quarta-feira, 13 de novembro de 2013

Minas de Ouro

Amigos do esporte, eis me aqui para mais um post, vimos no primeiro semestre um time brilhar, junto a sua torcida, com jogadores que desequilibraram e suaram sangue pelo inédito título da Libertadores. Pois bem, não vir aqui para falar do galo mineiro, apesar de todo o mérito de Cuca e Cia, o fato é que seu maior rival, o Cruzeiro fez um Campeonato Brasileiro sensacional, a raposa venceu todos os seus adversários entre o 1° e o 2° turno, por isso, o azul de Minas conquista mais um título nacional e tenta quebrar mais recordes.
Nos braços de Minas! Raposa e mais um título nacional. (Tribuna do Cisco)

O Cruzeiro teve anos complicadíssimos, isso é um fato, porém Zezé Perrella e sua coja deixaram o clube, trazendo uma onda de calmaria. Na temporada passada, o time já dava sinais de melhoras, que viria coisa boa por aí, mas apostar em Celso Roth como o homem para mudar o time foi um erro e o time apenas figurou a classificação, terminando no meio da tabela. Em 2013, o Cruzeiro acertou logo no banco, contratando um dos técnicos mais promissores do futebol nacional, Marcelo Oliveira foi muito bem no Coritiba, mas havia amargado uma péssima passagem pelo Vasco da Gama.

Seguindo com o projeto para lá de ambicioso o clube de BH anunciou um super pacote, algo excepcional, gastou o tanto que o Corinthians investiu em Alexandre Pato, só que com a grana de Pato, a raposa trouxe Dagoberto, Éverton Ribeiro, Dedé, Ricardo Goulart, Nilton, Bruno Rodrigo e Diego Souza, que futuramente seria trocado por Willian, o craque do campeonato que já foi chamado para a seleção brasileira. Além desses, Júlio Baptista, craque com um currículo invejável veio de graça, já que o seu contrato com o Málaga havia se encerrado.

Borges, o matador e mais um título nacional.
(Tribuna do Cisco)
“Nos gramados de Minas Gerais, temos páginas heróicas e imortais...” como diz o hino do clube, vivemos momentos antológicos e rivais indo a loucura só de ver o Mineirão lotado, uma das cenas mais belíssimas do futebol. Os mineiros estrearam na séria A contra o Goiás, resultado: vitória por 5 a 0 e sinais de vida fácil na competição. Eu me recordo, em especial, da partida de ida válida pelas oitavas de final da Copa do Brasil, o Cruzeiro recebeu o Flamengo e os dois times fizeram um partidão. O Cruzeiro venceu por 2 a 1 e Éverton Ribeiro marcou o gol mais bonito do futebol brasileiro na temporada, a raposa foi eliminada, mas a festa foi linda e inesquecível!

Outra partida memorável foi o duelo que para mim decidiu o Brasileirão, em que o time mineiro arrebentou com o Botafogo e goleou por 3 a 0, com direito a um belíssimo gol de Nilton, ali, o time provou que não tinha adversário que o batesse, não existiu, em toda a competição, um time tão consistente, com um banco excepecional, com um material humano de primeira qualidade.

Lógico que Éverton Ribeiro é um craque, provou realmente ser aquilo que tanto se esperou e, mesmo sem a mídia, o ponta foi crucial na campanha do Cruzeiro, todavia, para mim, Willian chegou e provou ser o cara do campeonato. Com partidas muito regulares, o novo bigode assumiu o papel de “camisa 10” e de goleador, auxiliando o matador Borges. Contudo um dos personagens que mais merecem este título, o que mais lutou, se esforçou pela raposa e com certeza, já está na lista dos maiores jogadores do clube é o goleiro Fábio, são mais de 500 jogos pelo time, isso mesmo, QUINHENTOS jogos! Fábio representa o passado, o presente e um futuro muito promissor para o campeão brasileiro.

Detalhe, eu vi a forma como o Cruzeiro perdera a Taça Libertadores em 2009, uma derrota em casa para o Estudiantes de Verón, jamais pensei que o clube fosse se reestruturar, passou perrengues, mas nada que ameaçasse de rebaixamento, verdade que conquistou alguns estaduais, entretanto nada de tanta expressão. O time ainda foi ofuscado com o tão festejado título da Libertadores da América, no tira-teima principal do campeonato, o galo levou a melhor na final do estadual de Minas. Ainda vejo o Atlético mais preparado e em melhor forma, por conta de entrosamento e sem falar da união do elenco, o grande problema para o alvinegro é que Bernard deixou o clube e Tardelli sairá em breve, fortalecendo a raposa para a próxima disputa da Copa Libertadores.
Marcelo, o mentor, Willian, o craque, Éverton, o decisivo e Fábio, a lenda em atividade. (Tribuna do Cisco)


PS: Na postagem, tentei fazer um paralelo dos bons momentos que vivem a dupla de Minas, sem dúvida, foi o melhor ano do estado na história do futebol brasileiro, título continental para o Atlético e um absoluto tricampeonato brasileiro para a raposa. A Tribuna homenageia o Cruzeiro Esporte Clube, legítimo, arrasador e merecedor do Campeonato Brasileiro de 2013.