Arena tristes. (Getty Images)
Grêmio 1 (2) x 0 (4) San Lorenzo-ARG: Perdendo apenas por um a zero na Argentina, o Imortal Grêmio recebeu o San Lorenzo em sua Arena prometendo acabar com as expectativas do Papa Francisco e do restante dos torcedores do time de Buenos Aires. O time de Enderson mandou no jogo, a torcida Imortal estava muito animada e confiante do resultado positivo. Foram muitas chances desperdiçadas, muitos erros que custaram caro.

Hernán Barcos até marcou, mas a posição irregular desanimou a torcida, a comissão técnica e os torcedores. Na base do desespero, Enderson tirou o experiente Zé Roberto e colocou o recém-contratado Rodriguinho, o atacante não decepcionou e foi bem. Maxi Rodríguez e Lucas Coelho também entraram, mas pouco fizeram. Quando tudo parecia distante, o jovem Dudu acertou o gol e levou a partida para as penalidades, o cenário perfeito para o Grêmio renascer na competição. Vale destacar que o Grêmio foi o melhor brasileiro na primeira fase.

Nas cobranças de pênaltis, Barcos e Maxi erraram, Riveros e Rodriguinho marcaram, mas era tarde demais, os argentinos converteram todos e levaram a vaga para a Argentina. O San Lorenzo encarará o Cruzeiro, enquanto o Grêmio vive momentos de muita indefinição, o time joga bem com Enderson, mas o fracasso na Libertadores deve pesar contra o jovem técnico.

Ficha Técnica:

Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)

Data: 30 de abril de 2014, quarta-feira

Horário: 22 horas (de Brasília)

Árbitro: Roberto Silvera (URU)

Assistentes: Carlos Pastorino (URU) e Nicolás Tarán (URU)

Público: 47.244 (44.042)

Renda: R$ 2.394.936,00

Cartões amarelos: Zé Roberto, Pará e Edinho (Grêmio); Gentiletti e Buffarini (San Lorenzo)

Gol: 

GRÊMIO: Dudu, aos 38 minutos do segundo tempo
Pênaltis: GRÊMIO: Riveros e Rodriguinho marcaram; Barcos e Maxi Rodríguez erraram

SAN LORENZO: Ortigoza, Matos, Blandi e Buffarini marcaram

Grêmio: Marcelo Grohe; Pará (Lucas Coelho), Werley, Geromel e Wendell; Edinho, Riveros e Zé Roberto (Rodriguinho); Luan (Maxi Rodríguez), Barcos e Dudu
Técnico: Enderson Moreira

San Lorenzo: Torrico; Buffarini, Valdés, Gentiletti e Más; Mercier, Ortigoza, Villalba (Prósperi) e Piatti; Correa (Elizari) e Matos
Técnico: Edgardo Bauza

Atlético Mineiro 1 x 1 Atlético Nacional-COL: Depois de perder no último minuto e entrando em uma verdadeira crise interna, o Galo Mineiro duelou com o xará colombiano por uma vaga entre os oito melhores do América. O time, agora comandado por Levir Culpi, entrou com o que tinha de melhor, exceto a presença de Réver no banco de reservas, o zagueiro ainda não está 100%, por isso, Otamendi e Leonardo Silva compuseram a zaga. Na frente, temos Diego Tardelli, Ronaldinho, Fernandinho e Jô, é impressionante a forma como os dois primeiros estão jogando mal, Tardelli vem mal desde o Mundial de Clubes e Ronaldinho parece que não voltou das férias.

Jô tenta, mas o Galo foi surpreendido. (AFP)
O Galo entrou no Horto muito confiante e, embalado por sua massa, fez um primeiro tempo de muito respeito, conseguindo abrir o placar aos 18 minutos da primeira etapa, um gol espetacular de Fernandinho que motivou todo o time atleticano. O jogo continuou bem a favor do Atlético, o time mineiro estava muito bem em campo, o grande problema era que o Atlético Nacional também é um time muito bom, de nomes que realmente podem fazer a diferença, como foi o caso de Cárdenaz na partida de ida, o bom menino provou ser um jogador que merece ser observado.

No segundo tempo, o Atlético continuou melhor, mas acredito que Culpi tenha se equivocado em algumas substituições, como os casos de ter sacado Fernandinho e Tardelli, é claro que Diego está mal, mas tirá-lo do jogo para pôr o jovem Marion foi um tanto quanto arriscado. Enquanto o Galo se mandava ao ataque, Victor fazia o máximo possível para salvar o time, porém o castigo veio de maneira que não tinha como reverter, gol aos 43 minutos do segundo tempo de Duque para o Atlético colombiano, o rebote do gigante goleiro Victor fez com que o xará e algoz de Medellín empatasse a peleja, 1 a 1 amargo que classificou o Atlético Nacional.

O Atlético Nacional agora vai encarar o Defensor do Uruguai, um grande jogo que pode definir quem será grande favorito junto ao Cruzeiro pela conquista da América, temos um brasileiro e uma penca de rivais tentando encerrar com a hegemonia do Brasil.

Um grande abraço!

Ficha Técnica:

Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG)

Data: 01 de maio de 2014, quinta-feira

Horário: 19h15 (de Brasília)

Árbitro: Patricio Loustau (ARG)

Assistentes: Diego Bonfa e Ivan Nuñez (ambos da Argentina)

Cartões amarelos: (Atlético-MG) Victor (Atlético Nacional) Mejía, Bernal, Henríquez

Gols: 

Atlético-MG: Fernandinho, aos 20 minutos do primeiro tempo

Atlético Nacional: Duque, aos 43 minutos do segundo tempo

Atlético-MG: Victor; Alex Silva, Leonardo Silva, Otamendi e Emerson Conceição; Pierre (Réver), Leandro Donizete, Tardelli (Guilherme) e Ronaldinho; Fernandinho (Marion) e Jô
Técnico: Levir Culpi

Atlético Nacional: Armani; Peralta (Duque), Murrillo, Henríquez e Bocanegra; Bernal (Nájera), Mejía, Cardona e Cárdenas; Díaz (Arias) e Valência
Técnico: Juan Carlos Osório

Dia 24 de maio, os olhos do mundo se voltam para Lisboa, o Estádio da Luz será palco da grande decisão da UEFA Champions League. Real Madrid x Atlético de Madrid, respiramos a final da Liga dos Campeões, siga conosco, Esporte Entre Amigos!