sexta-feira, 11 de abril de 2014

Brasil na América – 6° Rodada

A sexta rodada garantiu a classificação de três clubes brasileiros, os já classificados Atlético Mineiro e Grêmio, por fim, o Cruzeiro venceu com facilidade o Garcilaso e renasceu das cinzas na competição. Atlético-PR, Botafogo e Flamengo deram vexame e terminaram desclassificados, foi um recorde de eliminação para o futebol brasileiro, confira!
Rodada definiu os classificados e os eliminados, um dilema para o futebol brasileiro. (Tribuna do Cisco)
The Strongest-BOL 2 x 1 Atlético-PR: Após ser derrotado dentro de casa e se complicar no grupo, o Furacão foi a altitude boliviana encarar o The Strongest, o time precisava pelo menos do empate para se segurar em segundo, não deu para o time do Imperador. Os bolivianos fizeram um jogo muito certinho, bem postado e não abrindo grandes espaços para o Atlético, mas a verdade é que o Strongest não terá grandes forças para chegar, por exemplo, as quartas de final.

A situação do Atlético era ruim, principalmente quando seu grande líder, o zagueiro Manoel, marcou um gol contra, foi para abalar todo o elenco. Apesar disso, o time não se abateu e foi em busca do empate, conseguindo no melhor momento possível, no último lance da primeira etapa, a bola foi cruzada para a área e Adriano marcou para o Furacão, o primeiro gol dele após sua pausa na carreira, 2 anos depois.

Adriano marcou, mas o Furacão está eliminado. (Reuters)
No segundo tempo, a frustração tomou conta dos curitibanos, isso porque Soliz colocou os bolivianos na frente logo com 09 minutos, foi para acabar com as pretensões do time de Ángel Portugal, cabisbaixo e sem poder de reação, foi uma campanha para o Furacão esquecer, o time mesclou bons e maus momentos. Já disse e repito, o planejamento do presidente Petraglia foi um tanto quanto duvidoso, dispensando técnico e o jogador mais importante do grupo, Paulo Baier. Além disso, as baixas do elenco e a falta da Arena Baixada culminaram em uma eliminação precoce.

Ficha Técnica:

Local: Estádio Rafael M. Catellón, em La Paz (BOL)

Data: 08 de abril de 2014, terça-feira

Horário: 19h45 (de Brasília)

Árbitro: Roddy Zambrano (Fifa-EQU)

Assistentes: Luis Vera e Edwin Bravo (ambos Fifa-EQU)

Cartões amarelos: Sueliton e Crislan (Atlético-PR)

Gols:

The Strongest-BOL: Manoel (contra), aos 38 minutos do primeiro tempo e Soliz, aos 09 minutos do segundo tempo

Atlético-PR: Adriano, aos 47 minutos do primeiro tempo

The Strongest-BOL: Vaca; Parada, Jeferson, Brejarano e Wayar; Soliz (Cristaldo)(Ríos), Chumacero, Castro e Chavez; Reynoso (Veizaga) e Pablo Escobar
Técnico: Eduardo Villegas

Atlético-PR: Weverton; Sueliton, Manoel, Cleberson e Natanael; João Paulo, Paulinho Dias (Crislan) e Mirabaje; Marcelo, Adriano e Éderson (Zezinho)
Técnico: Miguel Ángel Portugal

Flamengo 2 x 3 León-MÉX: Depois de vencer o Emelec no Equador, o Flamengo só dependia de si para chegar a segunda fase da Taça Libertadores, por isso, a torcida tomou conta do Maracanã para quebrar a escrita de vexames dentro de casa, ironia do destino, o Mengão deu, novamente, um presente de grego para sua massa, uma derrota merecida e a classificação para o time do eterno Rafa Marquez.

O time começou jogando muito mal, o León dominava a posse de bola e armava seu jogo, mais um erro crucial do time de Jayme de Almeida. O Rubro Negro tomou um gol logo aos 20 minutos, Arizala cabeceou para o gol, 1 a 0 e pressão para jogadores e torcida carioca. O Flamengo empatou 10 minutos depois, o cruzamento de Léo Moura para André Santos enganar o limitado goleiro Yarbrough, foi a festa da massa.

Não deu tempo para os cariocas buscarem a virada, Mauro Boselli logo cabeceou no erro de Samir e André Santos, que se empolgou com o gol e esqueceu-se de marcar na defesa, 2 a 1 para o time do México. O time de Jayme novamente teve que correr atrás, e até deu certo. Alecsandro chutou meio sem querer e contou com um desvio para igualar o marcador, 2 a 2.

Torcida lotou o Maraca para
 assistir mais um vexame. (Blog Fim de Jogo)
O Flamengo precisava voltar muito ligado no segundo tempo, o time até melhorou, mas os mexicanos estavam muito bem armados na defesa, não dando muito espaço para o Mengão, que continua com problemas para encontrar um armador. O segundo tempo foi frustrante para a torcida, principalmente quando veio a gota d’água fria, o gol de Peña, que matou o jogo e classificou o León. Comparando os elencos de Flamengo, Atlético-PR e Botafogo, os jogadores do Fla estão em um nível um pouco acima, por isso a estranheza na eliminação do Rubro Negro. Apesar disso, um time que toma 10 gols em seis jogos... É, realmente não tem o que se discutir, eliminação justa e mais reflexões para a diretoria que promete organizar o clube de maior torcida do país.

Ficha Técnica:

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro-RJ

Data: 9 de abril de 2014 (Quarta-feira)

Horário: 19h45(de Brasília)

Árbitro: Diego Abal (Argentina)

Assistentes: Gustavo Rossi (Argentina) e Ivan Nuñez (Argentina)

Cartão Amarelo: André Santos, Amaral(Fla); Rafa Marquez, González, Montes, Boselli(León)

Gols:

Flamengo: André Santos, aos 29 minutos e Alecsandro, aos 34 minutos do primeiro tempo

León: Arizala, aos 21 minutos e Boselli, aos 30 minutos do primeiro tempo; Peña, aos 38 minutos do segundo tempo

Flamengo: Felipe, Leonardo Moura, Wallace, Samir e André Santos (Negueba); Amaral, Muralha, Elano (Gabriel) e Everton; Paulinho (Nixon) e Alecsandro
Técnico: Jayme de Almeida

León-MEX: Yarbrough, Magallón, Rafa Marquez, González e Hernández (Pineda); Vazquez, Peña, Montes e Elias; Boselli e Arizala (Luis Delgado)
Técnico: Gustavo Matosas

San Lorenzo-ARG 3 x 0 Botafogo: Derrotado dentro de casa para o Unón Española, o Botafogo se complicou e teve que ir a Argentina precisando do empate. O fato é que o time virou saco de pancada do time do Papa, uma vitória incontestável que garantiu a classificação argentina. O Fogão estava muito mal montado, além do mais, os jogadores do time parecem entrar em campo desacreditados, tristes e sem vontade de jogar futebol, problemas que o time Glorioso terá de resolver nas próximas duas semanas, muito pouco tempo.

O time argentino dominava o jogo, com destaque para os meias Piatti e Correa, que deram uma canseira na defesa botafoguense. O primeiro gol saiu dos pés de Villalba, ainda contou com o desvio da defesa do Glorioso, o fato é que a porteira foi aberta para que o San Lorenzo brigasse pela classificação. O Botafogo desistiu da partida, lances muito individualistas, falta de alguém que arrumasse o meio de campo e falta de um atacante de qualidade, é visível as limitações de Wallyson e Ferreyra.

No segundo tempo, a vantagem argentina ficou ainda maior, isso porque o San Lorenzo precisava de gols para evitar com que o Independente Del Valle ficasse com a segunda vaga, por isso, Piatti ampliou logo aos 8 minutos, o melhor momento para um time que ainda precisaria de mais um gol, o Fogão estava batido, entregue, aberto. Muitas oportunidades desperdiçadas para o lado argentino, mas o terceiro gol saiu, veio dos pés do mesmo Piatti, que partida a do argentino, um ídolo do time campeão argentino.
Imagem define o momento do Glorioso em um ano de muitas expectativas. (Reuters)
O Botafogo, que tanto priorizou a Taça Libertadores, amargurou a lanterninha do grupo 2, uma posição catastrófica para o time do presidente Assumpção, pressão e queda de Eduardo Húngaro são evidentes, a verdade é que o Fogão vive um de seus piores anos da história, o risco de brigar para não cair para a segunda divisão é muito grande.

Ficha Técnica:

Local: Estádio Nuevo Gasómetro, em Buenos Aires (Argentina)

Data: 9 de abril de 2014 (Quarta-feira)

Horário: 22h(de Brasília)

Árbitro: Juan Soto (Venezuela)

Assistentes: Carlos López (Venezuela) e Luis Murillo (Venezuela)

Cartões Amarelos: Gentiletti, Piatti(San Lorenzo); Bolatti(Botafogo)

Gols:

San Lorenzo: Villalba, aos 28 minutos do primeiro tempo; Piatti aos 8 e aos 43 minutos do segundo tempo

San Lorenzo: Torrico, Buffarini, Valdés, Gentiletti e Emmanuel Más (Navarro); Mercier, Ortigoza, Piatti e Villalba (Cavallaro); Mauro Matos e Correa (Elizari)
Técnico: Edgardo Bauza

Botafogo: Jéfferson, Lucas, Dória, Bolívar e Julio Cesar; Aírton(Bolatti), Gabriel(Henrique), Jorge Wagner e Lodeiro; Wallyson (Fabiano) e Tanque Ferreyra
Técnico: Eduardo Húngaro

Cruzeiro 3 x 0 Real Garcilaso-PER: Renascido das cinzas, o time Celeste entrou em campo mordido com o Real Garcilaso, principalmente após a polêmica com o volante Tinga, por isso, Marcelo Oliveira mandou seu time ao ataque, priorizando, além da vitória, um show para a torcida, foi o que aconteceu. Muita pressão, o Cruzeiro sufocou os peruanos até conseguir marcar, o primeiro veio em uma cabeçada de Ricardo Goulart, que vinha sendo criticado por muitos, 1 a 0 aos 23 minutos de primeiro tempo.

A Raposa seguiu em cima e, 3 minutos após o primeiro tento, Bruno Rodrigo, o zagueiro artilheiro subiu mais que todos e ampliou a vantagem, 2 a 0 e classificação muito bem encaminhada. Ainda no primeiro tempo, Júlio Baptista fechou o placar, 3 a 0 e classificação consumada, sobrou para a La U, o time chileno perdeu na ida e na volta para o Cruzeiro, acabou pagando o pato, mesmo vencendo a maioria dos jogos, o saldo do Cruzeiro ficou bem maior.

Raposa responde racismo com festa e futebol. (AFP)
O segundo tempo serviu para animar a torcida, para administrar a classificação e, para responder quem é que manda ao time peruano. Marcelo Oliveira se sustentou no cargo e recolocou a Raposa para jogar bem, foi a volta por cima do técnico após um início de temporada complicado. O Cruzeiro se classificou em segundo lugar e se juntou a Atlético-MG e Grêmio entre os brasileiros classificados, os 3 podem muito bem brigar pelo título, mas os erros do time celeste  na primeira fase podem colocar em risco o projeto dos mineiros. O Cruzeiro vai enfrentar o Cerro Porteño-PAR, o primeiro jogo acontece no Mineirão já na próxima semana, fiquem ligados!

Ficha Técnica:

Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Data: 09 de abril de 2014, quarta-feira

Horário: 22 horas (de Brasília)

Árbitro: Adrian Velez (COL)

Assistentes: Wilson Berrio e Rafael Rivas (ambos da Colômbia)

Cartões amarelos: Egídio (Cruzeiro); Huerta, Herrera, Santillán, Lojas (Real Garcilaso)

Gols:

Cruzeiro: Ricardo Goulart, aos 23, Bruno Rodrigo, aos 26 e Júlio Baptista, aos 41 minutos do primeiro tempo

Cruzeiro: Fábio; Mayke, Bruno Rodrigo, Dedé e Egídio; Lucas Silvas, Henrique, Ricardo Goulart (Elber) e Everton Ribeiro (Alisson); Dagoberto (Borges) e Júlio Baptista
Técnico: Marcelo Oliveira

Real Garcilaso-PER: Pretel; Maulella, Huerta (Lojas), Brítez e García (Flores); Herrera, Retamoso, Ortiz e Santillán; Ramúa (Gonzalez) e Ramón Rodríguez
Técnico: Freddy Garcia

Jô abriu o placar e assim terminou,
 Galo líder do grupo. (Clube Atlético Mineiro)
Atlético Mineiro 1 x 0 Zamora-VEN: O Atlético Mineiro já estava classificado, mas isso não foi problema para o time que entrou em campo com seriedade para vencer o Zamora e se classificar em primeiro no grupo 4 da Taça Libertadores. Ronaldinho ainda não apareceu como se espera em 2014, no jogo de ontem, o gaúcho nem entrou em campo devido a uma lesão, apesar disso, o clube logo marcou com o artilheiríssimo Jô, isso aos 9 minutos da primeira etapa, não havia começo melhor.

Depois do gol, o Galo só administrou a partida, o jogo ficou bastante chato, era visível que os mineiros estavam se poupando para a decisão do Campeonato Mineiro contra o Cruzeiro. A partida ficou um pouco emocionante quando o Nacional paraguaio ia vencendo o Santa Fé, colocando muita pressão para cima do Zamora, que precisava de pelo menos um gol para voltar a sonhar com a classificação. O problema é que o Zamora é um time bem impotente e não deu grande perigo ao Atlético, que venceu o jogo por 1 a 0.

Classificado em primeiro lugar, o Atlético agora vai encarar o Atlético Nacional, time que sofreu com o Grêmio na primeira fase. O Galo é muito melhor que seu xará colombiano, mas a fase dos mineiros é bem duvidosa, por isso, todo cuidado é pouco para o time de Paulo Autuori, que ainda não encontrou a melhor forma para se jogar, a partida de ida será em Medellín, mas só daqui a duas semanas.

Ficha Técnica:

Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG)

Data: 10 de abril de 2014, quinta-feira

Horário: 17h30 (de Brasília)

Árbitro: Roberto Tobar-CHI

Assistentes: Francisco Mondria e Raul Orellana (ambos do Chile)

Cartões amarelos: Soto e Melo (Zamora)

Cartão vermelho: España (Zamora)

Gol:

ATLÉTICO-MG: Jô, aos nove minutos do primeiro tempo

Atlético-MG: Giovanni; Marcos Rocha (Claudinei), Leonardo Silva, Otamendi e Alex Silva; Pierre, Leandro Donizete, Tardelli (Marion)e Guilherme; Neto Berola (Fernandinho) e Jô
Técnico: Paulo Autuori

Zamora-VEN: Angulo; Soto (Zafra), López, España e Ovalle; Flores (Arenas), Melo, Ramírez e Clarke; Murillo (Pluchino) e Falcón
Técnico: Noel Sanvicente

Grêmio 1 x 0 Nacional-URU: O time de melhor aproveitamento entre os brasileiros, um dos melhores futebol apresentado na primeira fase, sem dúvidas, um dos times favoritos ao título, o Grêmio entrou em campo contra o Nacional já classificado, só precisava de um empate para selar o primeiro lugar, foi o que aconteceu. Os gremistas fizeram parecido com o que o Atlético fez em sua partida, marcaram logo no início, aos 12 minutos com Barcos, de pênalti e, de resto, administraram muito bem a partida.

A grande diferença foi que o time do Sul do Brasil pecou bastante em finalizações, Barcos, Dudu, Ruiz, Deretti, Lucas Coelho, todos perderam muitas chances, dava para o Grêmio ampliar com facilidade. Lamentável foi a campanha do Nacional no grupo da morte, somar um ponto em 6 jogos não reflete a grande história do clube uruguaio, além do mais, a grande chance do time no jogo saiu dos pés do goleiro Munúa, em um bom chute em lance de escanteio, foi só!
Pirata fez o gol e o Imortal é favorito ao título da Libertadores. (Globo Esporte)

O Grêmio somou 14 pontos e tem a segunda melhor campanha do torneio, por isso, o San Lorenzo será o adversário. Os argentinos, que surraram o Botafogo na última rodada, terão uma vida complicadíssima na fase de oitavas de final, chego a dizer que o Imortal tricolor é favorito tanto em Porto Alegre quanto em Buenos Aires, o fato é que o Grêmio é o meu palpite ao conquistador da América no ano de 2014 (espero não estar secando).

Ficha Técnica:

Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)

Data: 10 de abril de 2014, quinta-feira

Horário: 22h (de Brasília)

Árbitro: Oscar Maldonado (Bolívia)

Assistentes: Efraín Castro e Victor Arellano (ambos bolivianos)

Público: 28.302 (25.733 pagantes)

Renda: R$ 1.131.941,00

Cartões amarelos: Ramiro e Maxi Rodríguez (Grêmio); Alonso, Prieto, Píriz e De los Santos (Nacional)

Gol:

Grêmio: Barcos, de pênalti, aos 12 minutos do primeiro tempo

Grêmio: Marcelo Grohe; Pará, Werley, Rhodolfo e Wendell; Edinho (Jean Deretti), Ramiro, Riveros e Alán Ruiz (Lucas Coelho); Dudu (Maxi Rodríguez) e Barcos
Técnico: Enderson Moreira

Nacional-URU: Munúa; Piriz, De los Santos, Scotti (Coates) e Díaz; Prieto, Arismendi (Calzada), Espino e Dorrego; García (Mascía) e Alonso
Técnico: Gerardo Pelusso