terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Milito: O homem de uma temporada

Com um faro de artilheiro excepcional, de ídolo no Zaragoza para arrasador no Genoa, grandes exibições o levaram a fazer parte da melhor Internazionale da história, o time campeão de tudo. Todavia, o time ficou desgastado e o desempenho caiu inexplicavelmente, quais foram os verdadeiros motivos que levaram Diego Milito a ser “O homem de uma temporada”? Tentarei, resumidamente, explicar o que aconteceu com um dos maiores goleadores deste século, o melhor jogador da Europa em 2010, o homem que parou o Barcelona de Guardiola em pleno auge.
O Homem de uma temporada. (Tribuna do Cisco)

Tudo começou no ano de 1999, num dos clubes mais populares da Argentina, o Racing. Jogos memoráveis o levaram ao futebol europeu, nada de tanta grife, Diego Milito sempre manteve os pés no chão e foi para o Genoa. Na Itália, Milito foi sensacional, marcando mais da metade dos gols do time, porém não chamou atenção de nenhum gigante e foi transferido ao Zaragoza. 3 temporadas, 125 jogos e 61 gols, foi simplesmente isso a passagem de Diego Milito pelo futebol espanhol, o tempo ia passando e nada de um grande clube o contratar. Ele teve a humildade suficiente para dar um passa atrás, retornando ao Genoa em 2008.

Zanetti ergueu a Liga dos Campeões em 2010. (Inter.it)
Novamente, Milito foi muito bem pelo Genoa, só durou uma temporada, assim como foi em 2004/2005, chegou a hora, José Mourinho indicou e Moratti foi atrás do argentino para liderar sua esquadra no ataque do que foi a melhor Internazionale da história. Diego Milito arrebentou por onde passou e em Milão não foi diferente, na temporada 2009/2010 foram 35 jogos e 22 gols, insuperável, impressionante, imbatível. A Internazionale foi campeã de tudo, com direito a dois gols de Milito na final da Champions League contra o Bayern no Bernabéu.

Contudo, o brilho daquele elenco passou, mais da metade do time foi embora, incluindo o gênio José Mourinho, a Inter entrou numa crise profunda que dura até os dias de hoje. A segunda temporada de Milito na capital da moda foi péssima, com muitas lesões, o argentino jogou pouco e quase não balançou as redes, 23 jogos e apenas 5 gols, o pior momento de sua vida profissional. Não se tem mais o maestro Wesley Sneijder, seu parceiro de glórias Samuel Eto’o já rodou a Europa e a sólida defesa que contou com Júlio César, Maicon, Lúcio, Samuel e Chivu já não existe mais. Coloco como ponto principal ao fim do bom futebol de Diego ao desmanche que o Nerazzurri sofreu, Milito ficou solitário, abandonado e incapaz de ajudar um time desmontado.
A melhor Inter da história, time campeão de tudo. (Inter.it)


Pela seleção argentina, os números são baixos, com pouco tempo como titular, o atacante só marcou 4 gols em 25 jogos. A boa campanha com a Inter o levou a Copa do Mundo da África, em 2010. Diego Milito está com 34 anos, muito próximo do fim da carreira, olhando para o currículo, os gols, os títulos você imagina que sempre ele se manteve em alto nível, conquistando um continente, conquistando um mundo. Entretanto, Diego Milito jogou muito bem até explodir, explodiu! Mas, de repente, mais rápido que um raio, o futebol dele se foi, a grande fase e o faro de artilheiro o deixaram, o argentino caiu no ostracismo e segue para uma aposentadoria sem tanto alarde, esquecido por jornalistas e companheiros de profissão. Esse é Diego Milito: O homem de uma temporada.