sexta-feira, 4 de abril de 2014

Brasil na América – 5° Rodada

A quinta rodada começou com o Atlético-PR ganhando um presente de grego, ou melhor, presente de argentino em seu aniversário de 90 anos. Teve também Flamengo e Cruzeiro renascendo e vendo a classificação ficar muito próxima, enquanto o Botafogo flerta com a eliminação. Quem se deu bem foi o Grêmio e o Atlético Mineiro, os primeiros clubes brasileiros já garantidos na fase de mata-mata, confira!
Confira a vida dos seis brasileiros que seguem vivos na Taça Libertadores. (Tribuna do Cisco)

Atlético Paranaense 1 x 3 Vélez Sarsfield-ARG: Comemorando 90 anos de fundação, o Furacão preparou uma festa para sua torcida e imaginava vencer os argentinos para consumar essa celebração, o problema é que esqueceram de avisar ao excelente time do Vélez. O Atlético foi logo surpreendido no início da partida, Allione marcou e calou o estádio, esperava-se um maior poder de reação do vice-campeão da Copa do Brasil, o que demorou a acontecer, só veio na segunda etapa.

Vélez vence o Furacão no Paraná. (EFE)
Por isso, Portugal mandou Dráusio, Felipe e Marcelo, o primeiro entrou no lugar do líder Manoel e chamou a responsabilidade, gol de Dráusio de cabeça e empate para o Furacão, era o momento de pressionar em busca da virada. A vitória dos paranaenses não veio, o que veio foi o balde de água fria, aos 14 minutos, pouco depois do empate brasileiro, o bom atacante Lucas Pratto marcou um belo gol e praticamente garantiu a classificação argentina.

O Vélez sempre é um time que entra no torneio como favorito, mas a fama de amarelão sempre é honrada, vale lembrar que no ano passado, o time foi derrotado dentro de casa para a Ponte Preta na Copa Sul-Americana. Para 2014, o time melhorou e parece ter recuperado a confiança, o terceiro gol que fechou o caixão atleticano foi marcado por Canteros, um belo chute de fora da área, 3 a 1 e classificação em primeiro lugar para o Vélez.

A situação do Atlético era confortável, mas a derrota em casa colocou muita pressão na equipe, que precisará se segurar contra na Bolívia contra o The Strongest, se o time boliviano vencer, elimina o Furacão e toma seu posto de segundo lugar, a partida acontecerá dia 8 de abril, na próxima terça-feira, Portugal deverá estar reforçado de Adriano, que ainda está devendo futebol.

Ficha Técnica:

Local: Estádio Durival Britto e Silva, em Curitiba

Data: 26 de março de 2014, quarta-feira

Horário: 22 horas (de Brasília)

Árbitro: Wilmar Roldan (Fifa-COL)

Assistentes: Eduardo Diaz e Alexander Guzman (ambos Fifa-COL)

Cartões amarelos: João Paulo e Ederson (Atlético-PR); Sosa (Vélez Sarsfield)

Cartões vermelhos: Frán Mérida (Atlético) e Emiliano Papa (Velez Sarsfield)

Gols:

Atlético-PR: Dráusio, aos 08 minutos do segundo tempo

Vélez Sarsfield: Agustín Allione, aos 7 minutos do primeiro tempo e Lucas Pratto, aos 14 minutos e Canteros, aos 48 minutos do segundo tempo

Atlético-PR Weverton; Sueliton, Manoel (Dráusio), Cleberson e Natanael; João Paulo, Paulinho Dias e Matías Mirabaje (Felipe); Ederson, Douglas Coutinho e Bruno Mendes (Marcelo).

Técnico: Miguel Ángel Portugal

Vélez Sarsfield-ARG: Sebastián Sosa; Fabián Cubero, Sebastián Domínguez, Fernando Tovio, Emiliano Papa; Agustín Allione, Lucas Romero, Leandro Desábato, Ariel Cabral (Héctor Canteros); Lucas Pratto (Roberto Nanni) e Jorge Correa (Facundo Cardozo)

Técnico: José Flores

Botafogo 0 x 1 Unión Española-CHI: No grupo 2, a vida do Botafogo parecia muito definida, bastava uma simples vitória para cima do Unión Española para selar sua classificação na primeira colocação, porém, o time mostrou como está a situação dos brasileiros no torneio deste ano, irregular. O sonho dos mais de 40 mil presentes no Maracanã foi indo por água abaixo com as demasiadas chances desperdiçadas, o uruguaio Lodeiro provou não ter um pé calibrado, prejudicou bastante o time, que vive em protestos por conta dos salários atrasados.

O jogo caminhava até bem para o Alvinegro, pois o time atacava bastante, apesar das brechas deixadas na defesa, assim como foi contra o Independiente Del Valle, por conta de Jéfferson o time não cedeu o empate na quarta rodada. Eduardo Húngaro tem encontrado muitos problemas e não tem se mostrado um grande treinador, a ponto de não conseguir motivar os jogadores, o fato é que o time botafoguense é muito limitado, parece que Wallyson jogou bem dois jogos e esteja se achando maior do que o clube, sendo arrogante e apresentando um péssimo futebol.

Botafogo é surpreendido e se complicou. (Conmebol)
Além disso, o time não tem um camisa 10, Jorge Wagner tem sofrido bastante por não fazer o papel que lhe consagrou, ele tem se desdobrado em campo. Na metade da segunda etapa, um pênalti bem à Brasileira que o moço Daniel Fedorczuk, do Uruguai, marcou a favor dos chilenos, ficou claro que o lateral Júlio César tirou a bola, o voo do atleta chileno foi evidente. Resultado: Gol do Unión e situação delicadíssima do Fogão, que não conseguiu sequer empatar o jogo, o time foi do céu ao inferno e agora precisa focar bastante para a sexta e decisiva rodada.

A vida do Botafogo é simples, precisa pelo menos empatar com o San Lorenzo na Argentina para se classificar, uma tarefa muito complicada para o time que vive oscilando na temporada. Caso os argentinos vençam, o Botafogo dar adeus a Taça Libertadores, sinal vermelho no Rio de Janeiro para o Alvinegro. O jogo acontecerá na próxima quarta, é final de Copa do Mundo para o Botafogo.

Ficha Técnica:

Local: Maracanã, no Rio de Janeiro-RJ

Data: 2 de abril de 2014 (Quarta-feira)

Horário: 19h45 (de Brasília)

Árbitro: Daniel Fedorczuk (Uruguai)

Assistentes: Mauricio Espinosa (Uruguai) e Nicolas Taran (Uruguai)

Cartões amarelos: Junior Cesar e Marcelo Mattos (Botafogo); Berardo (Unión Española)

Gol:

Unión Española-CHI: Canales, aos 26min do segundo tempo

Botafogo: Jéfferson, Lucas, Dória, Bolívar e Julio César (Renato); Marcelo Mattos (Daniel), Mario Bolatti, Jorge Wagner e Nicolás Lodeiro; Wallyson e Henrique (Ronny)

Técnico: Eduardo Húngaro

Unión Española-CHI: Diego Sánchez, Dagoberto Currimilla, Jorge Ampuero, Matías Navarrete e Nicolás Berardo; Lorenzo Faravelli (Gonzalo Villagra), Luis Pavez, Cristian Chávez (Diego Scotti) e Gustavo Canales; Matías Campos Toro e Sebastián Jaime (Patricio Vidal)

Técnico: José Luis Sierra

Emelec-EQU 1 x 2 Flamengo: Algoz em 2012, o Emelec tinha tudo para mais uma vez despachar o Flamengo, o problema é que o Rubronegro veio muito pilhado e pronto para surpreender aos críticos que tanto falaram mal do time de Jayme de Almeida. Os cariocas começaram em cima, sufocaram até que o zagueiro Nasuti achou que era voleibol, mão dentro da área é penalidade e o moço Julio Bascuñán apitou, apesar da demora a confirmar.

A cobrança foi confiada a Alecsandro, o experiente atacante não desperdiçou e abriu vantagem para o Mengão, 1 a 0 e alívio para torcida e jogadores. Os equatorianos corriam atrás do prejuízo, enquanto o Flamengo fazia o jogo perfeito, o contra-ataque fulminante graças a velocidade do trio de meio de campo, Paulinho, Éverton e Gabriel estavam impecáveis. O primeiro tempo foi praticamente isso, as melhores chances foram criadas pelo time do Flamengo, mas o 1 a 0 estava de bom tamanho.

O Emelec precisava correr atrás, o estádio estava lotado e o técnico Quinteros sabia que Wellinton estava tapando o buraco deixado pelos lesionados Léo Moura e Léo, por isso, o rápido Caicedo foi lançado a campo. Os equatorianos só chegaram ao empate aos 20 minutos de segundo tempo, detalhe, o time pressionava como nunca e o Flamengo estava acuado na etapa final. Recife falhou e Caicedo foi para a área, Welliton deu um golpe de MMA e fez o pênalti, foi claríssimo, uma pena, pois o zagueiro improvisado fazia boa partida.

Ídolo da torcida, Stracqualursi mandou uma bomba no meio do gol, empate em Guayaquil. Após sofrer o gol, o Mengão voltou a jogar bem, Jayme pôs Negueba, Chicão e Recife, vale destacar o partidaço que Gulherme Negueba fez, ele não se abateu com a inexperiência na Taça Libertadores. No último lance do jogo, no momento em que o Flamengo parecia conformado com o empate, Negueba foi caminhando no meio do campo e acertou um passe excepcional para Paulinho, o veloz ponta dominou, caminhou e chutou no canto, vitória maiúscula para o time carioca.
Paulinho marca e o Flamengo renasce na Libertadores. (AFP)
Com a boa vitória, o Flamengo decide na próxima quarta sua vida na competição, uma simples vitória sobre o León garante classificação no grupo 7, detalhe, dependendo de combinação de resultados, o time pode se classificar em primeiro lugar do grupo, foi o renascimento da equipe que muitos diziam que estaria eliminado. Bolívar recebe o Emelec brigando pela classificação e pela ponta, é um grupo muito equilibrado, o bicho vai pegar na última rodada.

Ficha Técnica:

Local: Estádio Geroge Capwell, em Guayaquil (Equador)

Data: 2 de abril de 2014 (Quarta-feira)

Horário: 22h(de Brasília)

Árbitro: Julio Bascuñán (Chile)

Assistentes: Francisco Mondria (Chile) e Raúl Orellana (Chile)

Cartões amarelos: Nasuti e Bolaños (Emelec); Wallace (Flamengo)

Gols:

Emelec: Stracqualursi, aos 20min do segundo tempo

Flamengo: Alecsandro, aos 8min do primeiro tempo; Paulinh, aos 47min do segundo tempo

Emelec-EQU: Esteban Dreer, John Narváez, Jorge Guagua, Cristian Nasuti e Oscar Bagui; Fernando Giménez, Pedro Quiñónez (Javier Charcopa), Diego Corozo (Marcos Caicedo) e Angel Mena; Marcos Mondaini (Miler Bolaños) e Denis Stracqualursi

Técnico: Gustavo Quinteros

Flamengo: Felipe, Wellinton (Chicão), Wallace, Samir e João Paulo; Muralha (Recife), Amaral, Gabriel e Everton (Negueba); Paulinho e Alecsandro

Técnico: Jayme de Almeida

Atlético Nacional-COL 0 x 2 Grêmio: O melhor time dentre todos os brasileiros, o Grêmio teve mais uma prova de fogo, praticamente a última nesta fase de grupos, o clube encarou o Atlético Nacional em Medellín, o técnico Enderson mandou o que tinha de melhor e o time não entrou desanimado após a derrota em casa para o Internacional no fim de semana. É impressionante a forma como esse Grêmio torna quando entra em campo na atual Taça Libertadores, o time cresce de um jeito que nem o grupo da morte conseguiu parar.

Na primeira etapa, vimos um jogo bem estudado, com mais uma grande atuação de Marcelo Grohe, as atuações do goleiro fizeram com que os torcedores não sentissem falta de Dida. Contudo, no primeiro tempo não tivemos nenhum gol, isso foi excelente para os gaúchos, seguraram a etapa inicial e voltaram voando para matar o jogo no segundo tempo.

Um lindo gol de Barcos classificou o
Imortal para as oitavas. (Getty)
Na etapa final, o ataque gremista não deixou os colombianos em paz, logo aos 7 minutos, a boa trama do time sulista resultou no gol de Dudu, que pegou a sobra do lance de Barcos, 1 a 0 e tranquilidade para o time classificado. Com a vantagem no placar, o time de Enderson parecia estar em casa, foi infalível nos momentos cruciais e foi assim que mais três pontos vieram, ainda teve direito a um belíssimo gol de Hernán Barcos, o argentino conseguiu se levantar, arrancar e mandar por cobertura, o primeiro gol do atacante na Libertadores 2014, 2 a 0 e vitória importantíssima para o Grêmio, o primeiro brasileiro a se classificar para o mata-mata.

Na última rodada, o Grêmio recebe o Nacional-URU, caso vença, o time tem grandes chances de fechar a primeira fase como o melhor time dentre os 64, uma campanha espetacular do time que tem apresentado o futebol mais vistoso da temporada, na Taça Libertadores, é claro. A partida acontece na próxima quinta-feira, no outro jogo, o Newell’s Old Boys recebe o Atlético Nacional, quem vencer fica com a segunda posição e, consequentemente, a classificação.

Ficha Técnica:

Local: Estádio Atanásio Girardot, em Medellín, na Colômbia

Data: 2 de abril de 2014, quarta-feira

Horário: 22 horas (de Brasília)

Árbitro: Enrique Cáceres (Paraguai)

Assistentes: Carlos Cáceres e Juan Zorrilla (ambos paraguaios)

Cartão amarelo: Pará (Grêmio)

Gols:

Grêmio: Dudu, aos 7, e Barcos, aos 24 minutos do segundo tempo

Atlético Nacional-COL: Armani; Bocanegra, Murillo, Henríquez (Orlando Berrío) e Díaz (Luís Paez); Medina, Mejía, Valencia e Cardona; Sherman Cárdenas e Juan Pablo Ángel (Jefferson Duque)

Técnico: Juan Carlos Osorio

Grêmio: Marcelo Grohe; Pará, Werley, Rhodolfo e Wendell; Edinho, Ramiro e Riveros; Luan (Alán Ruiz), Barcos (Léo Gago) e Dudu (Geromel)

Técnico: Enderson Moreira

Univesidad de Chile-CHI 0 x 2 Cruzeiro: Desesperado após dois tropeços frente ao Defensor, a Raposa enfrentou o seu grande freguês nessa primeira fase, a La U, que venceu todos os seus jogos, exceto contra o Cruzeiro. Marcelo Oliveira montou seu time de forma muito acertada, Samudio na lateral esquerda, o volante Henrique ao lado de Lucas Silva e um quarteto ofensivo formado por Dagoberto, Éverton Ribeiro, Ricardo Goulart e Júlio Baptista, vale lembrar que Goulart vem sendo questionado pelas atuações abaixo do esperado, ele não foi bem ontem.

O campeão brasileiro tomou conta da partida, parecia estar em casa e abriu o placar numa cabeçada certeira de Bruno Rodrigo, o zagueiro fez bonito e colocou boa vantagem para o time celeste. O jogo continuou excelente para o Cruzeiro, fechando os espaços e contra-atacando de forma bem feita, foi contra-atacando que o time chegou ao segundo gol. Boa trama do sistema ofensivo resultou em um passe formidável de Ricardo Goulart para Samudio, o paraguaio chutou forte no canto, 2 a 0 e críticos calados.
Unidos! O campeão brasileiro está mais vivo do que nunca na competição. (Light Press)
O Cruzeiro renasceu das cinzas, o time fez uma partida digna de campeão brasileiro, foi para encher os torcedores de esperanças e para provar que a Raposa está mais viva do que nunca na Taça Libertadores. O segundo tempo foi bem morno, com direito a duas expulsões, uma de cada lado, Caruzo pela La U e Samudio pelo Cruzeiro, a verdade foi que o time chegou aos 3 pontos. A situação do Cruzeiro é simples, o time tem que vencer e convencer contra o já eliminado Real Garcilaso, Defensor e Universidad de Chile duelam por outra vaga, as partidas acontecem na próxima quarta.

Ficha Técnica:

Local: Estádio Nacional, em Santiago (CHI)

Data: 03 de abril de 2014, quinta-feira

Horário: 20h45 (de Brasília)

Árbitro: Germán Raúl Delfino ARG)

Assistentes: Gustavo Rossi e Ivan Nuñez (ambos da Argentina)

Cartões amarelos: Rojas e Caruzzo (Universidad de Chile); Henrique, Ceará, Ricardo Goulart, Samudio e Luan (Cruzeiro)

Cartões vermelhos: Caruzzo (Universidad de Chile); Samudio (Cruzeiro)

Gols:

Cruzeiro: Bruno Rodrigo, aos 15 e Samudio, aos 40 minutos do primeiro tempo

Cruzeiro: Fábio; Ceará, Bruno Rodrigo, Dedé e Samudio; Lucas Silva, Henrique, Ricardo Goulart (Souza) e Everton Ribeiro (Luan); Dagoberto (Willian) e Júlio Baptista

Técnico: Marcelo Oliveira

Univesidad de Chile: Herrera, González, Caruzzo, Rojas e Cereceda; Martínez (Castro), Juan Rojas, Fernández e Lorenzetti; Mora (Farfán) e Rubio

Técnico: Cristian Romero

Guilherme abriu o placar,
mas o Galo cedeu o empate. (Fox Sports)
Independiente de Santa Fé-COL 1 x 1 Atlético Mineiro: Encerrando a quinta rodada, o Galo Mineiro entrou em campo precisando apenas do empate para selar sua classificação, o atual campeão da América fez o que precisava fazer e já garantiu presença na fase de mata-mata. O jogo começou muito bem para o time de Minas, que assim como o seu arquirrival Cruzeiro, abriu o placar logo no início, boa tabela de Guilherme com Jô, o bom ponta chutou colocado, 1 a 0 e comemoração de Autuori e seus comandados.

O restante do primeiro tempo foi bem interessante para o Galo, que segurou a vitória e vacilou em lances que poderia ter definido a boa vitória, não aconteceu e o segundo tempo recomeçou 1 a 0 para os brasileiros. O Independiente voltou bem melhor para a segunda etapa, voltou muito focado em busca do empate e a apatia de jogadores como Ronaldinho e Diego Tardelli fizeram com que o Atlético não conseguisse atacar. A pressão dos colombianos resultou no gol por volta dos 17 minutos de segundo tempo, Cuero anotou para o Santa Fé, 1 a 1 e fim de papo em Bogotá.

Com o empate, o Atlético Mineiro é o segundo brasileiro classificado para as oitavas de final da Taça Libertadores, na próxima semana, o time recebe o Zamora e, se vencer, sela o primeiro lugar do grupo 4 do torneio. É visível que o time mineiro caiu bastante de rendimento, mas a experiência pode ser fator fundamental para as pretensões de Paulo Autuori e companhia.

Ficha Técnica:

Local: Estádio El Campín, em Bogotá (COL)

Data: 03 de abril de 2014, quinta-feira

Horário: 23h (de Brasília)

Árbitro: Saul Laverni (ARG)

Assistentes: Ernesto Uziga e Ezequiel Brailovsky (ambos da Argentina)

Cartões amarelos: (Independiente Santa Fé) Mosquera (Atlético-MG) Alex Silva, Leonardo Silva

Gols:

Independiente Santa Fé: Cuero, aos 17 minutos do segundo tempo

Atlético-MG: Guilherme, aos sete minutos do primeiro tempo

Independiente de Santa Fé: Vargas; Anchico, De La Cuesta, Francisco Meza e Mosquera; Edison Méndez (Pacheco), Daniel Torres, Ferreira (Arias) e Copete; Herrera (Medina) e Cuero

Técnico: Wilson Gutiérrez

Atlético-MG: Victor; Marcos Rocha, Otamendi, Leonardo Silva e Dátolo; Pierre, Leandro Donizete (Marion), Guilherme (Neto Berola) e Ronaldinho; Tardelli (Alex Silva) e Jô

Técnico: Paulo Autuori