quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Brasil na América – 2° Rodada

Na segunda rodada da Taça Libertadores, apenas um brasileiro saiu derrotado, de resto, foi uma rodada excelente para os clubes nacionais, com destaque para o show do campeão brasileiro, a reabilitação do Flamengo e o 100% futebol do invicto Grêmio, confira!

Segunda rodada relativamente boa para o Brasil. (Tribuna do Cisco)


Cruzeiro 5 x 1 Universidad de Chile: Após sofrer com a altitude o com o racismo no Peru, o campeão brasileiro recebeu La U no Mineirão, o resultado foi espetacular, um verdadeiro tapa na cara da Conmebol que não deu a mínima para o caso Tinga. O jogo que começou de tarde, os horários malucos de uma entidade que não liga para o esporte, e sim para a verba dos jogos, apesar disso, a torcida lotou o Mineirão e viu seu time apresentar o melhor futebol entre todos os brasileiros na atual temporada.

Marcelo Oliveira pôs um time muito ofensivo, com três inspirados jogadores no meio, Éverton Ribeiro, Dagoberto e o sensacional Ricardo Goulart, Marcelo Moreno foi o centroavante. A Raposa começou com tudo, atacando forte e vendo o desespero do razoável Jhonny Herrera, porém, o gol só veio mais para o final da primeira etapa e foram logo 3. O primeiro veio com Ricardo Goulart, em uma belíssima jogada de Dagoberto, que passou com maestria para Goulart, 1 a 0.

O segundo foi mais bonito ainda, Ricardo Goulart retribuiu o passe de Dagol e cruzou perfeitamente, para completar, Dagoberto mandou com o peito para o fundo do gol, o legal foi que a bola foi muito forte e não deu chances para Herrera, 2 a 0 e festa em BH. Antes de acabar o primeiro tempo, Bruno Rodrigo cabeceou na cobrança do escanteio em que Dagoberto cruzou, a bola já estava indo para fora, mas o pé salvador de Ricardo Goulart que empurrou a bola para o gol, goleada só nos primeiros 45 minutos.
Goulart foi o cara do jogo, hat-trick e mais. (UOL)
No segundo tempo, o jogo esfriou, o Cruzeiro tentou administrar, ao invés de aproveitar o embalo da torcida. A Universidad então, tentou voltar para o jogo e até conseguiu descontar com o sempre especulado no Brasil, Lorenzetti, 3 a 1 e susto no Mineirão. Nos momentos finais, tudo não passou de um susto, ainda deu tempo para Ricardo Goulart marcar o seu hat-trick e William fazer um golaço, 5 a 1, 3 pontos e goleada em Minas Gerais.

Com a primeira vitória na Taça Libertadores, o Cruzeiro empata com os outros três times do grupo 5, só que lidera graças ao saldo de gols, o time agora entrará em campo dia 11 de março, no Uruguai contra o Defensor, um jogo duríssimo, embora a Raposa ter o melhor time.

Ficha Técnica:

Local: Estádio Mineirão, em Belo Horizonte (MG)

Data: 25 de fevereiro de 2014, terça-feira

Horário: 17h30 (de Brasília)

Árbitro: Saul Laverni (ARG)

Assistentes: Diego Bonfa e Ezequiel Brailovsky (ambos da Argentina)

Gols:

Cruzeiro: Ricardo Goulart, aos 33 e 41 e Dagoberto, aos 38 minutos do primeiro tempo; Ricardo Goulart, aos 39 e Willian, aos 45 minutos do segundo tempo

Universidad de Chile: Lorenzetti, aos 20 minutos do segundo tempo

CRUZEIRO: Fábio; Ceará, Bruno Rodrigo, Dedé e Egídio; Lucas Silvas, Rodrigo Souza, Ricardo Goulart e Everton Ribeiro (Souza); Dagoberto (Dagoberto) e Marcelo Moreno (Willian)
Técnico: Marcelo Oliveira

UNIVERSIDAD DE CHILE: Herrera, González, Caruzzo, Rojas (Lichnovsky) e Castro; Cereceda, Juan Rojas, Martínez e Lorenzetti; Gutiérrez (Mora) e Rubio (Fernández)
Técnico: Cristian Romero

Vélez Sarsfield-ARG 2 x 0 Atlético Paranaense: Depois de uma vitória magra na estreia, o Atlético enfrentou a pedreira do grupo 1, o Vélez Sarsfield, time argentino que sempre começa bem, mas amarela na segunda fase. O presidente Petraglia ainda deve está se perguntando porque permitiu a saída de Paulo Baier, o Furacão sofre sem um bom armador, sem falar do tanto de gols que Baier marcava.

Portugal tenta explicar o revés.
(Atlético Paranaense - Site Oficial)
Sendo mais prático, o fato é que o Vélez dominou o jogo, marcando em cima e mal deixando o Atlético jogar, o time paranaense perdeu muitos jogadores, está desfalcado, o planejamento foi péssimo! O Vélez tem excelentes jogadores, como o ex-Internazionale Máuro Zárate e Lucas Pratto, que acabou com o jogo. Um gol no fim do primeiro tempo, com Fernando Tovio e mais um no fim da segunda etapa, para matar o jogo, com Pratto, definiram os 3 pontos para os argentinos.

Nos minutos finais, Portugal mandou Adriano para o jogo, o atacante ficou revoltado porque queria entrar antes, na minha opinião, Adriano não tem do que reclamar, o Atlético está dando uma oportunidade e ele só tem que agradecer. O Imperador entrou, mas pouco fez, vitória do Vélez e sinal amarelo ligado em Curitiba. O Atlético ainda é favorito a ficar com pelo menos a segunda colocação, o time é terceiro no grupo 1, empatado com o The Strongest, só perde no saldo, mas já venceu os bolivianos na rodada passada.

Em 14 de março, o Atlético vai ao Peru e enfrentará o lanterninha Universitário, o time tem que lutar, pois o jogo não é tão difícil, porém, o fato de ser fora de casa pode complicar, Furacão favorito.

Ficha Técnica:

Local: Estádio José Amalfitani, em Buenos Aires (ARG)

Data: 25 de fevereiro de 2014, terça-feira

Horário: 19h45 (de Brasília)

Árbitro: Roberto Silveira (Fifa-URU)

Assistentes: Mauricio Espinosa (Fifa-URU) e Miguel Ángel Nievas (Fifa-URU)

Cartões amarelos: Cubero e Romero (Vélez); Mirabaje (Atlético)

GOLS:

VÉLEZ: Fernando Tovio, aos 37 minutos do primeiro tempo, e Pratto, aos 32 minutos do segundo tempo

VÉLEZ SARSFIELD: Sebastián Sosa; Fabián Cubero, Sebastián Domínguez, Fernando Tovio, Emiliano Papa; Agustín Allione, Lucas Romero, Héctor Canteros, Ariel Cabral (Jorge Correa); Lucas Pratto (Ramiro Cáseres) e Mauro Zárate (Brian Ferreira)
Técnico: José Flores

ATLÉTICO-PR: Weverton; Sueliton, Manoel, Dráusio e Natanael; Deivid, Paulinho Dias, João Paulo (Bruno Mendes), Fran Mérida (Mosquito) e Mirabaje; Ederson (Adriano)
Técnico: Miguel Ángel Portugal

Luan, a joia, tem aproveitado bem as chances.
(Getty Images)
Grêmio 3 x 0 Atlético Nacional–COL: O time mais organizado até então, o melhor brasileiro na Libertadores, o Grêmio está no grupo da morte e permanece 100%. A vítima foi o Atlético Nacional, time que venceu o Newell’s Old Boys na estreia, os gaúchos passaram pelo Nacional do Uruguai, em Montevidéu. Kléber segue machucado e está cada vez mais fora do time do Sul, isso porque o garoto Luan se entendeu no esquema de Enderson Moreira, tem desequilibrado.

O Grêmio mandou no jogo, este que era muito brigado, não foi nada fácil para o árbitro Patricio Polic (Chile). Muito pronto para mais uma vitória, o Imortal só conseguiu achar um gol aos 30 da primeira etapa, bola lançada e o impedido Ramiro saiu da bola, os defensores colombianos pararam e não perceberam Luan livre e pronto para abrir o placar, uma cobertura bonita para cima do goleiro Martínez, 1 a 0 e reclamação dos atleticanos.

O time de Enderson continuou melhor no segundo tempo, mas estava difícil para Barcos marcar, muito marcado e sem o pé calibrado. Ramiro, o homem da estreia vive lua de mel com o time e com a torcida e ampliou para os gaúchos aos 19 minutos do segundo tempo. Foi uma bela jogada do lateral Wendell, o jovem cruzou para Ramiro, que chutou no contrapé de Martínez, sem chances para o goleiro, 2 a 0 e jogo definido.

O jogo já estava ganho, mas a equipe seguiu administrando no ataque, Luan deixou o campo ovacionado e viu seu substituto, Alán Ruiz dar números finais ao jogo, em uma pefeita jogada individual, Ruiz driblou o mesmo jogador duas vez em poucos segundos, chutou no canto e encerrou com o sofrimento colombiano, 3 a 0 e festa para pouco mais de 30 mil gremistas na Arena.

O Grêmio está 100% e jogará em casa na terceira rodada, o adversário será o Newell’s Old Boys, caso vença, o time terá muita folga e ficará a uma vitória da classificação antecipada, tem grandes chances de se tornar o campeão de grupo, logo no grupo da morte, o Imortal entrará muito fortalecido na fase final. O próximo jogo será em 13 de março, daqui a duas semanas.

Ficha Técnica:

Local: Arena do Grêmio, em Porto Alegre (RS)

Data: 25 de fevereiro de 2014, terça-feira

Horário: 22h (de Brasília)

Árbitro: Patricio Polic (Chile)

Assistentes: Francisco Mondría e Raúl Orellana (ambos chilenos)

Público: 33.640 (31.586 pagantes)

Renda: R$ 1.595.910,00

Cartões amarelos: Luan e Edinho (Grêmio); Bernal, Berrio e Cardona (Atlético Nacional)

Gols:

GRÊMIO: Luan, aos 29 minutos do primeiro tempo; Ramiro, aos 19, e Alán Ruiz, aos 43 minutos do segundo tempo

GRÊMIO: Marcelo Grohe; Pará, Werley, Rhodolfo e Wendell; Edinho, Ramiro, Riveros (Maxi Rodríguez) e Zé Roberto (Dudu); Luan (Alán Ruiz) e Barcos
Técnico: Enderson Moreira

ATLÉTICO NACIONAL: Martínez; Bocanegra, Medina, Murillo e Valencia; Mejía, Bernal e Cardona; Berrio (Díaz), Uribe (Trellez) e Cardenas
Técnico: Juan Carlos Osorio

Unión Española-CHI 1 x 1 Botafogo: Convencendo na Taça Libertadores, o Botafogo foi ao Chile enfrentar um time nem tão forte, o Unión Española, time que empatou na estreia, fora de casa, contra o Independiente Del Valle. Eduardo Húngaro mandou o que tinha de melhor, o time que vem fazendo um péssimo Campeonato Carioca ganhou sobrevida após a maiúscula vitória sobre o Fluminense no domingo. Os cariocas foram bem melhor durante boa parte do jogo, eram visíveis as limitações dos chilenos, que atacavam graças a sua torcida e ao seu estádio.

O jogo estava um pouco chato, na verdade, o primeiro tempo foi muito abaixo do esperado, Wallyson não fez grande partida, deixando o campo para a entrada do jovem Daniel. Vale lembrar que o Botafogo perdeu seu atacante reserva, Elias foi negociado com o Oriente, deixando um buraco no banco de reservas do Fogão. Quem surpreendentemente fazia um bom jogo era Ferreyra, o atacante chegava com muito perigo na área chilena, por pouco não abriu o placar.

Ferreyra salva o Fogão (AP)
Contudo, as emoções só vieram na metade do segundo tempo, a zaga do Botafogo vacilou e o capitão Chávez carregou a bola até chutar no canto de Jefferson, 1 a 0 e pressão no Glorioso, já que pelo menos um empate seria ideal. Ferreyra foi quem mais procurou o empate, mesmo quando outro atacante, Henrique veio para o lugar de Jorge Wagner, mas o argentino é quem estava impossível, chegou a driblar o goleiro Diego Sánchez, mas o arqueiro fez milagre.

O Botafogo sofria e todos já esperavam o primeiro revés do time no grupo 2 da Libertadores, aí veio a falta que mudou a história do jogo, Edilson cruzou e Ferreyra cabeceou para o gol, 1 a 1 e fim de papo no Chile. O Botafogo lidera o grupo 2, mas San Lorenzo e Independiente Del Valle ainda jogarão na rodada, o Fogão volta a campo dia 12 de março, novamente fora de casa, agora em Quito, contra o Del Valle.

Ficha Técnica:

Local: Estádio Santa Laura, em Santiago-CHI

Data: 26 de fevereiro de 2014, quarta-feira

Horário: 19h45 (de Brasília)

Árbitro: Juan Soto (Venezuela)

Assistentes: Luis Sánchez (Venezuela) e Jairo Romero (Venezuela)

Cartões amarelos: Pavez (Unión Española); Edílson, Marcelo Mattos e Juan Carlos Ferreyra (Botafogo)

GOLS:

UNIÓN ESPAÑOLA: Chávez, aos 29min do segundo tempo

BOTAFOGO: Juan Carlos Ferreyra, aos 40min do segundo tempo

UNIÓN ESPAÑOLA: Diego Sánchez, Sebastián Miranda, Jorge Ampuero, Matías Navarrete e Nicolas Berardo; Lorenzo Faravelli, Luis Pavez, Cristián Chávez e Carlos Salom; Sebastián Jaime e Matías Campos Toro
Técnico: José Luis Sierra

BOTAFOGO: Jefferson, Edilson, Bolívar, Dória e Julio Cesar; Marcelo Mattos, Gabriel (Bollati), Jorge Wagner (Henrique) e Lodeiro; Wallyson (Daniel) e Juan Carlos Ferreyra
Técnico: Eduardo Húngaro

Flamengo 3 x 1 Emelec-EQU: Após ser derrotado de forma melancólica na estreia, o Flamengo recebeu o auxílio do Maracanã em sua definitiva estreia em casa, o adversário era o algoz de 2012, o Emelec do Equador. O primeiro tempo começou muito fraco, Jayme manteve o time que venceu o Resende no sábado, formação que exige o máximo de Victor Cáceres, que mais uma vez, não decepcionou.

Logo aos 10 minutos, Elano cobrou falta com maestria, abriu o placar com um golaço e pareceu que o Flamengo iria continuar bem, na verdade, o time parou de jogar depois do gol. O Mengão chamou o Emelec para o seu campo, os equatorianos começaram a gostar da partida, mas suas limitações o impediram de almejar coisas maiores, os cariocas jogaram todo o restante do primeiro tempo no abafa, é impressionantes a lentidão de Lucas Mugni, o argentino ainda tem que se adaptar.

No segundo tempo, Jayme novamente acertou nas suas alterações, primeiro, veio Gabriel para o lugar de Mugni, o resultado foi imediato, o Flamengo começou a jogar muito bem, grande partida dele e de Éverton. Na partida, até André Santos foi bem, o lateral não vivia boa fase, mas conseguiu arrancar bem ao ataque, foi assim que o Flamengo ampliou sua vantagem. Em meio a boatos de que seria negociado, Hernane brocou no Maracanã, o primeiro no estádio em 2014, boa jogada de Elano e uma ótima ginga de André Santos, que cruzou para o oportunista Hernane empurrar para o gol, 2 a 0 e folga no marcador.
Brocador marca no Maraca e fica no Flamengo. (Fla Imagem)

O Flamengo tomou conta do jogo, Jayme tirou Elano e pôs Alecsandro, o atacante está jogando muito bem, mostrando muita técnica. O time tentou, apertou e perdeu oportunidades, Éverton errou a primeira, mas na segunda não teve jeito, uma linda jogada de Cáceres, que deixou o rapidíssimo meia na cara do gol, chutou no canto, sem chances para Esteban, 3 a 0 e vitória do Flamengo. Ainda teve tempo para a defesa do Fla vacilar e graças a um chute de Escalada e um desvio em Samir que matou o goleiro Felipe, o time equatoriano descontou, 3 a 1 que faz o Flamengo ficar com apenas um gol de saldo.

Apesar de sofrer o gol, o Flamengo se reabilitou no grupo 7, o time agora tem 3 pontos e é vice-líder, volta a jogar em 12 de março, de novo no Marcanã, expectativa de um bom jogo frente ao Bolívar, partida crucial para as pretensões rubronegras. O León lidera com 4 pontos, o Emelec é terceiro também com 3 e o lanterninha Bolívar tem apenas 1.

Ficha Técnica:

Local: Estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro-RJ

Data: 26 de fevereiro de 2014 (Quarta-feira)

Horário: 22 horas (de Brasília)

Árbitro: Nestor Pitana (Argentina)

Assistentes: Hernan Maidana (Argentina) e Juan Belatti (Argentina)

Renda: R$ 1.801.152,50

Público: 34.726 pagantes

Cartões amarelos: André Santos, Everton, Feijão e Leonardo Moura (Flamengo); Quiñonez e Corozo (Emelec)

Cartão vermelho: Achilier (Emelec)

GOLS:

FLAMENGO: Elano, aos 10min do primeiro tempo; Hernane, aos 9min do segundo tempo; Everton, aos 36min do segundo tempo

EMELEC-EQU: Escalada, aos 42min do segundo tempo

FLAMENGO: Felipe, Leonardo Moura, Wallace, Samir e André Santos; Victor Cáceres, Muralha (Feijão), Everton, Elano (Alecsandro) e Lucas Mugni (Gabriel); Hernane
Técnico: Jayme de Almeida

EMELEC-EQU: Esteban Dreer, Crtistian Nasuti, Jorge Guagua, Gabriel Achilier e Oscar Bagüi; Fernando Gaibor, Pedro Quiñónez, Fernando Giménez e Ángel Mena (Diego Corozo); Marcos Caicedo e Denis Stracqualursi (Luis Escalada)
Técnico: Gustavo Quinteros

Atlético Mineiro 2 x 1 Independente de Santa Fé-COL: Encerrando a participação brasileira na segunda rodada da Taça Libertadores, o atual campeão Atlético Mineiro recebeu o Santa Fé e sofreu bastante, mas quem joga no horto, ta morto! O time de Paulo Autuori segue com dificuldades para se entender com o estilo do novo técnico, Dátolo segue na lateral esquerda e Ronaldinho continua com regalias, quem vem jogando muito é Diego Tardelli, que deixou de ser centro-avante e virou um excelente ponta, isso desde o ano passado.

O Galo não jogava bem e vimos um primeiro tempo fraco, embora o talento de alguns jogadores ficaram evidentes. Diferente da maioria dos adversários dos brasileiros na competição, o Santa Fé se mostrou um bom time, muito organizado e eficiente, vale destacar que o clube foi semifinalista da Libertadores de 2013, eliminando o Grêmio, caindo apenas para o Olimpia.

O segundo tempo realmente valeu a pena o ingresso, mas o Santa Fé foi quem abriu o placar, um bom chute de fora da área, o gol foi de Omar Pérez, aos 14 minutos da etapa final. Mal deu para comemorar, o Atlético acordou após tomar o gol e num lindo lançamento, a bola foi para Jô, que meio caindo, chutou no canto e empatou a peleja, 1 a 1 e tranqüilidade no horto.

A virada só veio nos minutos finais, mais precisamente aos 41 minutos, mas o gol foi lindo, o gol da rodada na minha opinião, Marcos Rocha cobrou o lateral muito bem, um verdadeiro cruzamento, a bola quicou e ninguém cabeceou, sobrando no ar para Neto Berola, o baiano mandou um belíssimo voleio, a bola foi entrando devagar e o gol matou o jogo, mais uma vitória do Galo, que segue 100% na competição.
O voleio espetacular de Berola, vitória do Galo. (Globo Esporte)

O Atlético agora viajará ao Paraguai, vai enfrentar o Nacional, um jogo duro que acontece em 12 de março. O time mineiro lidera o grupo 4 com 6 pontos, o Santa Fé é segundo com 3 pontos, o mesmo número que o terceiro colocado, o Nacional paraguaio, o Zamora já perdeu duas vezes e segura a lanterna sem nenhum pontinho.

Ficha Técnica:

Local: Estádio Independência, em Belo Horizonte (MG)

Data: 26 de fevereiro de 2014, quarta-feira

Horário: 22h (de Brasília)

Árbitro: Daniel Fedorczuk (URU)

Assistentes: Carlos Pastorino e Nicolas Taran (ambos do Uruguai)

Cartões amarelos: (Atlético-MG) Marcos Rocha, Pierre (Independiente Santa Fé) Roa, Mosquera

Cartão vermelho: (Independiente Santa Fé) Medina

Gols:
Atlético-MG: Jô, aos 16 e Neto Berola, aos 41 minutos do segundo tempo
Independiente Santa Fé: Omar Pérez, aos 14 minutos do segundo tempo

ATLÉTICO-MG: Victor; Marcos Rocha, Otamendi, Leonardo Silva e Dátolo; Pierre, Josué (Guilherme), Tardelli e Ronaldinho (Leandro Donizete); Fernandinho (Neto Berola) e Jô
Técnico: Paulo Autuori

INDEPENDIENTE SANTA FÉ: Vargas; Anchico, De La Cuesta, Francisco Meza e Mosquera; Edison Méndez, Daniel Torres, Roa (Herrera) e Omar Pérez; Medina e Cuero (Arias)
Técnico: Wilson Gutiérrez