quarta-feira, 26 de março de 2014

O Homem que Mudou o Jogo

Temos o primeiro campeão nacional no Velho Continente, isso mesmo, o Bayern de Munique conquistou sua vigésima quarta Bundesliga com nada mais, nada menos que sete rodadas de antecedência, um número arrasador e até mesmo humilhante para os demais rivais. O fato é que o time segue invicto no campeonato e tem tudo para bater mais recordes em sua primeira temporada após conquistar a tríplice coroa.
Ele chegou a Allianz Arena e se tornou o grande nome do time a ser batido. (Tribuna do Cisco)

Pois bem, apesar do grande elenco e do excelente trabalho do hoje aposentado Jupp Heynckes, uma figura em especial é o grande mentor do time, além do mais, o considero o grande craque do atual plantel Bávaro, Pep Guardiola acertou com o time de Munique e previa-se muita pressão, semelhante a pressão que foi confirmada com a temporada horrível de David Moyes e seu Manchester United (o escocês substituiu Sir Alex Ferguson no comando dos Diabos Vermelhos).

A verdade é que Pep praticamente começou do zero, fez o elenco meio que esquecer que já era o time a ser batido e reinventou o jeito de jogar futebol dos alemães, parecido com que ele fez com o Barcelona. Vamos lá, primeiramente, o técnico implantou uma formação pouco utilizada, ele mandou o seu time a campo formando um 4-1-4-1, uma loucura quando se tratava do time campeão de tudo em 2012/2013. Deu muito certo, isso porque aos poucos o time foi se adaptando e aperfeiçoando o que havia dado certo na temporada passada, a Bundesliga serviu para melhor aprimorar esse novo estilo.

Amplie e veja o currículo de Pep
 com apenas 43 anos. (Getty/Tribuna do Cisco)
Parece que o ano sabático de Pep não foi para descansar, eu não tenho dúvidas que ele parou um ano para estudar novas formas de jogar futebol. Todo mundo sabe que Guardiola nunca foi uma grande estrela como jogador, contudo, confesso que eu duvidei muito do êxito dele como treinador quando ele assumiu o Barcelona. O time espanhol estava órfão de Ronaldinho e de anos de glórias, era ofuscado pelo Real na Espanha, apesar disso, ele optou por contratações mais discretas e, sim, ele colocou Messi para chamar a responsabilidade do grupo, criou uma dinastia que o fez se firmar na profissão.

Muitos falavam que para Pep realmente se consagrar como técnico precisava deixar o Barcelona e fazer sucesso em outro clube, com muita discrição e visão, ele assumiu o clube certo no momento certo, a verdade é que o Barcelona ainda não se reabilitou desde a saída do técnico, é a prova clara de que o treinador influi bastante no sucesso de um clube. Depois de criar uma formação com o chamado “falso 9”, Pep utilizou no Bayern um centro avante, Mário Mandzukic, o croata fez tudo certinho, mas parece que ele não conta com a simpatia do técnico, por isso, o clube já anunciou Robert Lewandowski para a temporada que vem, na minha visão, é um erro, pois o atacante croata deve pedir para sair, abrindo espaço para o polonês. O erro claro é que Mandzukic encaixou perfeitamente tanto com Heynckes, quanto com Pep, acabou pagando o pato com a futura chegada de Robert.

Por outro lado, vemos jogadores cada vez mais firmados, como são os casos do zagueiro Dante, que virou o grande líder da defesa Bávara, já renovou contrato com o clube até 2017. Alguns diziam que Robben e Ribéry eram muito egocêntricos, ao ponto de deixar o Bayern com a chegada de Guardiola, o que aconteceu foi que os dois só evoluíram com Pep, Robben já renovou contrato e Ribéry anunciou que deseja encerrar a carreira jogando pelo clube vermelho. Contudo, a mudança mais brusca na formação do time aconteceu com o sempre líder e capitão Philipp Lahm, o camisa 21 viva trocando de laterais, jogava bem pela direita e pela esquerda, porém, com a afirmação de Alaba, o capitão estava muito firmado pelo lado direito.

No estilo Pep, além de Alaba, o brasileiro Rafinha se firmou na lateral direita, iria Lahm sobrar e acabar preterido no time? Óbvio que não, o talento individual do craque, com ótimo posicionamento, visão e técnica, Lahm foi “promovido” ao meio campo, se tornando peça chave ao lado de Schweinsteiger, Toni Kroos e, as vezes, Thiago e Martínez. O time se reforçou pouco, mas acertou demais com as chegadas de Thiago e Götze, o fato é que o time é muito completo e merecedor das conquistas que os torcedores viram vencer já na atual temporada. Vieram as conquistas da Super Copa da UEFA, do Mundial de Clubes da FIFA e agora da Bundesliga.

Um plantel multicampeão, eis o novo Bayern de Munique, o melhor time do mundo. (Tribuna do Cisco)

Com Pep Guardiola e um plantel já campeão da Bundesliga com sete rodadas de antecedência, o Bayern desponta como grande favorito ao título da UEFA Champions League, os Bávaros não deverão ter trabalho para bater o Manchester United, apesar da dificuldade dos alemães em bater os ingleses. Todos sabemos das dificuldades de um clube manter o título da Liga dos Campeões no ano seguinte, mas a forma como este Bayern se reinventou faz dele o time a ser batido, o melhor clube do mundo na atualidade. O último clube que conseguiu a façanha do bi-campeonato foi o Milan, que venceu nas temporadas de 1988/1989 e 1989/1990, ou seja, o Bayern pode conseguir quebrar um tabu de 24 anos, seria excepcional. Além disso, o Bayern também pode conquistar a Copa da Alemanha, poderia Pep e seus comandados conseguir uma inédita conquista da tríplice coroa pela segunda vez consecutiva? O céu é o limite para o atual time do Bayern de Munique, cabe a nós apreciarmos a fase e desfrutarmos do bom futebol do gigante alemão.

Grande abraço!