quinta-feira, 24 de abril de 2014

Brasil na América: Oitavas de Final (Ida)

Os jogos de ida das oitavas de final definitivamente não foram boas para os brasileiros, o Cruzeiro empatou com gols dentro de casa, o campeão brasileiro está novamente sob risco de eliminação, já Atlético Mineiro e Grêmio perderam fora de casa pelo placar mínimo, os dois decidirão em casa a classificação para as quartas de final da Taça Libertadores.
Brasileiros tem começo difícil na fase de oitavas de final. (Tribuna do Cisco)
Cruzeiro 1 x 1 Cerro Porteño-PAR: Após a classificação mais sofrida entre os brasileiros classificados, o campeão brasileiro teve que jogar dentro de casa na partida de ida. É impressionante como o clube que domina o futebol nacional tem jogado mal na Taça Libertadores, de maneira preguiçosa, egoísta e decepcionante, esse é um pouco do Cruzeiro na competição internacional. É óbvio que o time tem seus valores e mostrou isso na primeira fase quando estava sob pressão, mas para evitar a pressão, os jogadores foram a campo encarar os paraguaios do Cerro.

Cruzeiro vacila e empata em casa. (EFE)
O time paraguaio fez uma primeira fase razoável, somou 10 pontos, com três vitórias, duas derrotas e um empate, dessa forma, seria um adversário interessante para o time Celeste, mesmo com a classificação dos paraguaios em primeiro lugar, foi melhor do que pegar o Lanús ou ter que antecipar um embate contra o Atlético Mineiro. A Raposa começou melhor, atacando bem, o jovem Elber substituiu Ricardo Goulart e não comprometeu, quem vive grande fase é o zagueiro Bruno Rodrigo, em jogadas aéreas, o bom defensor já superou até seu companheiro Dedé e, hoje, é o líder da zaga do azul das Minas Gerais.

O Cruzeiro era melhor na partida, mas a displicência atrás fez com que o castigo viesse ainda no primeiro tempo, vacilo na zaga e Angel Romero triscou na bola e abriu o placar, não deu para Fábio, Romero estava muito próximo do gol. O restante do jogo só deu Cruzeiro, melhor por quase toda a primeira etapa e melhor por todo o segundo tempo, o problema é que o gol não vinha e víamos jogadores e torcedores angustiados. Essa falta de confiança pode custar caro a Raposa que pode terminar sendo eliminado no torneio.

Inteligente, Marcelo Oliveira colocou Borges no lugar do menino Elber e tirou Júlio Baptista para a entrada de Marlone, as trocas melhoram o time cansado, mas era visível que o gol só sairia em um lance chorado, na raça, muito graças ao apoio do torcedor. O gol veio da forma que previa, chorado, no último lance, os paraguaios não suportaram a pressão da Raposa e, graças ao paraguaio Samúdio, o Cruzeiro empatou a peleja, o 1 a 1 deixa a vaga em aberto, mas a vantagem dos paraguaios põe em risco a permanência Celeste na Libertadores.

A volta acontecerá no próximo dia 30 de abril, o Cruzeiro vai ao Paraguai precisando vencer, a situação é difícil, porém, Marcelo Oliveira e seus comandados já mostraram que jogando sob pressão, o Cruzeiro pode fazer bonito, é esperar para ver!

Ficha Técnica:

Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Data: 16 de abril de 2014, quarta-feira

Horário: 22h (de Brasília)

Árbitro: Daniel Fedorczuk (URU)

Assistentes: Carlos Pastorino e Gabriel Popovitz (ambos do Uruguai)

Cartão amarelo: (Cerro Porteño) Alonso

Gols:

Cruzeiro: Samudio, aos 48 minutos do segundo tempo

Cerro Porteño: Angel Romero, aos 31 minutos do primeiro tempo

Cruzeiro: Fábio; Ceará (Mayke), Bruno Rodrigo, Dedé e Samudio; Lucas Silva, Henrique, Elber (Borges) e Everton Ribeiro; Willian e Júlio Baptista (Marlone)
Técnico: Marcelo Oliveira

Cerro Porteño: Fernández; Bonet, Cardoso, Ortiz e Alonso; Corujo, Oviedo, Julio dos Santos e Oscar Romero (Candia); Guiza (Riveros) e Angel Romero (Beltran)
Técnico: Arce

Atlético Nacional-COL 1 x 0 Atlético Mineiro: Tentando voltar a jogar bem e fazer o que seu rival Cruzeiro não conseguiu fazer, o Galo mineiro entrou em campo em busca de pelo menos um empate fora de casa. O Atlético até que começou bem a partida, Autuori agora tinha um lateral esquerdo nato, Emerson Conceição chegou para ser titular nesta segunda fase e até que foi bem. Apesar disso, Marcos Rocha estava machucado e o técnico cometeu um erro na minha visão, colocou um Réver completamente sem ritmo na zaga e improvisou Otamendi na lateral direita, o argentino ficou sobrecarregado.

O xará colombiano jogou melhor e dominou a partida, Victor trabalhou como nunca e, por sinal, trabalhou muito bem, segurou o 0 a 0 por todo o primeiro tempo. Ronaldinho segue jogando muito mal, jogando de maneira preguiçosa, parece que o R10 está jogando sem estar feliz, resultando em um péssimo rendimento de todo o time. Ano passado, o Galo campeão da América tinha a presença fundamental de Bernard, a ida do meia para o Shakhtar prejudicou ambos.

O jogo atleticano estava errado, muita retranca e muitos erros na marcação, sem falar dos passes precipitados, para ser sincero, o time só evoluiu com as saídas de Ronaldinho e Fernandinho, Guilherme e Marion deram um novo ânimo, a jovem promessa perdeu uma boa chance assim que entrou. O fato é que o Galo segue em declínio, o famoso desgaste de atual campeão, o problema é que o time é muito bom e pode muito bem lutar pela manutenção do título, parece estar faltando confiança.
Galo toma gol no último lança e acaba derrotado. (Superesportes MG)

O fraco desempenho do Atlético na partida fez com que o time fosse castigado no último lance do jogo, o jovem Cárdenas fez uma bela jogada e acertou um excelente chute, castigando o melhor jogador do Atlético na partida, Victor ficou sem reação e nada poderia fazer. O Nacional foi recompensado pela ousadia e pela festa dos colombianos no estádio, a vantagem de um gol é preciosa e pode fazer a diferença. O Atlético ainda tem grandes chances de classificação, o clube pode se espelhar na campanha do ano passado e, como Paulo Autuori entregou o cargo, o presidente Alexandre Kalil tem que anunciar um nome para já, alguém que recoloca um novo gás de confiança, a saída de Autuori deve ser benéfica e ainda aposto minhas fichas na classificação atleticana, a volta acontece na próxima quinta, 1 de maio.

Ficha Técnica:

Local: Estádio Atanásio Girardot, em Medellín (COL)

Data: 23 de abril de 2014, quarta-feira

Horário: 22h (de Brasília)

Árbitro: Martin Vazquez (URU)

Assistentes: Miguel Nievas e Carlos Changala (ambos do Uruguai)

Cartões amarelos: (Atlético Nacional) Murrillo (Atlético-MG) Leonardo Silva

Gol:

Atlético Nacional: Cárdenas, aos 46 minutos do segundo tempo

Atlético Nacional-COL: Armani; Nájera, Murrillo, Henríquez e Bocanegra; Bernal (Arias), Mejía, Cárdenas e Díaz; Duque (Trellez) e Valência
Técnico: Juan Carlos Osório

Atlético-MG: Victor; Otamendi, Leonardo Silva, Réver e Emerson Conceição; Pierre, Leandro Donizete, Ronaldinho (Guilherme) e Tardelli; Fernandinho (Marion) e Jô
Técnico: Paulo Autuori

San Lorenzo-ARG 1 x 0 Grêmio: Após passear contra o Botafogo na última rodada da fase de grupos, o time do Papa Francisco deu azar de cruzar com o Grêmio na fase de oitavas de final, todavia, o time foi aguerrido e não tomou conhecimento dos gaúchos. O time de Enderson vive um momento de desconfiança, após o sacode para o Internacional na final do Campeonato Gaúcho deixou o sinal amarelo ligado, mas o bom desempenho na Libertadores deu sobrevida ao jovem e bom técnico.

O Grêmio não foi mal dentro de campo, mas alguns desfalques deixaram o time sem aquela pegada da primeira fase, culminando em um resultado para lá de decepcionante para o melhor dos brasileiros até então. O veterano Zé Roberto segue não sendo uma peça tão importante do time em 2014, o camisa 10 começou jogando, mas terminou substituído sem fazer uma grande partida.

Correa marca e Grêmio também perde fora de casa. (AP)
Assim como o Galo, o Grêmio conseguiu se salvar no primeiro tempo, contudo, diferente do Galo, o Imortal tomou o gol logo no início da etapa final, Correa aproveitou os erros defensivos, principalmente de Marcelo Grohe que saiu do meio do gol e pulou no canto, a bola foi no centro e a vantagem era argentina. O Grêmio melhorou após sofrer o gol, atacou com mais autoridade e, é claro, a entrada do jovem Luan que volta de lesão, fez o time gremista apertar o botão de ligar, o menino começa a temporada sendo o talismã, fazendo a diferença.

Em busca do empate, Barcos e seus companheiros tiveram uma grande chance nos momentos finais, o erro grotesco da defesa argentina que recuou a bola para o limitado goleiro Torrico segurar com a mão fez com que os gremistas tivessem um momento de ouro para conseguir o gol fora de casa. Os jogadores pareceram estar nervosos e Dudu rolou estranho e Barcos chutou mais estranho ainda, as chances de empate foram para fora juntos a bola, a verdade é que caiu a invencibilidade do último invicto na competição.

Na próxima quarta-feira, Enderson e seus comandados tem toda chance do mundo de fazer um grande jogo, em sua Arena, a partida do Grêmio deverá ser outra. O 1 a 0 e as limitações do San Lorenzo ficaram evidentes, acredito que o Grêmio pode muito bem conseguir um bom placar na Arena, falta Enderson encaixar as peças e recolocar Luan no time titular, isso se o garoto realmente tiver condições, é claro.

Ficha Técnica:

Local: Estádio Nuevo Gasómetro, em Buenos Aires (ARG)

Data: 23 de abril de 2014, quarta-feira

Horário: 22 horas (de Brasília)

Árbitro: Enrique Osses (CHI)

Assistentes: Carlos Astroza e Sérgio Román (ambos chilenos)

Cartão amarelo: Correa, Buffarini, Más e Kannemann (San Lorenzo); Léo Gago e Edinho (Grêmio)

Gol:

San Lorenzo-ARG: Correa, aos 6 minutos do segundo tempo

San Lorenzo-ARG: Torrico; Buffarini, Valdés, Gentiletti e Más; Mercier, Ortigoza, Villalba (Cavallaro) e Piatti (Kannemann); Correa (Elizari) e Matos
Técnico: Edgardo Bauza

Grêmio: Marcelo Grohe; Pará, Werley, Geromel e Léo Gago (Breno); Edinho, Ramiro (Luan), Riveros e Zé Roberto (Maxi Rodríguez); Dudu e Barcos
Técnico: Enderson Moreira