domingo, 20 de abril de 2014

Grande Prêmio Mercedes

O Grande Prêmio da China é, sem dúvidas, um dos mais legais do ano, com uma das maiores retas dentre todas as pistas. Foi nessa reta que todos os fãs de Fórmula 1 assistiram a mais um show da Mercedes, que sobra no Mundial com o brilho do excelente e de volta  a boa forma Lewis Hamilton, e o jovem em ascensão Nico Rosberg. A largada foi bem interessante, com Hamilton arrancando na ponta, sendo egoísta, o inglês não largou ela.
Hamilton vence, mas Rosberg ainda lidera o Mundial. (AFP/Tribuna do Cisco)

Seguiu a dupla da RBR, é impressionante o excepcional início de temporada de Daniel Ricciardo, superando até seu parceiro Vettel, mas o que chamou atenção foi a ousadia de Felipe Massa que por pouco não conseguiu ficar entre os três primeiros, o que atrapalhou foi o toque de Fernando Alonso em seu carro, ainda não dá para saber se foi intencional. Rosberg, líder do Mundial até o momento, largou muito mal e protagonizou mais um toque na largada, ele triscou na Williams de Valtteri Bottas e acabou caindo para sétimo.

Felipe Massa fazia uma excelente prova, porém, a sua equipe mostrou mais um pouco de amadorismo e prejudicou o brasileiro. Os palhaços... Ops! Os mecânicos inverteram os pneus traseiros, além da dificuldade em colocar o pneu traseiro esquerdo, Massa esperou, esperou e voltou a pista na décima quinta colocação, isso na volta de número 12, foi o fim das chances dele em Xangai. Quem fazia bonito era Nico Rosberg, o alemão largou muito atrapalhado, mas o seu carro deu totais condições do piloto recuperar posições e chegar a segunda colocação, posição que o manteve em primeiro, lugar geral, pelo menos por enquanto.

No geral, foi uma corrida bem tranquila, sem grandes disputas e sem tantas ultrapassagens, a prova disso que a melhor ultrapassagem foi a do retardatário Kobayashi sobre Sebastian Vettel, o alemão ficou revoltado. Além da revolta pela ultrapassagem, Vettel foi avisado pela RBR que Ricciardo estava mais rápido e foi obrigado a abrir caminho, a ordem foi recusada pelo tetracampeão, mas o bom piloto australiano não deu chances para Vettel e roubou a posição.

Fernando Alonso deu aquela ajuda para a necessitada Ferrari, a escuderia ainda não havia conquistado o pódio em 2014, dessa forma, o espanhol se manteve entre os três primeiros, só perdeu posição para Rosberg, mas segurou as investidas de Ricciardo, pode-se dizer que Alonso foi o grande destaque da corrida. A vitória de Hamilton estava tão consumada que já na penúltima volta o comissário deu a bandeirada de vitória para o britânico, precipitação que só fez Lewis ganhar duas bandeiradas, vitória que empolga, que fez o piloto bater recorde e entrar, mais uma vez, para a história e o torna franco favorito ao título. Rosberg ainda é líder, mas precisa vencer provas para assim, de fato provar a que veio em 2014.
Choque entre Massa e Alonso, trapalhada da Williams, "parceria" Ricciardo-Vettel e dobradinha da Mercedes, o GP da China. (Tribuna do Cisco)

A verdade é que a Mercedes é a campeã entre os Construtores, claro que ainda é muito cedo e pode ocorrer reviravoltas, mas a escuderia de Ross Brawn e Niki Lauda está muito bem e, dificilmente irá desperdiçar uma chance tão clara de quebrar a hegemonia da RBR. A Fórmula 1 encerrou sua primeira etapa dos Grandes Prêmios asiáticos, agora, entrará nas etapas européias, começando com o GP da Espanha, que acontecerá em 11 de maio. É o momento em que as equipes tentarão se ajustar, a Mercedes deve se manter no topo, mas as demais precisarão refletir e trabalhar para tentar fazer frente aos ingleses.

Resultado Final do GP da China:
1) Lewis Hamilton (ING/Mercedes) 1h33m26s338 (25 pontos)
2) Nico Rosberg (ALE/Mercedes) +18s0   (18)
3) Fernando Alonso (ESP/Ferrari) +23s6     (15)
4) Daniel Ricciardo (AUS/RBR-Renault) +27s1    (12)
5) Sebastian Vettel (ALE/RBR-Renault) +47s8    (10)
6) Nico Hulkenberg (ALE/Force India-Mercedes) +54s3    (8)
7) Valtteri Bottas (FIN/Williams-Mercedes) +55s7     (6)
8) Kimi Raikkonen (FIN/Ferrari)  +1m16s3   (4)
9) Sergio Pérez (MEX/Force India-Mercedes) +1m22s6   (2)
10) Daniil Kvyat (RUS/STR-Renault) +1 volta    (1)
11) Jenson Button (ING/McLaren-Mercedes) +1 volta
12) Jean-Eric Vergne (FRA/STR-Renault) +1 volta
13) Kevin Magnussen (DIN/McLaren-Mercedes) +1 volta
14) Pastor Maldonado (VEN/Lotus-Renault) +1 volta
15) Felipe Massa (BRA/Williams-Mercedes) +1 volta
16) Esteban Gutiérrez (MEX/Sauber-Ferrari) +1 volta
17) Jules Bianchi (FRA/Marussia-Ferrari) +1 volta
18) Kamui Kobayashi (JAP/Caterham-Renault) +1 volta
19) Max Chilton (ING/Marussia-Ferrari) +2 voltas
20) Marcus Ericsson (SUE/Caterham-Renault) +2 voltas

Abandonaram:
Romain Grosjean (FRA/Lotus-Renault) 27 voltas
Adrian Sutil (ALE/Sauber-Ferrari) 4 voltas

Volta mais rápida: Nico Rosberg, com 1m40s402 na volta 39

Mundial de Pilotos:
1. Nico Rosberg: 79 pontos
2. Lewis Hamilton: 75
3. Fernando Alonso: 41
4. Nico Hulkenberg: 36
5. Sebastian Vettel: 33
6. Daniel Ricciardo: 24
7. Valtteri Bottas: 24
8. Jenson Button: 23
9. Kevin Magnussen: 20
10. Sergio Pérez: 18
11. Felipe Massa: 12
12. Kimi Raikkonen: 11
13. Jean-Eric Vergne: 4
14. Daniil Kyvat: 4

Mundial de Construtores:
1. Mercedes: 154 pontos
2. RBR/Renault: 57
3. Force India/Mercedes: 54
4. Ferrari: 52
5. McLaren/Mercedes: 43
6. Williams/Mercedes: 36
7. STR-Renault: 8